Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
          28 de julho de 1971. Noite fria. Nossa casa estava cheia de vizinhos. Na mesa de jantar bolos, tapiocas, cuzcuz, pão de queijo, café, leite e chá. Naquela época nem todas as casas tinham televisão, então era normal sempre vir alguém assistir a novela, o jornal. Nesse dia tinha muita gente e a agitação era grande. O motivo: assistir o programa Pinga Fogo com Chico Xavier.
          Quero abrir um parentese aqui: nossa família era católica e íamos a missa todos os domingos. Lembro de uma beata perguntar a meu pai quem era este senhor.
- O maior médium do Brasil, quiçá do mundo d. Chiquinha. - respondeu meu pai rindo -
          O Pinga Fogo era um programa em que os entrevistados, celebridades da época, eram bombardeados com perguntas difíceis e às vezes constrangedoras, levando alguns deles às lágrimas. Meu pai não perdia um programa.
- Pai, posso assistir? perguntei.
- Pode sim meu filho.
          Sentei no colo de meu pai e quando o programa começou, todos ficaram em silêncio. Claro que não entendi nada do conteúdo do programa, mas Chico Xavier ficou marcado na minha memória. Achei-o feio, sem graça, esquisito, mas lembro de ficar fascinado com sua voz suave e tranquila. Assisti o programa inteiro sem pronunciar uma palavra.
          O tempo passou.
          Hoje ciente da importância de Chico na doutrina espírita, que conheci através dele e de Kardec e me apaixonei, fico me perguntando se ele tinha alguma idéia de quantos corações ele tocou participando daquele programa. Eu tinha oito anos e mesmo sem entender nada do que estavam dizendo, assisti até o final.
          Na hora de ir embora d. Chiquinha foi taxativa.
- Gostei desse Chico. Mas será que isso é coisa de Deus meu filho?
- É ciência d. Chiquinha, ciência. - respondeu meu pai rindo -
- Cruz credo.
          Quanto tempo se passou desde aquele Pinga Fogo e até hoje tenho na minha memória tudo que aconteceu naquela noite. Nada se apagou. Chico era assim: Inesquecível.
Giusepper
Enviado por Giusepper em 14/02/2020
Código do texto: T6866333
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Giusepper
Taguatinga - Distrito Federal - Brasil, 56 anos
81 textos (2328 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/02/20 04:28)
Giusepper