Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MADRUGADA DE MAIO

Madrugada de maio


Uma chuva fina rolava na vidraça embaçada,
Naquele fim de madrugada fria de maio.
Na calçada, apenas reflexos das luzes,
Nas gotículas de água que desciam como neve,
Sem se interromper, junto às folhas das árvores.
Às vezes, alguns animais noturnos passavam correndo em meio à chuva.
Na frente da minha vidraça, eu observava aquela madrugada cinzenta de maio.
Enrolado no cobertor, eu  apreciava aquele silêncio encantador.
Era um silencio misturado com o vento leve que soprava na minha janela.
E a fina chuva, às vezes, era arremessada contra a minha vidraça.
Meus olhos um pouco lentos e pesados observavam o cair daquela chuva de maio.
Quando saí da janela e puxei a cortina,
Alguém no outro quarto perguntou com voz baixa:
- Você está acordado?
Imediatamente deitei-me e fingi estar a dormir.
Era uma madrugada chuvosa de maio!

(Acácio)
Acácio Nunes
Enviado por Acácio Nunes em 29/10/2007
Código do texto: T714833
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Acácio Nunes
Pouso Alegre - Minas Gerais - Brasil, 57 anos
368 textos (155912 leituras)
1 e-livros (13 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 18:51)
Acácio Nunes