Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Vilarejo Superno - Aumentando o Time

Titus estava terminando o alongamento com os meninos, para liberá-los para o almoço quando o homem adentrou pelo portão e foi até eles.

- Wenceslao, meu compadre, que visita boa. Como estão todos? – disse alegremente indo de encontro ao visitante.

- Estamos bem. E por aqui?

- Tudo ótimo.

- Oi tio Lalao. – disse os gêmeos em uníssono.

- Olá meninos! Treinamento pesado?

- Não muito. Somos fortes. – respondeu Valentino e os gêmeos mostraram os músculos pequenos.

- Nossa! Como cresceram. – brincou o homem sorrindo. – Vim até aqui conversar um pouco sobre treinos e te fazer um pedido. – retornando a Titus.

- Claro, vamos nos sentar e tomar uma bebida. – E voltando-se aos meninos. – Vão se lavar e ajudar sua mãe a terminar o almoço. E peça para sua mãe trazer algo para nós bebermos.

Os meninos saíram correndo para dentro de casa e Titus convidou Wenceslao a sentar-se no banco. A espera da bebida.

- Então, vamos lá. O que deseja.

- Primeiro gostaria de saber como está sendo o treinamento dos meninos, estão em que estágio?

- Avançados. Não consigo entender a energia e o desenvolvimento deles sendo tão pequenos.

- Como assim? Você os sobrecarrega?

- Se dependesse de mim eles ainda estariam em alongamentos e percepção. Mas já fazem exercícios de força bruta, agilidade, mapeamento, resistência. Eles carregam mais lenhas que eu quando tinha a mesma idade. E eu achava que meu pai me sobrecarregava. – disse surpreendendo o compadre.

- Mas então, eles estão treinando como garotos mais velhos.

- Garotos de quase dez anos, eu avaliaria.

- Então, ficaria seguro e grato se aceitasse meu pedido. Aliás, pedido do Vito. Ele quer treinar com os gêmeos. Seria possível?

- Claro que sim, mas ele já iniciou os treinamentos? Já está com cinco não é mesmo?

- Sim, cinco. Mas é um fracote. Não sabe nada. Só quer saber de atormentar Eloísa o dia todo. Quero que ele treine pesado com os meninos para aprender a ser homem. Um dia será o homem da casa e deve saber como proteger sua família.

Titus não gostou muito do que ouviu. Jamais foi tão crítico com as molecagens dos filhos e achava relativamente absurdo ser tão opressor dessa maneira, não compartilhava com os mesmos pensamentos que seu compadre.

- Claro que sim! – disse com alegria. – Pode pedir para ele vir hoje à tarde. Como eu deixei os meninos de castigo tendo que ajudar Alba nas tarefas de casa, hoje à tarde eu passarei exercícios mais leves. Assim, posso iniciar Vito da maneira adequada.

- Que ótimo compadre. Fico muito agradecido. Não tenho muito entendimento sobre isso, prefiro o campo. Cuidar da terra é meu destino.

- Olá compadre, como estão todos por lá? – disse Alba chegando com as bebidas.

- Oh comadre, obrigado. – disse pegando sua caneca. – Estamos bem. E por aqui, noto que muito bem.

- Ótimos. – respondeu sorrindo.

Conversaram um pouco a luz do sol e logo Alba entrou para alimentar as crianças e cuidar de Cicely. Wenceslao voltou para casa e avisou a Vito que ele iria treinar com os gêmeos. Causou grande alegria em todos.

Vito chegou no horário combinado. Titus e os gêmeos já estavam se alongando. Os meninos ficaram exaltados em ver que teriam a companhia do melhor amigo. Valentino o abraçou fortemente, recebendo a mesma intensidade. Adrián bateu em suas costas e disse que adoraria treinar com ele. Os meninos voltaram ao alongamento e logo todos notaram o despreparo de Vito.

Valentino se dispôs a auxiliá-lo com os alongamentos, explicando quais eram os movimentos e para quê serviam. Vito estava tímido com os toques de Valentino, pois era menor e sabia mais que ele. Porém não o freou, deixou que explicasse um por um e depois voltaram a fazer em grupo.

Titus iniciou os meninos com o treinamento de agilidade, tendo que dar a volta na casa três vezes. Novamente disse que não se tratava de competição e que os meninos deveriam tomar cuidado, já que Vito estava iniciando os treinos. Titus sentou no banco e pegou o cronometro. Pediu que eles se preparassem e deu a largada. Os meninos correram juntos, os gêmeos completaram a primeira volta juntos e logo atrás veio Vito. Que respirou fundo e acelerou os pés, alcançou os gêmeos e sorriu levemente a Valentino, recebendo o sorriso de volta. Chegaram juntos e iniciaram a terceira volta, Vito foi parando aos poucos e logo atrás da casa arqueou os joelhos e os amparou com as mãos. Abaixou a cabeça e respirou ofegante.

Valentino o notou e voltou para verificar se estava bem. Logo depois, eles chegaram atrasados à largada. Adrián estava sentado ao lado do pai, tomando água e respirando profundamente, para recuperar o fôlego. Titus os observou juntos estranhou o comportamento dos meninos, como se um se doasse ao outro. Balançou a cabeça e foi até os meninos.

- Já esperava que Vito perdesse a corrida, mas o que houve com você Valentino? Porque Adrián ganhou de você tão bruscamente?

- Eu voltei para ajudar o Vito.

- Sabe meu filho, muito nobre de sua parte ajudar quem precisa, porém precisa aprender que em uma competição quem está ganhando não pode se deixar levar por sentimentos nobres e perder as honras.

- Mas o senhor nos disse que não era uma competição. – rebateu ingenuamente.

- Você está certo meu filho, me perdoe. – abraçou Valentino e encaixou-o embaixo do braço e saiu até onde estava Adrián. – Venha Vito, vamos beber água antes de continuar o treinamento.

Os meninos se hidrataram e Titus passou o treinamento de força, carregar lenha do local onde se cortava lenha até a entrada e depois levá-las até o agrupamento de lenhas. Acabando as lenhas, Titus os colocou de fileira, Adrián, Valentino e Vito para que iniciassem o levantamento de pesos com alguns objetos de diferentes tamanhos. Colocou uma âncora velha, tamanho mediano, de ferro fundido para Vito que a levantou com grande dificuldade. Valentino sorriu quando, finalmente, Vito levantou a âncora.

Titus disse que os treinamentos estavam acabados e passaria a pensar nos próximos. Dispensou os meninos e chamou Vito para conversar. Sentou-o no banco e disse a ele que era necessário mais treino individual, para que ele conseguisse ainda aquela semana chegar ao nível dos gêmeos, para que ele não ficasse para trás em todos os treinos.

- Está bem padrinho, eu vou treinar em casa.

- Ótimo. Vejo você amanhã as sete para o treinamento matinal?

- Claro que sim. Eu adorei treinar com vocês hoje. Muito obrigado padrinho. – disse alegre, abraçando o padrinho com força.

Vito voltou para casa e notou surpresa nos olhos da mãe e da irmã.

- O que foi?

- Não foi nada meu filho. Estou feliz por seus treinamentos. Agora vai se lavar e venha comer. Preparei sua comida favorita.

- Batata-frita? – disse exaltando-se. E pulou de felicidade quando sua sugestão foi confirmada. Correu ao quarto de banho e voltou minutos depois reclamando de dor, mas com um grande sorriso nos lábios.
Batista Andrade
Enviado por Batista Andrade em 05/11/2019
Código do texto: T6787559
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Batista Andrade
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 26 anos
185 textos (6441 leituras)
4 e-livros (114 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/11/19 20:55)
Batista Andrade