Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Último Encontro

Não resta muitos dias para Lauro, foi isso que os médicos lhe disseram, não existia mais cura para a sua doença, acabou a esperança de recuperação que tanto o alimentou durantes os últimos nove anos, todos esses anos vivendo em hospitais e milhares de tratamentos, e foi a determinação que o manteve vivo até hoje.
Lauro se divorciou de sua mulher logo depois que eles tiveram uma filha. Ele a abandonou e foi morar com uma jovem que havia conhecido no trabalho, deixando ela sozinha para cuidar da criança.
Lirian jamais soube do paradeiro de seu marido, ele nunca deu notícias, nunca se mostrou interessado em visitar sua filha, a menina cresceu sem conhecer o pai, pois quando o mesmo foi embora, ela era apenas uma bebezinha.
Lauro agora se encontra muito doente, sem forças até para se levantar da cama. Ele está sendo cuidado pela sua irmã, vai completar cinco meses que a sua amante morreu em razão de um câncer de mama.
Sabendo de seus poucos dias de vida, e carregando uma culpa sufocante em sua alma por tudo que fez, por ter abandonado a sua mulher por causa de uma paixão cega, agora o seu único desejo antes de morrer é de poder conhecer a sua filha.
Depois de muitas reflexões, e de ter criado coragem, decide ligar para Lirian depois de um longo tempo ausente.
Lauro pede perdão, confessa os seus erros, culpas, e diz que está arrependido por tudo, fala sobre os seus últimos dias de vida, e chorando implora para que ela traga sua filha para ele poder conhecer, dizendo que precisa vê-la, pois só assim conseguirá partir em paz.
Depois de uma longa conversa, discussões, acusações, lágrimas e desabafos, Lirian aceita trazer a menina para ele ver, mas que iria falar com ela primeiro, pois dependerá da decisão da menina:

- Qual o nome de nossa filha Lirian?
- Mariele....você já se esqueceu até do nome dela?
- Lindo nome. Sei que nunca me importei com ela nesses últimos anos, mas eu não sou a mesma pessoa, tenho mudado muitas coisas em mim depois que soube da minha morte irreversível..
- Bom, se a Mariele aceitar amanhã eu a levo, agora preciso desligar, vou fazer o almoço e ir buscá-la na escola daqui a pouco.
- Até amanhã Lirian, e muito obrigado por me dar a oportunidade de conhecer a nossa garota, isso será muito importante pra mim, talvez você nunca me perdoará pelo que fiz, sei que fui idiota e entendo toda a sua raiva comigo, mas eu te agradeço por me dar essa chance..

Após Lirian busca sua filha na escola, enquanto as duas estão almoçando, resolve falar sobre a ligação de seu pai.
A garota já sabia que ele havia as abandonado e fugido com outra mulher. Mariele nunca demostrou raiva pelo pai, na verdade ela nunca se expressou muito sobre ele, raramente perguntava sobre o passado dos dois, assim como Lirian, ela carrega uma grande decepção e tristeza pela atitude dele:

- Filha, iremos pra casa dele amanhã cedo, não entrarei na casa com você, ficarei te esperando pelo lado de fora.
- Sabe mãe, uma coisa que dificilmente eu superarei é a dor de saber que ele te abandonou e nunca ligou para saber como eu estava, nem ao menos me visitou uma vez. Sinceramente eu nem sinto vontade de ir vê-lo, se eu começo a pensar sobre isso um ódio tenta me consumir, é difícil controlar.

A noite fria chega na pequena cidade do interior, Lauro morava na cidade vizinha, uns 20 minutos de distância.
Mariele pega seu celular, coloca o fone de ouvido e vai deitar ouvindo suas canções.
Ela sempre gostou de dormir escutando músicas, isso a faz viajar nos pensamentos, se esquecer das dores vividas em seu dia a dia. Nessa noite a menina pensa em seu pai, sem saber qual será a sua reação ao vê-lo pela primeira vez.
Pela manhã, mesmo ainda em dúvidas, e tendo mudado de ideia várias vezes, Mariele decidi ir na casa de seu pai.
As duas entram no carro e partem para a estrada, mas antes de seguirem diretamente para a casa de Lauro, elas passam no hospital para visitar a mãe de Lirian que está internada depois de ter sofrido um derrame. Ela iria visitá-la ontem, mas acabou tendo que fazer hora extra no trabalho.
Para Lirian, a sua mãe era um tesouro incalculável, sempre que tinha oportunidade ela fazia questão de ir vê-la e passar a noite com ela. Depois da visita, as duas finalmente partem para o objetivo, que é a casa do pai de Mariele.
Mas no caminho algo inesperado acontece, uma caminhonete perde o controle e bate em cheio em um carro que estava na frente delas, não deu tempo de Lirian brecar, o impacto foi inevitável, foi tudo muito rápido, parou completamente o trânsito na pista, a ambulância foi chamada e as vítimas foram levadas para o hospital.

Na mesma manhã o telefone toca na casa de Lauro, a sua irmã atende. Era uma ligação do hospital avisando sobre o acidente.
Rapidamente a sua irmã vai avisá-lo sobre o ocorrido, Lauro entra em pânico querendo saber como elas estavam, pergunta sobre Mariele, desesperado tenta se levantar para poder ir vê-las, mas se sente um inútil por não conseguir se levantar da própria cama.
Depois de longas duas semanas, Lirian se recupera. Enquanto elas estavam internadas, Lauro ligava direto para o hospital querendo saber sobre a recuperação das duas. Mesmo depois dela ter recebido alta, Lauro continuava ligando constantemente para Lirian pedindo informações sobre sua filha, e quando ela poderia ir vê-lo:

- Olá Lirian, como está?
- Estou bem Lauro, você já ligou ontem, você sabe que já estou recuperada. Quer saber da Mariele certo? Já falei que a levarei até você, não se preocupe com isso, só não fique mais me ligando a todo momento.
- Me sento inútil aqui deitado nessa cama sem poder fazer nada, mas estou feliz por vocês estarem bem. Estou muito ansioso pra conhecer nossa filha, você irá trazê-la amanhã cedo como combinamos?
- Sim Lauro, amanhã eu a levarei. Não me liga mais a essa hora, você sabe que eu estou trabalhando.
- Está bem Lirian, ficarei aguardando ansiosamente a minha querida Mariele chegar.

Na tarde do dia seguinte, Lauro está em seu quarto ansioso pela chegada de sua filha. Ele ouve uma buzina de carro lá fora já imaginando que elas teriam chegado. Poucos minutos depois ele escuta uma conversa na sala, seu coração acelera, sabe que a qualquer momento a sua filha entrará pela porta de seu quarto.
Ele tenta controlar a emoção, respira fundo, logo em seguida a menina finalmente aparece na porta. O dois se olham atentamente um para o outro, permanecem trocando olhares em silêncio por alguns instantes, até Lauro arriscar uma conversa:

- Oi filha..
- Olá.
- Mariele, você não sabe como eu esperei por esse dia minha filha. Sinceramente eu achei que você não viria, também depois de tudo que eu fiz, eu entenderia a sua decisão..
- Sim, mas não sei se estou feliz em te ver.
- Sua mãe disse que vocês iriam vir de manhã, aconteceu alguma coisa?
- Na verdade eu havia perdido a vontade de vir até aqui, quase nem iriamos vir.
- Sua mãe entrou?
- Ela está me esperando lá fora, não irei demorar muito.
- Entendo, ela falou muito de mim durante esses anos?
- Não, o interesse de te conhecer partiu de mim, sempre que eu perguntava pra ela sobre você ela fazia questão de mudar de assunto, a verdade é que ela pouco se importa com você, não gosta muito de tocar em seu nome.
- Eu entendo...ela tem muitos motivos pra me rejeitar, e como anda a escola Mariele?
- Se passaram onze anos e você nem sequer ligou para saber como eu estava, onze anos, não acho que está interessado em saber como estou na escola.
- Por favor Mariele, eu estou realmente interessado em te conhecer, sei que não irei recuperar todos esses anos jogados fora, mas preciso pelo menos tentar, preciso que você me dê essa chance.

Ao terminarem a conversa, Mariele aceita encontrar com seu pai novamente na próxima semana. Ela ainda não o perdoou, pois é difícil para ela, onze anos longe de casa e de repente querer se reconciliar não é uma tarefa fácil.
Os encontros se repetiram por mais duas semanas. A cada visita Mariele se interagia mais com ele, os dois aos poucos foram se abrindo um para o outro, revelando um pouco do passado de cada um, dos erros, das mentiras, das ilusões.
No fim do dia, Lirian liga para a irmã de Lauro para saber como está indo o relacionamento dos dois:

- Eles estão se dando bem?.
- Sim Lirian, nos primeiros dias eles estavam um pouco afastados, sem muita conversa, mas agora parecem estarem mais ligados. Ficam conversando bastante e dando muitas risadas juntos, sinto no semblante de Lauro uma felicidade que a tempo não via.
- Fico feliz em saber que tudo está indo bem.
- Lirian, aproveitando que você me ligou, gostaria de saber como estão as coisas lá no hospital.
- Infelizmente a cada dia pior, estou tentando ser forte pra não entrar em desespero, pois eu não vejo a hora disso tudo acabar.
- Mas ela não teve nenhum sinal de recuperação?
- Infelizmente não, ela tem sofrido muito.
- É uma situação muito triste mesmo, sei que não está sendo fácil pra você conviver com isso, mas não perca a fé Lirian, nunca perca a fé..

Na semana seguinte Lirian leva a menina para ver Lauro novamente, a cada encontro mais a ligação emocional entre os dois se fortalece.
Lauro pergunta pra sua filha:

- Tem certeza que não está mais sentindo dor Mariele?
- Tenho sim pai, já disse pra não se preocupar com isso, me sinto melhor a cada dia.
- É estranho você não ter nenhuma marca do acidente ou cicatriz das feridas, sua mãe falou que o acidente foi bem grave.
- É que eu me recuperei muito rápido, a minha mãe exagerou um pouco sobre as feridas, eu não tive muitos cortes, os que eu tive já cicatrizaram todos, e como você percebe, até as cicatrizes já desapareceram.
- Eu ainda não vi a sua mãe, ela está melhor também?
- Sim, ela se recuperou mais rápido que eu, ela não sente mais dor nenhuma.
- Bom, o importante é que vocês estão bem, e você tem me dado muita força pra continuar acreditando em minha recuperação, por mais que eu saiba que isso seja impossível. Mas tendo você aqui do meu lado eu tenho uma esperança.

Neste momento a irmã de Lauro entra no quarto e avisa a menina que a sua mãe já havia chegado.
Os dois se despedem, Lirian como sempre espera a garota pelo lado de fora da casa. Os dias passam e Lauro sente uma satisfação muito grande por finalmente ter conhecido a sua filha, de saber que está conseguindo ganhar a confiança dela.
Mas algo acontece na mesma semana, o telefone toca na casa de Lirian, é a irmã de Lauro avisando que seu irmão não resistiu e amanheceu morto.
Por mais que Lirian não tivesse mais nenhum sentimento amoroso por ele, ela sente a partida de Lauro, principalmente por ele ter criado um grande afeto de amor e carinho pela menina. Por finalmente ter se arrependido de tudo que fez no passado. Logo em seguida Lirian também dá uma triste notícia para a irmã de Lauro:

- O que foi Lirian? Você começou a chorar de repente, tem alguma coisa que queira me contar? É alguma notícia do hospital?
- Sim..
- O que aconteceu? Você está me deixando preocupada.
- Acho que a minha fé não foi o suficiente..
- O que você quer dizer com isso? Me conta o que houve.
- Ela morreu durante a cirurgia hoje pela manhã....infelizmente ela não resistiu, estou sozinha agora, perdi pra sempre aquela que me dava ânimo e força pra viver, a minha razão de vida não existe mais..

Dor e choro se estende durante a tarde inteira, não havia nada que a confortasse. Agora se sente na solidão, perdida sem rumo. Ao mesmo tempo que Lirian sente a morte de Lauro, ela também o culpa por tudo que aconteceu, pensando que se não fosse por ele nada disso teria ocorrido.
Ela tenta enxugar as lágrimas, toma um banho, esquenta a comida para jantar. Está sentindo falta de alguém em sua mesa, um dolorido vazio que terá que conviver daqui pra frente.
Lirian está triste, melancólica, agora terá que ser forte pra viver os próximos dias sem a presença de sua filha....sim, sua filha morreu no hospital hoje pela manhã.
A sua casa agora se tornará solitária, não acordará mais Mariele pelas manhãs para ir a escola, não ouvirá mais a sua voz chamando por ela e nem verá o seu belo sorriso de felicidade.
Mariele ficou muito ferida naquele acidente, permaneceu internada durante todo esse tempo, Lirian nunca foi uma pessoa de muita fé, mas dessa vez ela fez inúmeras orações para que sua filha continuasse viva. Mas nem sempre as coisas acontecem da forma que queremos.
Lirian entra no quarto de Mariele, é tomada por milhares de lembranças da menina, caminha em direção a escrivaninha e pega um retrato dela, senta na cama com a foto na mão e começa a chorar, lembra de tudo que viveu ao seu lado e suplica a Deus misericórdia pra não desistir da vida..
Depois de jantar e se perder nas recordações por alguns minutos, ela se dirige até a casa vizinha onde mora uma grande amiga de sua filha. As duas praticamente cresceram juntas e brincavam direto, elas possuem a mesma idade.
Lirian se aproxima, bate palmas e a garota sai:

- Olá Bruna..
- Oi Lirian, lamento pelo que aconteceu com a Mariele, quando você me contou hoje cedo eu juro que não queria acreditar que era verdade, eramos grandes amigas. E você sabe que eu gostava muito dela..
- Tudo bem Bruna, eu só vim te agradecer mais uma vez pelo que você fez por mim, muito obrigada por ter se passado pela minha filha enquanto ela estava no hospital, por ter realizado o desejo de Lauro de querer conhecer a Mariele, sem você ele jamais teria a chance de sentir como é ter uma filha ao lado. Você trouxe muita alegria e esperança pra ele nessas últimas semanas..
- Não se preocupe Lirian, a Mariele era uma grande amiga minha, fiquei feliz em poder te ajudar. O que fizemos por Lauro foi muito importante, ele viveu os últimos dias de sua vida com alegria e reconciliação consigo mesmo, eu sei que tudo isso foi importante pra ele.
- Sim, pelo menos ele partiu realizado. A Mariele ficou extremamente ferida naquele acidente, eu não queria dizer a verdade para Lauro, ele não poderia passar nervoso na situação em que ele se encontrava, isso não seria bom para ele, muito obrigada por tudo Bruna, obrigada mesmo, você é uma menina muito doce..

Lirian volta para casa triste pela perda de sua filha, carregando uma saudade que levará pelo resto da vida, uma dor que dificilmente irá cicatrizar-se dentro dela..
Lucas Pires
Enviado por Lucas Pires em 16/06/2020
Código do texto: T6979064
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Lucas Pires
Bauru - São Paulo - Brasil
25 textos (2915 leituras)
21 áudios (523 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/08/20 07:56)
Lucas Pires