Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ORQUIDEA NEGRA

ORQUIDEA NEGRA
 

O que eu quero lhe expressar ou simplesmente lhe dizer com minhas palavras e intuição sobre a metafisica que esta sempre se originando o poder de valorizar e desvalorizar todas as formas e bases da vida que está mais voltado a um reconhecimento com a natureza tanto envolvente da vida quanto a do ser humano que sempre esta fraudando a existência humana lhe propondo o sofrimento e a sua própria destruição por uma relação que nos faz todos nós crermos que o mundo não é perfeito e nem tão pouco vai mudar algum dia por sua própria construção e movimento moral e social que vão se alastrando sobre um contexto mal elaborado e construído do povo que talvez não tenha adquirido mais bases reais e conduta eficaz de uma natureza plena de sonhos e desejos que se caracterizam no meio social que sempre estão mudando todas as religiões, politicas e reconstituições governamentais em um conceito de ideias desprovidas que o homem de hoje é homogêneo do próprio universo que tanto constrói e destrói ao mesmo tempo ficando toda historia momentânea desatinada pela própria existência que simplesmente a chamamos de maquina da desconstrução ou selvagem que em tudo e com tudo nos faz reagirmos pelo avesso da vida deixando nossos sentimentos contrariados com nossas próprias inocentes naturezas que por meras circunstancias se perdem todo valor que simplesmente nos leva a morte por uma incapacidade humana que em tudo esta contido por uma relação de fatos relacionados a falta de integridade educacional entre o povo e as classes que usam as religiões contraias as normas estabelecidas como os políticos que diferenciam por normas politicas os bons padrões exercidos contra a sociedade ficando inimiga do povo e se desvalorizando suas próprias vidas por hábitos e desajustes financeiros causados pelas corrupções de maus políticos mal estabelecidos por normas e desajuste politicalha como também são estabelecidos maus reconstituições do governo deixando o país em crise financeira para se acabar em um Verdadeiro curso de guerra social estabelecido pelo povo injustiçado que se acaba matando a si próprio e aos outros ficando o mundo um absinto de exemplos contraditórios a verdadeira ordem tomada em que é devorada pela sua própria raiz pelo avesso de uma verdadeira vida ou existência da vida sobre todos os pontos e subpontos que clareiam a verdadeira forma de viver se clamando por paz e amor em um circulo que faz viver todos os aspectos inacreditáveis da vida ficando a negra realidade como um exemplo da própria vida em que chamamos e onde mora a verdadeira orquídea negra.
A busca pela compreensão sobre como foi desencadeado o processo que originou o universo atual, proporcionou – e ainda proporciona – vários debates, pesquisas e teorias que possam explicar tal fenômeno. É um tema que desperta grande curiosidade dos humanos desde os tempos mais remotos e gera grandes polêmicas, envolvendo conceito,  religiosos, filosóficos e científicos.

Até o momento, a explicação mais aceita sobre a origem do universo entre a comunidade cientifica é baseada na teoria da Grande Explosão, em inglês, Big Bang. Ela apoia-se, em parte, na teoria da relatividade do físico Albert Einstein (1879-1955) e nos estudos dos astrônomos Edwin Hubble (1889-1953) e Milton Humason (1891-1972), os quais demonstraram que o universo não é estático e se encontra em constante expansão, ou seja, as galáxias estão se afastando umas das outras. Portanto, no passado elas deveriam estar mais próximas que hoje, e, até mesmo, formando um único ponto.
 A teoria do Big Bang foi anunciada em 1948 pelo cientista russo naturalizado estadunidense, George Gamow (1904-1968) e o padre e astrônomo belga Georges Lemaître (1894-1966). Segundo eles, o universo teria surgido após uma grande explosão cósmica, entre 10 e 20 bilhões de anos atrás. O termo explosão refere-se a uma grande liberação de energia, criando o espaço-tempo.

Até então, havia uma mistura de partículas subatômicas (qharks, elétrons, neutrinos e suas partículas) que se moviam em todos os sentidos com velocidades próximas à da luz. As primeiras partículas pesadas, prótons e nêutrons, associaram-se para formarem os núcleos de átomos leves, como hidrogênio, hélio e lítio, que estão entre os principais elementos químicos do universo.

Ao expandir-se, o universo também se resfriou, passando da cor violeta à amarela, depois laranja e vermelha. Cerca de 1 milhão de anos após o instante inicial, a matéria e a radiação luminosa se separaram e o Universo tornou-se transparente: com a união dos elétrons aos núcleos atômicos, a luz pode caminhar livremente. Cerca de 1 bilhão de anos depois do Big Bang, os elementos químicos começaram a se unir dando origem às galáxias.

Essa é a explicação sistemática da origem do universo, conforme a teoria do Big Bang. Aceita pela maioria dos cientistas, entretanto, muito contestada por alguns pesquisadores. Portanto, a origem do universo é um tema que gera muitas opiniões divergentes, sendo necessária uma análise crítica de cada vertente que possa explicar esse acontecimento que deu origem a vida com sua grande explosão que se originou a vida, toda criação do ser humano por uma aliada ordem malfazeja e benfazeja de criação em que perante a todos os conhecimentos se concretizam como base de nascimento, crescimento e evolução que se familiarizam homogeneamente ao ser humano que também se chocou como uma bomba de partículas de átomos, prótons e neutros para se fazer uma vida crescer e se manter sobre os padrões sociais gerado por um conflito humano depois a se envolver a natureza solida da vida que nos faz também como do começo do mundo que tudo esta se construindo pela força do bem que é o amor e se destruindo pela força do mal que é a destruição que hoje somos pedaços em fase de evolução dando a si mais espaço para nossos entendimentos racionais e humanos sobre a dura razão de vivermos e estarmos vivos pelas nossas circunstancias e desenvolvimento social em que se plantam o amor e o ódio sobre nossas noções de vivermos e ser felizes por um rendimento emocional que nos faça bem melhor por mais tempos ou mais humanos.
Um conflito desta magnitude não começa sem importantes causas ou motivos. Podemos dizer que vários fatores influenciaram o início deste conflito que se iniciou na Europa e, rapidamente, espalhou-se pela África e Ásia.
Um dos mais importantes motivos foi o surgimento, na década de 1930, na Europa, de governos totalitários com fortes objetivos militaristas e expansionistas. Na Alemanha surgiu o nazismo, liderado por Hitler e que pretendia expandir o território Alemão, desrespeitando o Tratado de Versalhes,  inclusive reconquistando territórios perdidos na Primeira Guerra. Na Itália estava crescendo o Partido Fascista, liderado por Benito Mussolini, que se tornou o Duce da Itália, com poderes sem limites.
Tanto a Itália quanto a Alemanha passavam por uma grave crise econômica no início da década de 1930, com milhões de cidadãos sem emprego. Uma das soluções tomadas pelos governos fascistas destes países foi a industrialização, principalmente na criação de indústrias de armamentos e equipamentos bélicos (aviões de guerra, navios, tanques etc).
Na Ásia, o Japão também possuía fortes desejos de expandir seus domínios para territórios vizinhos e ilhas da região. Estes três países, com objetivos expansionistas, uniram-se e formaram o Eixo. Um acordo com fortes características militares e com planos de conquistas elaborados em comum acordo.
O Início
O marco inicial ocorreu no ano de 1939, quando o exército alemão invadiu a Polônia. De imediato, a França e a Inglaterra declararam guerra à Alemanha. De acordo com a política de alianças militares existentes na época, formaram-se dois grupos : Aliados (liderados por Inglaterra, URSS, França e Estados Unidos) e Eixo (Alemanha, Itália e Japão ).
Desenvolvimento e Fatos Históricos Importantes:
- O período de 1939 a 1941 foi marcado por vitórias do Eixo, lideradas pelas forças armadas da Alemanha, que conquistou o Norte da França, Iugoslávia, Polônia, Ucrânia, Noruega e territórios no norte da África. O Japão anexou a Manchúria, enquanto a Itália conquistava a Albânia e territórios da Líbia.
- Em 1941 o Japão ataca a base militar norte-americana de Pearl Harbor no Oceano Pacífico ( Havaí ). Após este fato, considerado uma traição pelos norte-americanos, os estados Unidos entraram no conflito ao lado das forças aliadas.
- De 1941 a 1945 ocorreram as derrotas do Eixo, iniciadas com as perdas sofridas pelos alemães no rigoroso inverno russo. Neste período, ocorre uma regressão das forças do Eixo que sofrem derrotas seguidas. Com a entrada dos EUA, os aliados ganharam força nas frentes de batalhas.
- O Brasil participa diretamente, enviando para a Itália (região de Monte Cassino) os pracinhas da FEB, Força Expedicionária Brasileira. Os cerca de 25 mil soldados brasileiros conquistam a região, somando uma importante vitória ao lado dos Aliados.
Final e Consequências
Este importante e triste conflito terminou somente no ano de 1945 com a rendição da Alemanha e Itália. O Japão, último país a assinar o tratado de rendição, ainda sofreu um forte ataque dos Estados Unidos, que despejou bombas atômicas sobre as cidades de Hiroshima e Nagazaki. Uma ação desnecessária que provocou a morte de milhares de cidadãos japoneses inocentes, deixando um rastro de destruição nestas cidades.
Bomba Atômica explode na cidade japonesa de Hiroshima
Os prejuízos foram enormes, principalmente para os países derrotados. Foram milhões de mortos e feridos, cidades destruídas, indústrias e zonas rurais arrasadas e dívidas incalculáveis. O racismo esteve presente e deixou uma ferida grave, principalmente na Alemanha, onde os nazistas mandaram para campos de concentração e mataram aproximadamente seis milhões de judeus.
Com o final do conflito, em 1945, foi criada a ONU ( Organização das Nações Unidas ), cujo objetivo principal seria a manutenção da paz entre as nações. Inicia-se também um período conhecido com a guerra fria colocando agora, em lados opostos, Estados Unidos e União Soviética. Uma disputa geopolítica entre o capitalismo norte-americano e o socialismo soviético, onde ambos os países buscavam ampliar suas áreas de influência sem entrar em conflitos armados.
Há exatos 70 anos, o mundo assistiu a um dos maiores atentados da história. Em 6 de agosto de 1945, um Boeing B-29 denominado Enola Gay lançou uma bomba atômica sobre a cidade de Hiroshima, no Japão, em missão arquitetada pelo governo dos Estados Unidos.
Sob o comando de Paul Tibbetts, o ataque tinha o objetivo de forçar o Japão a se render e, com isso, por fim à Segunda Guerra Mundial. O nome Enola Gay foi uma homenagem à mãe do piloto, Enola Gay Tibbets.
No contexto da guerra, iniciada em 1939, o mundo estava dividido em dois grupos. As principais forças dos chamados Aliados eram Reino Unido, União Soviética e Estados Unidos, enquanto Alemanha, Japão e Itália formavam as Potências do Eixo. Em agosto de 1945, a guerra já havia terminado na Europa, depois das mortes dos ditadores Benito Mussolini (Itália) e Adolf Hitler (Alemanha), porém os confrontos continuavam no Pacífico e na Ásia, protagonizados por americanos e japoneses.
Às 8h15, horário local, a bomba Little Boy (“menininho”, em tradução livre) foi lançada em direção à Hiroshima. Ela explodiu a cerca de 500 m do chão e causou a morte de mais de 140 mil pessoas. Quando viu o tamanho da tragédia, na forma de uma nuvem gigantesca de fumaça e poeira, o copiloto Robert Lewis escreveu no diário de bordo: “Deus, o que fizemos?"
Mas a rendição japonesa não veio. Dois dias depois, no dia 8, uma bomba ainda mais poderosa, chamada Fat Boy (“menino gordo”, também em tradução livre), foi lançada sobre outra cidade, Nagasaki. Dessa vez, cerca de 70 mil pessoas morreram.
Em menos de uma semana, no dia 15 de agosto de 1945, o Japão se rendeu ao terror, pondo fim ao conflito mundial.
Estamos vivendo hoje os melhores e piores momentos da vida por uma classificação de ideias voltada as ordens e conceitos superlativos que nos faz amarmos e odiarmos sinceramente por uma relação de construção e desconstrução que nos redime a uma natureza eu lhe digo mais codificada pelas nossas capacidades e relações socialistas entre o grande povo que se estabelece entre doutrinas de paz, amor e ódio ficando o mundo um exemplo refletido e revolucionário por uma base de aprendizagem em que a educação nos faz merecer mais um pouco de nossas essências que poderão nos distanciar da morte que talvez seja exemplo como no começo da vida de nascimento do universo para vida como a desconstrução que nos combinaram como um átomo a nos dar a vida continua a nosso núcleo que é constituído de átomos, nêutrons e prótons ficando nossa vida criada por uma combinação química de elementos substanciais a nossa vida que nos faz homens em um planeta em que é sempre desatinado por predadores em consequência da natureza viva que nos conduz as deficiências sociais atribuídas de sofrimentos e alegrias que nos predominam de suficiência e insuficiência dada e construída pela vida ao comportamento social por trabalhos e amizades continuas entre ambos os amigos e inimigos que nos faz felizes e tristes por todas as ocasiões mais aladas da vida que poucos conseguem usufruir da escala correta do sucesso em que nos bota a agirmos contra as diretrizes de fracassos, loucuras em que muitos se perdem nesse crucifixo de qualidades e construções morais e pessoais em que nos faz vivermos e sermos mais por extensos sobre a dura ganancia da vida ficando para traz os grandes e sufocados mistérios que são hoje chamados de problemas emocionais gerados por circunstancias e equilíbrios mentais em que não possamos sofrer á boa ou má vida sem tantos atributos morais que em tudo e com tudo nos faz aprender a viver e algum dia ser verdadeiramente feliz.
Talvez possamos compreender o caso ou acaso da vida que nos diferencia entre sua realidade pessoal entre nossas ações pela vida de apreendermos a darmos valor as nossas vidas e as pessoas que nos faz reagirmos de formas contrarias por um fator humano que descompassa as nossas mais duras intenções pelos nossos semelhantes que esteja plenamente nos dando e nos fornecendo amor e felicidades pelo um mundo melhor e mais amigo que nos distancie das realidades distorcidas e comprometidas de ilusões que rasuram a integridade da vida porque podemos algum dia entendermos o por que de viver e ser feliz entre os outros e na nossas vida longe da velha e inesquecível orquídea negra.

Por: Roberto Barros
ROBERTO BARROS XXI
Enviado por ROBERTO BARROS XXI em 04/04/2017
Código do texto: T5961322
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ROBERTO BARROS XXI
Olinda - Pernambuco - Brasil, 45 anos
350 textos (8472 leituras)
7 áudios (219 audições)
20 e-livros (283 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 18:41)
ROBERTO BARROS XXI