Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Modelos.

            Luíza. Loira de olhos verdes. 1,60m de altura. Um mimo. Um doce. Que gracinha. Parece uma garotinha, embora tenha um pouco mais de trinta. Sorriso encantador. Só um defeito: por trás desta carinha de boneca se esconde uma mulher ambiciosa. Capaz de tudo para se dar bem na vida.
            Jonas. Playboy e empresário. No auge de seus vinte e oito anos já possui tudo o que queria na vida. Tendo construído um patrimônio respeitável graças à carreira de modelo agora só pensa na única coisa que lhe falta: uma esposa bonita, fiel, dedicada e acima de tudo companheira.
            Janine. A fiel escudeira de Jonas. Fiel e dedicada, encerrou a carreira de modelo após terminar a faculdade de administração e ser convidada por Jonas para ser seu braço direito. O amor falou mais alto e ela aceitou.
            Cansado de viajar Brasil e mundo afora, Jonas resolve tirar umas férias no litoral do Rio de Janeiro, mais precisamente em Rio das Ostras, por indicação de Janine. Um aspecto a se considerar é o de que os pais de Janine moram em Rio das Ostras. Quem sabe a idéia dada por ela não foi guiada por seu coração numa tentativa de se fazer enxergar por seu amado?
            Chegando a casa dos pais de Janine, Jonas é muito bem recebido, tanto pelos pais quanto pelos irmãos de Janine. O irmão, superprotetor, militar da Força Aérea Brasileira, enche Jonas de perguntas dos mais variados tipos a fim de saber um pouco mais sobre o amigo da irmã. Até porque a bela Janine não costuma levar amigos a casa de seus pais.
                    - Sandro deixa o Jonas em paz. Interrogatório você faz com seus comandados no quartel. Vamos Jonas, vamos à praia. Deixa meu irmão aí com os questionamentos dele.
                    - Ora Janine, eu só quero saber mais a respeito do seu amigo. Os jornais só falam dele como modelo, playboy e empresário. Deixe-me conhecer a pessoa.
                    - Tudo bem Janine, não há problema algum em todas estas perguntas. Façamos o seguinte, vamos à praia e lá eu conto tudo que você quiser saber, combinado Sandro?
                    - Fechado, vamos.
                    - Homens, sempre se defendendo. Vamos.
            Na praia a conversa entre os três rola bastante animada. Sandro explica a Jonas porque a praia em questão é chamada de Praia da Tartaruga. Embora conheça muitos lugares, o rapaz nunca havia estado em Rio das Ostras. Praia da Tartaruga, Praça da Baleia e a ponte que parece um submarino, segundo os moradores da cidade, são novidades interessantes para o jovem playboy.
            Entre um mergulho e outro, Elisa, a esposa de Sandro chega à praia acompanhada pelo filho do casal, o jovem prodígio Xande, e uma amiga dos tempos de escola de Elisa, uma bela loira chamada Luíza, que veio passar uns tempos na cidade após ter sido demitida da agência Saint Denis Models, por conta de uma indisposição com o dono da agência. Para a imprensa não foi divulgada a demissão, conta-se apenas que ela queria respirar novos ares e pediu para sair.
                    - Oi filhão. Meu amor. – Sandro dá um beijo em Elisa e coloca o pequeno Xande no colo.
                    - Olá Sandro.
                    - Oi Luíza. – Responde Sandro secamente.
                    - Bem Luíza, esta é minha cunhada Janine.
                    - Oh, Janine Tozza não é? A modelo de carreira meteórica. Tão rápida quanto começou, terminou. Uma pena não? – Diz Luíza com um toque irônico na voz.
                    - Luíza Araújo. Não acho uma pena não. Melhor que ser demitida da Saint Denis Models.
            No meio da troca de farpas entre as modelos, Jonas, que tinha ido dar um mergulho, se aproxima.
                    - Jonas Alonzo Rodrigues. O ex modelo dono da Alonzo Models?
                    - Sim, sou eu. Você é?
                    - Luíza Araújo. É um prazer conhecê-lo.
                    - O prazer é meu. Você desfilava pela Saint Denis Models, não é mesmo?
                    - Sim, mas eu cansei da política da agência e entrei num acordo para rescindir meu contrato.
                    - Então você está disponível? Sem vínculo com nenhuma agência?
                    - Disponível tanto profissional quanto pessoalmente.
                    - Ah sim, interessante.
            Pelo tom de voz de Jonas, Janine e os demais sentem que a cartada dada pela loura atingiu seu objetivo: a atenção do jovem playboy. Janine quebra o clima.
                    - Jonas, já ficamos muito tempo no sol e minha mãe já deve ter preparado o almoço. Vamos?
                    - Sim claro, vamos.
            A tentativa de Janine de se livrar da presença da loura é em vão, pois a esposa de Sandro não prestou atenção ao que houve e chamou Luíza para o almoço. Tudo a contra gosto tanto do marido quanto da cunhada. Uma voada espetacular no que tange ao que desagrada seu querido Sandro e sua não menos querida cunhada Janine. Para a loura, mais uma oportunidade.
            Durante o almoço, dona Tatiana, mãe de Janine, não deixa transparecer o desagrado pela visita inesperada, em compensação, seu pai, o senhor José, apelidado carinhosamente de “Seu Zezinho”, esboça que não se agradou com a presença da loura.
                    - Então você foi modelo Jonas? – Pergunta Seu Zezinho.
                    - Dos mais bonitos, seu José. – Responde Luíza.
                    - Como eu perguntei a você Jonas – enfatiza Seu Zezinho – você já foi modelo, não é?
                    - Sim, seu José. Mas como a carreira de modelo costuma oscilar muito, eu aproveitei enquanto estava no auge e montei minha própria agência.
                    - Bem pensado meu rapaz. Eu sempre aconselhei Janine a não confiar muito nesta carreira e estudar.
                    - Sim, eu sei. E como eu sempre gostei muito da Janine, achei que ela seria a pessoa certa para trabalhar comigo. Não só como administradora, mas também como consultora de modelos. Ela tem faro para a coisa.
                    - Ah Jonas, assim fico encabulada. – Diz Janine num tom de brincadeira.
                    - É Jonas. Não encabule a menina. Aliás, Janine, eu nunca entendi como você, sendo tímida, se tornou modelo.
                    - Bem Luíza, eu também nunca entendi como você, tendo mais de trinta anos, ainda fazia parte das principais estrelas da Saint Denis.
            Vendo que o clima está ficando tenso, Elisa intervém chamando Luiza para retornar a praia e aproveitar o restinho de sol da tarde. Despedindo-se de todos, Luíza, que deixara para falar com Jonas por último, lhe entrega um cartão com seu telefone e lhe dá um beijo estalado no rosto. Atitude que o playboy demonstra ter gostado e que gera um frio na barriga de Janine.
            Uma semana depois, por conta de um contrato de cifras exorbitantes, Jonas e Janine se viram obrigados a interromper as férias e retornar ao trabalho. Apesar da brusca interrupção o resultado final foi muito bom para o casal. O tempo que passaram juntos serviu para aproximá-los um pouco mais e de uma forma bastante especial.
            De volta ao trabalho, Jonas telefona para a astuta Luíza e a convida para um jantar de negócios e Janine, que vinha entrando na sala, ouve o trecho em que Jonas combina o horário do jantar. Janine, que se dirigia ao playboy para informar que uma jovem, funcionária da Joalheria Nova Ipanema, o aguarda na ante sala a fim de entregar-lhe uma encomenda. Com o que ouve ao entrar na sala, Janine monta o quebra cabeças que começou a rondar sua cabeça, ainda em Rio das Ostras. A cartada da loura, a atitude de Jonas em resposta, a encomenda feita na joalheria e o jantar montam uma cena que entristece seu coração.
                    - Jonas, há uma funcionária da Nova Ipanema aí fora querendo falar com você.
                    - Ah, que ótimo, mande-a entrar.
                    - Vai jantar com a Luíza?
                    - Sim, vou. Tenho alguns planos que a envolvem.
                    - Ah, disso eu já sei e já entendi. Você marcou um jantar para hoje, e provavelmente a presença da jovem que trabalha na joalheria tem algo a ver com este encontro. Estou desapontada com você. Não esperava que você fosse cair no golpe da loura.
                    - Golpe. Ora Janine, você está entendendo tudo errado.
                    - Estou? Então me explique. Diga que você não ficou interessado na loura velha?
                    - Ah, ah, ah. Loura velha. É, ela é velha mesmo. E muito, mas ainda chama atenção e pode dar uma subida na minha agência. Quanto ao que você insinua, minha querida, será melhor que eu te explique.
                    - Explicar o que exatamente?
                    - Eu vou jantar com Luíza amanhã e você vai comigo. Eu só a contratarei se ela se enquadrar na nossa política e isto quem vai definir não serei eu sozinho. Você irá me ajudar.
                    - Eu?
                    - É, você. Sem problemas pessoais ta? Profissional como você sempre foi. Com relação à presença da jovem da joalheria, bem, mande-a entrar que você vai entender a última parte da história.
                    - Está bem.
            Janine pede que a jovem entre. Jonas sinaliza para ela apontando Janine. A jovem funcionária da joalheria retira uma aliança de dentro de uma pequena bolsa, vai em direção a Janine e experimenta aquela no dedo da jovem. A aliança cabe certinha. A jovem funcionária da joalheria recebe um cheque das mãos de Jonas e abandona a sala. Janine se mantém estática e estarrecida.
                    - Não faça esta carinha Janine. Depois destes dias que passamos juntos eu tive uma certeza em meu coração e minha cabeça. Você é a mulher que eu quero para minha esposa. Eu alimento este amor por você há muito tempo, mas não sentia no coração a certeza do momento. Não encontrava o momento certo. Não sabia se seria correspondido. Só tive esta certeza quando seu irmão disse que você não levava ninguém a casa de seus pais. Eu entendi que você só levaria alguém que considerasse especial. Alguém especial para você. Como eu sempre a considerei. Especial para mim.
                    - Mas, Jonas...
                    - Janine, sua família já está ciente. Seu irmão me ajudou com o tamanho da aliança. Eu não fiz o pedido oficial, mas já falei com seu pai. Resta saber se você aceita. Janine Tozza aceita se casar comigo?
                    - Mas, é, eu não sei. Você me pegou de surpresa, Jonas. Eu, eu estou confusa.
                    - Você não me ama Janine?
                    - Amo, claro que te amo. Mas, eu estou surpresa.
                    - Não fique. Você me conhece há muitos anos. Sabe que estou sendo sincero e sabe também que eu nunca fui um mau caráter. Playboy sim. Mau caráter, nunca.
                    - Eu sei disso. Eu aceito Jonas. Aceito me casar com você, mas tenho uma condição.
                    - Qual seria esta condição?
                    - Eu quero voltar a desfilar.
                    - Tem certeza?
                    - Tenho.
                    - Ótimo. Ficarei feliz em ter como minha modelo principal a minha esposa.
                    - E a Luíza?
                    - O caso dela é jogada de marketing por causa do novo contrato. É outra história, mas isso não vem ao caso agora. Posso beijar minha noiva, o amor da minha vida?
                    - Você não precisa pedir.
            Pela primeira vez na vida dos dois jovens modelos, e finalmente, o amor que os envolvia aflora e toma forma. A paixão que sempre uniu os caminhos de Jonas e Janine chega finalmente ao resultado que o cupido mais atrapalhado conseguiria de forma fácil. Afinal de contas, um amor puro e singelo sempre termina em belos resultados. O primeiro beijo é igual à primeira impressão, é sempre o que marca uma vida. Quanto a Luíza, a possível nova contratada da agência, pensaremos nela depois, pois ela não faz parte dos planos amorosos destes dois.
Léo Rodrigues
Enviado por Léo Rodrigues em 05/11/2007
Reeditado em 05/11/2007
Código do texto: T724027
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site "www.leorodrigues.recantodasletras.com.br" e entre em contato comigo pelo e-mail contido no mesmo site.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Léo Rodrigues
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 40 anos
150 textos (37946 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 19:08)
Léo Rodrigues

Site do Escritor