Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

METADE DE UM DIA



Depois de tomar o seu café, pensou consigo: Levanta dessa cadeira e começa a agir!
De pronto passou a mão num pano de pó e numa vassoura. Enquanto ia limpando os móveis, também acudia as teias de aranha nas paredes, para em seguida varrer o chão. Assim pela casa toda, que não é pequena, diga-se de passagem e também, por onde passava, ia arrumando as camas que estavam desfeitas...

Depois veio com o balde com água e um produto bem cheiroso, passando pano em todos os cômodos, duas vezes seguidas trocando a água, para que ficasse tudo bem limpinho.

Lavou os três banheiros da casa!

Feito isso, restava a área externa da frente, a cozinha e o quintal dos fundos para limpar.
Lavou o cimentado lá da garagem, recolhendo os cocôs da cachorrinha, molhou as plantas do jardim com a mangueira, varreu em volta da casa e rumou para a pia da cozinha.

Ali lavou as louças do café da manhã, secou e guardou tudo. Em seguida começou a colocar roupas na máquina para lavar, tinha se esquecido de fazer isto primeiro. Limpou o fogão da gordura do dia anterior, deixou brilhando. A seguir, varreu, jogou água com sabão no chão da cozinha inteira, esfregou, enxaguou, secou e deixou tudo impecável.

Estava na hora de pensar o almoço. Já tinha de véspera separado a carne para descongelar - naquele dia seria frango assado com batatas, mas precisava de mais alguns vegetais e resolveu-se por salada de rúcula com agrião e tomate, bem acebolada. Lavou as folhagens e o tomate, cortou na tábua sobre a pia, arrumou numa travessa.

O feijão tinha que ser cozido. Adiantou-se com a panela de pressão...
Faria arroz também, embora as batatas suprissem essa necessidade. Ficou em pé ali no fogão, um bom espaço de tempo.

A família, que tinha saído ou para o trabalho ou para os estudos, começou a chegar.
__ Rita, você pode retirar a roupa da máquina e colocar no varal, fazendo o favor? Perguntou a mãe à filha adolescente, já cansada de tanto afazer.
__ Não, mãe, não me pede nada agora. Eu vou ler as minhas mensagens do zap! Respondeu a mocinha, entrando para o seu quarto.

Mas Antônio, o marido, estava chegando e em silêncio, colocou as roupas para secar.

Albertinho entrou em casa, com o boleto da van que o levava e trazia da escola. Entregou para a mãe.
__ Dê para o seu pai, quando ele desocupar...

Mesa posta, franguinho assado cheirando a casa toda, Dirce chama para o almoço.
Todos se sentam ao redor da mesa, mas com quase nenhuma conversa.

Antônio tomou sua refeição e foi esticar as pernas no sofá da sala, assistindo o jornal pela televisão. Rita de novo às voltas com o zap. Albertinho procurou o vídeo game e sumiu lá para dentro.

Dirce tirou a mesa, começou a lavar as louças e as panelas, retirando as comidas e acondicionando em vasilhas plásticas para irem à geladeira.
Uma pilha enorme de coisa suja, que ela foi vencendo devagar...
Em seguida, o mesmo ritual, secar, guardar e limpar o chão e o fogão novamente.

Perto das 14:00 h, a casa começou a esvaziar de novo. Rita para a natação, Albertinho para o inglês e Antônio de volta para o escritório.
Dirce foi colocar ração e água fresca para a cadelinha.

Às 16:00h, resolveu fazer-se um café. Precisava daquilo para reequilibrar o seu ânimo.
Estava só na metade da jornada, que só terminaria depois do jantar e que todos já estivessem deitados para dormir, o que geralmente se dava bem tarde da noite.

Com os pés e pernas exaustos, depois de um banho bem morninho, olhou-se no espelho do banheiro e disse baixinho, dando para si mesma uma piscadinha:
__ Ânimo, amanhã será igual!
Ene Ribeiro
Enviado por Ene Ribeiro em 06/10/2019
Código do texto: T6762896
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Ene Ribeiro
Goiânia - Goiás - Brasil, 57 anos
18184 textos (292165 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/01/20 06:14)
Ene Ribeiro

Site do Escritor