Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O 172º Aniversário

Calçou os chinelos e imediatamente percebeu que a temperatura do pé direito estava dois graus acima do programado. Lembrou que precisava fazer download da nova versão.

Após, dirigiu-se ao banheiro, pois estava ansioso para experimenta a nova cadeira três funções. Mas assim que abriu a porta, a imagem alográfica da mãe, esposa e filho desejaram-lhe em coro um feliz aniversário. Foi à maneira que a família encontrou para cumprimentá-lo, ou seja, estavam há treze segundos luz de casa aproveitando as duas semanas de sol, destinadas a cada cidadão conforme rodízio universal.

Ficou muito feliz por ser lembrado pelo aniversário, mas concentrou-se no novo banheiro. Sentou-se na cadeira, que imediatamente identificou suas necessidades fisiológicas e higiênicas, cada qual no seu tempo e temperaturas pré-determinados. Enquanto a cadeira efetuava as tarefas, percebeu que estava diante do espelho e começou observar suas olheiras.

Inicialmente teve algumas dificuldades em se adaptar ao programa que fazia a escovação dos dentes, bem como com a suavidade do barbear, mas estava satisfeito com a nova aquisição.

O aroma do café invadia o ambiente, enquanto Xb3s preparava duas torradas, embora não recomendadas para sua saúde. Era um vício trazido lá do século 21, que não estava disposto a abandonar.

Lembrava de sua infância, em que o café da manhã podia ser degustado em uma mesa cheia de “venenos”; como pão, geléias, manteigas, café e leite. Mas havia as frutas..., Ah! o que não daria por uma fruta natural. Sabia que havia algumas disponíveis no mercado negro, geralmente oriundas de roubos dos museus naturais. Quem sabe um dia desses ainda poderia saciar essa vontade.

Mas como hoje era seu aniversário, precisava checar as câmaras, a linha de satélite e todo o equipamento do salão nobre, pois na grande confraternização da noite, não poderia deixar ninguém sem conexão.

Era a oportunidade de rever velhos amigos distantes, como alguns que estavam há vários meses luz, e especialmente relembrar as velhas festas do século passado.

A trilha sonora seria a grande atração da festa, pois após vários anos luz, finalmente conseguira localizar preciosas coletâneas da segunda metade do século passado.

Lembrou ainda, que precisava visitar a fábrica porque havia problemas na linha de cápsulas de jantar sabor lagosta. Poderia utilizar o tele - transportador, mas queria aproveitar o dia, que apresentava índices de qualidade do ar possíveis de respiração. Abandonar o oxigênio artificial e respirar os ares da rua, enquanto dirigia o próprio flutuador até a fábrica, lhe parecia uma ótima idéia.

Rapidamente fez os ajustes necessários para restabelecer a produção. Quando se preparava para retornar, a secretária comunicou que havia uma nuvem de fumaça tóxica se aproximando e o trânsito de flutuadores havia sido suspenso. Retornou então pelo tele - transportador, e ao chegar, encontrou um RememoreX5000 dourado sobre a mesa, parecia-lhe familiar mas não se deteve, simplesmente pensou que poderia ser algo para a gravação das festividades da noite.

No entanto, horas depois, sentiu as primeiras ações do Epitaféx. O Epitaféx era o vírus que dava inicio ao processo de passagem para o novo estágio evolutivo. Primeiramente todos os principais momentos da vida eram relembrados, permitindo que a vítima pudesse avaliar sua vida terrena. Após, iniciava-se um processo de transferência de arquivos para a o RememoreX5000, onde ficariam guardados para serem restaurados na próxima passagem pela terra. Os que tinham saldo positivo, era permitido gravar uma pequena mensagem final que seria transmitida aos entes queridos após sua partida.

Charles tivera uma vida dedicada ao bem estar da humanidade. Sua característica principal era a caridade, talvez essa fosse a razão de haver conquistado um saldo positivo. O processo de avaliação do saldo, ainda era um mistério, atribuído a uma mente superior.

Em pouco micro segundos luz, estava permanentemente desligado do mundo material. Sua alma estava livre para no outro plano lembrar e quem sabe reviver o tempo em que o planeta terra, era habitado por humanos iguais a ele.

Infelizmente não conseguiu comemorar seu 172º aniversário, mas partia feliz com a sensação do dever cumprido, um privilégio de poucos em todos os tempos.

Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 28/01/2007
Reeditado em 17/05/2008
Código do texto: T361642
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Jair A Pauletto
Passo Fundo - Rio Grande do Sul - Brasil
912 textos (218812 leituras)
1 e-livros (2849 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/20 00:47)
Jair A Pauletto

Site do Escritor