Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um guardião: gratidão e responsabilidade

Certa feita, em uma casa que prestava atendimentos espirituais aos necessitados que por eles procuravam, os trabalhadores estavam finalizando as atividades da noite quando, repentinamente, através de um dos médiuns receberam a visita de um dos guardiões da casa.

– Boa noite a todos! – Começou saudando o guardião, no que foi reciprocamente saudado. – Quero lhes falar hoje sobre duas coisas: gratidão e responsabilidade. – Dito isso, fez uma pequena pausa, deu uma tragada em seu charuto e tomou um gole de seu marafo, como que a manipular as energias desses elementos em consonância com o ambiente.

Alguns membros daquele corpo mediúnico, ansiosos que estavam para o término do trabalho, pois já tinham planejado os seus compromissos, manifestaram mentalmente certo desacordo com aquela “aparição” de última hora. Pensaram nos atrasos e nos contratempos que aquilo poderia causar. No entanto, não verbalizaram suas intenções, nem era preciso. O guardião deu sua gargalhada característica e recomeçou, sério, a sua fala:

– Quem tiver seus compromissos terrenos, se quiser, pode se retirar. Que fiquem apenas aqueles que querem ouvir, de coração e espírito livre, esta última mensagem. – Novo e breve silêncio, durante o qual ninguém ousou se levantar. Haviam entendido o recado e se aquietaram, mesmo a contragosto.  – Continuou:

– Sejam gratos por todas as experiências que vocês estão vivenciando. As boas e as ruins, pois nada é à toa, nada é por acaso. Sejam gratos, mas não esperem recompensas. Quem trabalha para a Luz e pela Luz deve confiar Nela. Agradeçam pelas dores e pelos obstáculos da vida, pois são sinais de alerta, são sinais de que algo está errado e de que é preciso parar para refletir e se cuidar. Não amaldiçoem, nem maldigam, quando algo não sair como se esperava. A Espiritualidade está apenas testando, colocando os filhos em movimento para o aprendizado constante. Sejam gratos também quando forem agraciados com um pedido feito de bom coração. Sejam gratos quando o caminho for reto e plano, pois assim foi do merecimento no momento em que ocorreu. Sejam gratos, mas não sejam submissos a nada nem a ninguém. Gratidão não significa se amarrar a algo ou alguém em troca de alguma coisa. Isso é interesse mesquinho ou falta de amor próprio. Gratidão é devolver ao outro o Bem que nos foi praticado e compreender que o Mal que nos é dirigido não deve ser devolvido nem alimentado. Difícil, mas necessário.

Seguiu-se novo silêncio, novo gole, novo trago e nova baforada. O guardião circulou pelo ambiente, sem emitir palavras. Aqueles que tinham o dom da visão plena podiam vê-lo transmutar as energias negativas e encaminhá-las aos devidos locais. Outros, que ainda traziam algo negativo em seus corpos, podiam sentir um arrepio e um calafrio profundo como se algo estivesse a ser arrancado de si. Claro que o guardião não agia sozinho. Seus legionários estavam a ajudá-lo. Em poucos minutos prosseguiu:

– Agora devo lhes falar da responsabilidade de vocês perante os atendidos e perante a Espiritualidade. Ninguém foi obrigado a estar aqui. As portas que encontraram abertas quando entraram, continuam abertas para sair. A decisão compete a cada um de vocês. Mas uma vez assumido um compromisso, ele deve ser consumado. Não há como fugir. Vocês podem até esconder algo da lei dos homens, podem até se safar dessa lei humana. Mas da Lei do Retorno, da Lei do Criador, da Lei da Ação e Reação (profunda gargalhada), dessa não há como escapar. Um dia a conta chega. Tenham responsabilidade quando forem falar e quando forem agir. Não permitam que suas mentes se sobreponham ao que lhes intuímos ou ao que lhes mostramos. Nem tudo o que lhes mostramos deve ser falado. Quem nos procura, a vocês e a nós, costuma estar fragilizado por alguma causa que normalmente desconhece e para a qual nem sempre está preparado para ouvir tudo como deve ser. Por isso a responsabilidade é grande. Não se deve conduzir ninguém por qualquer caminho que seja: mostrem os caminhos, expliquem as possibilidades e deixem que cada um seja responsável pelos próprios passos. Quem caminha por si mesmo não pode culpar ninguém pelas quedas. Quem manipula os caminhos alheios é responsável pelas consequências, quer queira ou não. Sejam responsáveis, porque quando o erro decorre da ignorância, existe um amparo e nova chance para o aprendizado, sem muita dor. Porém, quando se erra conscientemente, não é erro; é falta de caráter, é maldade. E isso a Lei não perdoa. Haverá nova chance para o aprendizado, pois a Lei é Justa; mas decerto que a dor será proporcional ao ato praticado.

Havia, dentre os que ouviam a mensagem, alguns rostos assustados e outros que se mostravam confiantes. O guardião, circulando mais uma vez, só que agora olhando bem nos olhos de todos, continuou:

– Não se sintam rebaixados ou assustados. Valorizem-se. Não adianta fazermos por vocês, se não fazem por si mesmos. Também não sejam autoconfiantes demais. Nunca esqueçam que quem está por baixo pode subir, assim como quem está em cima pode descer. A Lei e a Luz não querem trabalhadores santos. Se assim quisessem, não nos mandariam aqui. A Lei e a Luz querem trabalhadores conscientes de suas funções, conscientes que todos vivem em eterno aprendizado, conscientes de que tudo é permitido, mas nem tudo é conveniente. Entendam que Livre Arbítrio não é carta branca para se fazer tudo o que se deseja. Livre Arbítrio é a consciência plena dos atos e das responsabilidades de cada um em todas as existências que forem permitidas pelo Criador. Não se enganem também aqueles que pensam ter um tratamento especial pela Lei Divina. Ela é justa e a todos dá o devido e merecido tratamento, é a colheita conforme o plantio. Agora eu me vou. Já falei demais. Quem quiser viver de acordo com a Lei, que viva e colherá seus frutos. Quem quiser desafiá-la, que desafie. Nós, os guardiões, estaremos esperando para aplicar a cada um aquilo que a Lei mandar. Boa noite e fiquem em paz!

Os trabalhadores terminaram seus afazeres. Não houve comentários sobre a mensagem recebida. Dirigiram-se todos para suas casas com a certeza de que algo ficou em seu mental. Algo que, sem dúvida, será aprofundado durante o sono, pois é o momento em que nos desprendemos da matéria e ficamos realmente livres. Cabe a cada qual a gratidão pela mensagem recebida e a responsabilidade sobre o que fazer com ela. Que assim seja!
Cícero 21-12-2018
Cícero Carlos Lopes
Enviado por Cícero Carlos Lopes em 19/01/2019
Código do texto: T6554761
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cícero Carlos Lopes
Ferraz de Vasconcelos - São Paulo - Brasil, 43 anos
367 textos (6182 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/07/19 15:36)
Cícero Carlos Lopes