Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Brinquedo de sereia

Tarde ensolarada, mas de manhã chovera aos cântaros. Quem vai convencer a criança que o parquinho está um charco? Brilho escuro, quente, o asfalto iluminado; poças d’água resistiam nos cantos da sarjeta; gramado em derredor: encharcado; o campo de terra do parquinho em si era quase todo um lago com ilhotas de terra úmida. E os balanços pairavam abandonados sobre outros charcos lamacentos: correntes orvalhadas e madeira entumecida de tanta água absorvida.
Encharcado, vinha também o rosto da menina. Longe, ouviu-se primeiro o choro. Sirene lactente, aguda, doída, doida, projeto de sereia que atrai o pai para as águas, para a resolução, a definição: brincar no balanço, porque está sol e você prometeu! Primeiro chegou o choro, argumento vencedor, irrefutável. Eloquência majestosa, sustentava-se mesmo após desbancar Ulisses e Ajax na disputa pela armadura de Aquiles. Em seguida, chegou o rosto exagerado de água, mais do que a chuva egeia que chovera cedo e, exceto pelo asfalto fumegante, resistia na grama e na areia do parquinho.
No gramado, o drible de sábado evitou a molhaceira. A esperança do pai residia na chegada à mureta do parquinho, na constatação da impossibilidade de alcançarem a seco o brinquedo. À borda do lago fantástico, a sirene persistia. A menina ergueu os braços reivindicando colo e o pai chegou até a pensar que era para voltar atrás, desistir. Entretanto, do promontório da segurança paterna, os olhos chorosos da sereia apontavam, resolutos, o balanço. Humilhado e sem forças para mais disputas, deixou o homem os chinelos na praia e entrou titânico oceano adentro na direção do balanço escolhido.
Ao sentá-la no brinquedo, o choro cessou instantaneamente. Posicionado por detrás, o pai puxou as correntes, que salpicaram os últimos resquícios de chuva na menina. Marolas redondas esquivavam-se do centro do oceano telúrico. Netuno jubilava-se. E ela, agora, era toda Sol.
Saulo Pessato
Enviado por Saulo Pessato em 14/07/2015
Código do texto: T5310506
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Saulo Pessato
Campinas - São Paulo - Brasil
2835 textos (65567 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/01/20 05:43)
Saulo Pessato