Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU SURFISTA MISTERIOSO (Cap.1)

O avião aterrissou em Salvador pela manhã e Joana logo se apressou a pegar sua pequena mala no salão de desembarque. Ficaria dois dias e meio na cidade e não conseguia guardar para si a ansiedade. Promovida há a pouco tempo para um importante cargo na empresa onde trabalhava, não fora exatamente uma surpresa quando a convidaram para ser uma das palestrantes em um importante congresso na área de vendas.
Um funcionário da empresa de eventos a esperava no aeroporto para conduzi-la ao resort onde se hospedaria e também teria lugar o congresso. Joana não estava muito acostumada com aquele tipo de mordomia, mas achou o máximo ser tratada com toda a deferência possível. Tudo era muito novo e motivador para ela.
Joana trabalhava na área de vendas de uma das maiores lojas de departamentos do país. Desde a sua promoção, cinco meses antes, o trabalho tomava conta de maior parte da sua vida. As múltiplas atividades fizeram com que Joana colocasse em segundo plano o lado pessoal. Mas ela não se importava. O evento em que participaria como uma das palestrantes principais era sua grande recompensa e onde, finalmente, teria chance de mostrar o seu valor. De dentro do carro onde era conduzida para o resort, Joana respirou fundo e fechou os olhos. Em breve viveria grandes momentos. E estava ansiosa por isto.
Já na chegada ao resort, Joana foi apresentada ainda no balcão da recepção a alguns participantes do seminário, que começaria à tarde. A sua palestra seria no outro dia a partir das catorze horas e ela esperava ter temposuficiente para repassar alguns pontos. Depois de conversar rapidamente com colegas de outras partes do país, Joana foi conduzida ao seu quarto. Sim, teria que dividir com alguém e isto a deixara um pouco mal-humorada. Mas enfim... não seria por tanto tempo assim. Joana cruzou os dedos para que sua parceira de quarto fosse uma pessoa legal.
Ao conhecer Simone sua opinião mudou. Sua colega e companheira de quarto era uma moça muito agradável e simpática, aparentando uns 30 trinta anos, a mesma idade que Joana. Logo Simone tratou de deixar Joana à vontade. Já ouvira falar sobre Joana e as referências eram as melhores possíveis.
— Estou muito feliz de estarmos juntas aqui, Joana. Sua palestra está sendo muito aguardada por todos!
Joana, que desfazia a mala naquele momento, fez força para manter a humildade. Sua carreira profissional era tudo para si naquela atual fase da sua vida.
— Puxa, muito obrigada! Também estou muito contente de estar aqui. É ótimo conhecer gente nova e trocar ideias. Sabe como é, ficar muito tempo trancada dentro de uma sala não é muito enriquecedor.
— Este lugar é maravilhoso. Cheguei hoje bem cedinho e aproveitei para dar uma volta pela praia. — Simone consultou o relógio. Recém eram 11 horas da manhã. — Quer fazer um reconhecimento local? Temos tempo até o almoço e o seminário só inicia às 15 horas.
— Eu adoraria!
Vinte minutos depois, vestindo uma bermuda comportada e uma bata, Joana acompanhou Simone em um breve passeio pela beira da praia. Ela se sentia encantada com o sol forte e a paisagem deslumbrante.
— Sabe há quanto tempo eu não vejo o mar? Não tiro férias há dois anos!
— Ah, eu adoro água salgada — riu Simone quando uma onda veio lamber seus pés. — Acho que assim que eu conseguir uma folga, trago meu noivo para Salvador!
Joana sorriu amarelo. A vida profissional era um sucesso, mas a pessoal… um fracasso absoluto. Desde que rompera com o cretino do Leandro, nunca mais Joana se interessou por alguém. A separação tinha sido traumática. Joana o flagrara com a prima dela, na cama, em pleno churrasco de comemoração do aniversário de 80 anos da avó. Foi um horror. Alguns barracos depois, Joana decidiu focar somente no trabalho. A traição de Leandro lhe rendera 10 quilos a mais na balança e um trauma na área amorosa. Joana prometera para si mesma que nunca mais iria se apaixonar por ninguém.
— Você já conhecia Salvador?
— Sim — disse Joana tentando afastar os pensamentos perturbadores da mente, — mas sempre vim aqui a trabalho. Diversão, nunca.
— Ora, traga seu marido para cá! Tente tirar umas férias!
Ainda constrangida, não restou outra coisa a Joana senão dizer:
— É uma ótima ideia.
Ambas continuaram caminhando mais um pouco pela areia. O passeio foi bom para Joana descontrair e sentir-se também menos ansiosa para a palestra. Sua participação estava sendo aguardada com expectativa pelos participantes do evento. Quando retornaram ao resort, Joana teve alguns momentos de celebridade. Várias pessoas se aproximaram dela para lhe cumprimentar e paparicar. A sensação foi ótima e Joana conseguiu esquecer os fantasmas do passado recente. Já no quarto, ela se analisou no espelho. Não era uma mulher feia, pelo contrário. Os cabelos louros e ondulados caíam até os ombros. O peso ainda um pouco acima do ideal já não lhe incomodava tanto agora. Ajeitou os óculos, encolheu um pouco a barriga e disse para si mesma que a sua estadia no resort seria inesquecível.
Patrícia da Fonseca
Enviado por Patrícia da Fonseca em 22/07/2015
Reeditado em 24/07/2015
Código do texto: T5320159
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
Patrícia da Fonseca
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 49 anos
646 textos (48893 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/01/20 17:49)
Patrícia da Fonseca