Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A fazenda Hills

Ryan Hills levantou cedo e foi direto para o seu haras ver seu cavalo, Dominic, quase um filho para Ryan que sempre sonhou em ter um filho, mas nunca o realizara, pois sua esposa Susan não podia ter filhos. Ele toda manhã acordava e cuidava muito bem de seu companheiro. A fazenda era uma herança de seu falecido avô, Jimmy Hills um apaixonado pela natureza. Jimmy vivera 35 anos de sua vida na fazenda com sua esposa Isadora, e os antigos caseiros diziam que a morte deles havia sido um mistério, pois os dois foram encontrados jogados na casa de hóspedes só com o corpo intacto pois a cabeça de ambos havia sido retirada.Por um bom tempo os caseiros tiveram que voltar várias vezes a polícia para deporem mas não foram culpados e o caso acabou ficando esquecido.Passado muito tempo Ryan e sua esposa foram morar na fazenda e chamaram de volta Siron e Juliet para cuidarem do terreno, os mesmos caseiros que servirem fielmente por anos seus avós.
   Susan levantou um pouco depois e foi até o haras onde encontrou Ryan mimando seu cavalo e perguntou:
- Já tão cedo bajulando ele meu amor?
- Bom dia meu favo de mel. Sim, quero ver Dominic hoje em forma pra correr essa fazenda toda comigo.
- Claro muito bom se exercitar. Eu vou a cidade comprar algumas coisas para esperarmos os Fullen e também a sua família meu bem, pois eles disseram que estariam aqui antes do anoitecer não se esqueça.
-Pode deixar!
Os dois trocaram um beijo apaixonado, depois Susan deu um afago rápido em Dominic e pegou o carro.
Ryan estava distraído limpando o celeiro de seu cavalo que mal percebeu a entrada de Siron que o chamava:
- Sr. Ryan, o café está na mesa.
-Obrigado Siron. Já estou indo. Mas antes queria te fazer uma pergunta.
-Mas é claro meu Senhor O que foi?
- Siron, me conte um pouco mais do meu avô. Sei que vocês não gostam de lembrar daquela época, as lembranças, os fatos, sei o quanto é difícil lidar com isso, mas eu quero muito saber mais dele. Incomoda-se em falar comigo?
- É deveras chocante lembrar tudo meu Senhor Mas eu falo, seu avô era um homem que eu admiro até hoje mesmo não estando mais conosco. Ele era um apaixonado pela natureza, cuidava desses cavalos com tanto zelo, das plantas, enfim de tudo, a fazenda era a vida dele. Ele sempre falou no sonho que tinha de deixar todo esse legado para o Senhor
- Siron, eu tenho que te perguntar, você acha que meu avô tinha inimigos?
Quando ele ia esboçar uma resposta ouviram Juliet gritar:
-Siron, onde está você? Já chamou o Ryan?
Os dois deram meia volta e voltaram pelo caminho das orquídeas próximo ao lago para retornarem ao casarão. Não tocaram mais no assunto e entraram juntos para se sentarem a mesa com Juliet. Conversaram, riram se divertiram como uma família unida. Depois de um tempo escutaram o carro de Susan encostando e Ryan foi até o portão recebê-la. Enquanto isso Siron voltou ao haras para fechar a porta que Ryan havia deixado aberta. Entrou, arrumou tudo lá dentro e se encaminhou para fechá-las quando notou um emaranhado de fios próximo a lateral da parede que nunca tinha reparado antes. Foi até lá e começou a removê-los, quando notou certa discrepância no chão em relação ao solo normal do haras. Então colocou sua mão ali e sentiu que era diferente. Pegou uma pá no armário do estábulo e começou a cavar, cavou bastante até descobrir uma pequena caixa. Olhou assustado imaginando quem a teria enterrado ali, e logo a abriu: Dentro ele viu um pedaço de papel que ele tratou de abrir logo, quando leu, caiu pra trás num rápido solavanco. Estava escrito:
- Saiam daqui, nunca mais voltem, salvem suas vidas.
Ass. JH
Siron ficou pensativo e ao mesmo tempo aterrorizado, quando viu aquela assinatura JH o nome de seu melhor amigo e patrão, Jimmy Hills veio rapidamente em sua cabeça. Algo terrível tinha acontecido e mesmo assim seu patrão tentara salvar sua vida e de sua esposa deixando aquele bilhete, mas eles por sorte acabaram saindo da fazenda no mesmo dia da morte dele. E agora ficava pensando, do que Jimmy tentava protegê-lo? Siron deu uma busca rápida pelo estábulo, por todo o haras tentando encontrar mais alguma pista e nada. Ele andava de um lado para outro com as duas mãos na cabeça desesperado por não ter protegido Jimmy na época, nunca podia imaginar que algo tão brutal pudesse acontecer dentro de um ambiente familiar tão bom, tão feliz. Dominic relinchou bastante interrompendo os pensamentos de Siron e ele foi logo alimentar ele. Depois o trancou novamente em sua casinha e saiu. Quando chegara em casa Ryan e Susan sobiam e desciam as escadas guardando as coisas que ela havia comprado na cidade. Juliet estava na cozinha lavando a louça do café e Siron foi ao seu encontro lhe dar um apertado abraço. Ele falou:
- Meu amor, eu te amo demais. Prometa-me uma coisa, sempre que você achar que tem alguma coisa errada nessa casa ou se sentir em perigo você me contará?
- Siron, que papo estranho é esse homí? Já andou bebendo logo pela manhã?
-Querida, por favor! Só me promete isso vai, você me conta?
- Ta bom eu prometo! Agora deixa de bobagens e me ajuda aqui. Ah meu amor, tenho uma notícia, o Billy ligou e disse que está vindo para cá, ele conseguiu umas férias do serviço dele na casa dos Ruppers e virá passar o fim de semana conosco.
- Que notícia boa, estava com muita saudade do meu filho! Não o vemos desde aquela tragédia não é mesmo?
- Sim meu bem! Agora venha me ajudar.
Os dois continuaram lá fazendo o serviço da cozinha e Ryan foi até o portão da frente atender a campainha que soava alta. Ele abriu e era Billy, que exclamou:
- Tio Ryan, não acredito, quanto tempo! E logo deu um abraço em Ryan que retribuiu na mesma alegria. Billy era filho de Siron e Juliet e tinha um carinho enorme por Ryan, o chamava de tio, pois Ryan brincava muito com ele no tempo em que passava as férias na fazenda com o avô.
Eles entraram em casa, Susan veio abraçá-lo, depois Juliet e Siron. Todos muito felizes com a presença dele. Logo depois a campainha tocou novamente e eram os Fullen um casal de amigos de Ryan e Susan, eram Marie e Roger com seus filhos, David e Melissa. Todos se cumprimentaram e entraram na casa. Susan os levou até piscina enquanto novamente a campainha tocou, chegou o padre Matias Ferrer, depois o xerife Villar veio visitar seu amigo Ryan e por fim um casal de amigos do avô de Ryan, o falecido Jimmy Hills. Eram Terry e Alyna. Falaram com Ryan e entraram na casa também. Todos foram encaminhados para piscina onde logo foram servidos de sanduíches e alguns drinques. Conversavam se conheciam, e algumas vezes até lembravam a trágica morte do casal Hills. O padre Matias Ferrer saiu para dar uma caminhada na fazenda e aproveitar para fumar, um péssimo hábito que não conseguia largar. Cada passo que dava naquela terra molhada sentia o cheiro daquele capim, e o passado vinha a sua mente, 10 anos atrás estava naquela mesma fazenda quando viu seu grande amigo Jimmy morrer daquela forma trágica, tudo parecia ainda recente em sua mente, muito, mas muito aterrorizante. Ele continua andando, mas parecia estar escutando alguma coisa, como se alguém o estivesse seguindo. Ele parou olhou pra trás, olhou para os lados e não viu nada, apenas o barulho do vento a sibilar. Ele passava pela famosa caverna real, uma parte afastada da fazenda perto da cachoeira onde Jimmy não deixava ninguém entrar e muitos cogitavam que ele pudesse estar escondendo uma fortuna de dinheiro ou tesouros lá, mas a verdade é que ninguém ousava entrar. Então quando Matias foi se inclinar para olhar dentro da caverna sentiu algo queimando rapidamente em seu pescoço e não viu mais nada, seu corpo caiu no chão com tamanha rapidez que apenas bateu contra uma pedra e apagou. O sangue começou a escorrer rapidamente de sua cabeça e nada mais se via ali. O homem jazia morto perto da entrada da caverna.
Uma pessoa toda vestida dos pés a cabeça se aproximou do corpo retirou o machado que havia usado para matar o padre jogou dentro da caverna e sumiu dali.
Os convidados estava na piscina, e alguns na beira em cadeiras, comendo, bebendo e conversando bastante. Próximo a uma muretinha estava Melissa fumando quando viu Roger chegar ofegante pelo gramado. Ela virou pra ele assustada e perguntou:
- Onde você estava Roger?
- Fui dar uma corrida pra espairecer minha mente. Isso aqui tá um tédio só tem gente chata.
-Você sabe como o pai tem consideração pelo Ryan, né?Vamos fazer isso por ele.
- Só espero que isso termine o quanto antes.
Melissa ria do irmão e conversavam se entretendo normalmente.
O Xerife Villar chegava a porta dos fundos da casa da piscina para continuar sua conversa com Terry, que lhe perguntara:
- E então Xerife? Encontrou sua insígnia?
-Não! Procurei por vários canteiros aqui perto e nada. Nessa fazenda imensa será quase impossível de achar.
-Você demorou tanto que achei que a tivesse encontrado.
-Infelizmente não, mas deixa pra lá, depois faço uma busca com o Ryan com mais calma. Mas me diga Terry, você joga poker? Os rapazes estão pensando em fazer um torneio hoje a meia noite em ponto dentro da caverna, não sei se você lembra a história de que Jimmy talvez tivesse uma fortuna escondida lá dentro. Parece que o Ryan, quer organizar um torneio, e a dupla vencedora entrará lá pra descobrir se realmente tem algo e se tiver os vencedores ficarão com o prêmio. Muito bom, não acha?
-Xerife, me perdoe a franqueza, mas o Sr. não acha que se Jimmy não queria que ninguém entrasse lá, talvez ajo algo perigoso lá dentro?
O xerife começou a rir continuamente e então os dois ficaram só bebendo e não trocaram mais palavras.
Billy, Siron, Juliet e Ryan, estavam próximo a churrasqueira conversando bastante, enquanto Susan, Marie e Alyna botavam as fofocas em dia. Já passavam das 23h30min a noite ia caindo e o dia estava cada vez mais frio. Ryan lembrou subitamente de que o Padre Matias Ferrer havia lhe pedido um bom pedaço de picanha quando estivesse pronta e foi procurá-lo para lhe servir, mas não o encontrava. Foi até Roger e Melissa perguntar, mas os dois apenas balançaram a cabeça de forma negativa, pois não o tinham visto.
Depois ele foi até o Terry e o Xerife e perguntou:
- Rapazes, vocês viram o padre Matias?
- Não Ryan, ele não estava com vocês na churrasqueira?
- Sim mas ele me disse que ia dar uma volta pra acabar de fumar um cigarro e voltava pra comer um pedaço de picanha. Já faz um bom tempo e ele não voltou. Vocês podem dar um apoio pra Susan que eu vou procurar ele?
 - Não Ryan, você não vai sozinho. Eu vou com você! Respondeu o Xerife. Não quero você andando isso aqui sozinho essa hora da noite. Afinal se acontecer alguma coisa com Matias, tenho que ajudá-lo, pois eu estou armado.
-Mas você está achando que..?
-Não sei Ryan. Algumas coisas estão me preocupando. Vamos logo. Terry poderia dar o suporte pra Susan, por favor?
-Claro, podem ir! Qualquer coisa liguem em meu celular que vou até vocês.
O pessoal estava se divertindo mas o xerife Villar e Ryan Hills estavam tensos e enquanto andavam com lanternas pela fazenda o xerife, parou Ryan e falou:
-Ryan, o Terry me falou sobre o torneio que você esta organizando pra hoje daqui a meia hora, você falou isso com todos que estão aqui hoje?
- Sim Villar, mas qual o problema?
- Terry me disse que o vencedor do torneio poderá entrar na caverna pra procurar o prêmio. Você já parou pra pensar se algumas pessoas quiserem pegar esse prêmio antes? E tem mais coisa que passou pela minha cabeça, voltando anos atrás naquela noite fatídica do seu avô, será que quem o matou estava atrás disso?
-Então Villar, você tá me dizendo que acredita que um de nós aqui hoje pode ter matado o meu avô?
- Eu acredito nisso sim Ryan, na época que investiguei a morte de Jimmy eu sempre falei que não acreditava na hipótese de uma pessoa de fora ter feito isso.
Os dois continuavam a caminhar pela fazenda e se aproximavam da ala leste onde ficava o grande salão de jogos.
Enquanto isso na casa de piscina, todos continuavam num clima de festa com muita euforia, mas Terry estava angustiado, imaginado como estavam seus amigos Ryan e Villar e decidira ir atrás deles. Ele pegou uma lanterna no depósito da casa de hóspedes da piscina e foi mata adentro pela fazenda procurando por eles. Começou a gritar seus nomes:
-Ryan! Villar!
Gritou várias vezes e ninguém respondia, e ele se aproximava cada vez mais da ala Sul da fazenda, próximo ao estábulo, onde ouviu um barulho. Ele foi correndo pra lá ver se os encontrava e quando chegou viu o cavalo, Dominic bem agitado as luzes do haras todas acesas e umas caixas reviradas no chão. Ele viu um rastro de sangue e chegou perto para tocar, viu que ainda estava quente, se desesperou temendo pelo pior, mas continuou seguindo e foi até um baú no final do haras onde o rastro acabava. Ele abriu o baú e teve uma surpresa muito desagradável. Era o corpo do padre Matias Ferrer. Ele gritou desesperadamente. Quando virou pro lado pra correr e avisar a todos, viu as luzes do haras se apagarem todas ao mesmo tempo repentinamente. Ele foi ficando com um frio na espinha e começou a se esgueirar pelos cantos das paredes. Ouviu algo atrás dele e quando se virou:
-MIAUU! Um gato persa passou correndo por entre suas pernas e saiu com muita rapidez. Sua respiração estava bastante ofegante e ele queria sair o mais rápido possível, mas tinha algo que o preocupava uma impressão muito grande de que alguém o seguia. Ele perguntou:
-Tem alguém ai? Ele tentava iluminar com a lanterna, mas não conseguia ver muita coisa, ela estava muito fraca e os pontos que pegavam não ajudavam muito. Quando ele finalmente encontrou a saída e pisou num galho pra deixar o local sentiu algo forte prender o seu pescoço por trás. O susto o fez deixar a lanterna cair e começou a se sentir sufocado com uma corda envolta de seu pescoço que o apertava muito. Ele se debatia tentava se soltar, mas quanto mais força fazia mais ele ia ficando cansado, cansado, até que se entregou e a pessoa atrás dele o enforcou até a morte sem piedade.
Agora o corpo de Terry estava caído no chão com uma corda em volta do pescoço.
Alguém todo vestido dos pés a cabeça levou o corpo até a entrada da caverna e o largou lá. Depois seguiu para a casa da piscina, mas começou a escutar passos próximos ao salão de jogos e se escondeu atrás de uma pilastra. O xerife Villar estava andando de um lado para o outro dentro do salão gritando:
- Ryan, onde você se meteu? Ryan...........
Estavam juntos durante todo o percurso mas ao chegarem ao salão o xerife notara que estava sozinho.
A festa na piscina podia continuar a noite inteira naquele clima maravilhoso se algo não acontecesse. As luzes deram uma piscada forte e rápida e de repente: Blummmmmmmmmm! Um forte estouro e todas apagaram deixando a piscina iluminada apenas pela Lua Cheia que cobria aquele céu estrelado. Faltam apenas 10 minutos para a meia noite e todos ficaram nervosos. Alyna procurava por seu marido Terry e não o encontrava, Susan perguntava por Ryan e a multidão queria o xerife por perto, mas ele também sumira. Siron tentou acalmar a todos e pediu que ficassem juntos que ele sairia à procura dos outros, mas ninguém queria ficar lá sem um "líder" por perto.
Billy falou que iria com o pai, mas Siron virou-se para ele e perguntou:
-Onde você estava rapaz?
-Eu fui com o Tio Ryan procurar o Padre Matias, já faz um bom tempo que ele desapareceu. Mas eu me perdi dele e acabei voltando, tava ficando muito escuro.
-Meu filho já te pedi pra não andar sem mim por essa fazenda. Tenho que te contar algo, disse ele baixinho no ouvido de Billy.
Os dois saíram de fininho pela porta lateral e Siron falou:
-Encontrei um bilhete deixado por Jimmy naquela época que ele morreu. Estava enterrada em uma parte do estábulo perto de um emaranhado de fios. Veja só, disse ele mostrando ao filho:
- Saiam daqui, nunca mais voltem, salvem suas vidas.
Ass. JH
Billy leu aquilo e perguntou:
- Mas pai o que você está achando? Que o assassino do Jimmy voltou?
-Billy ele estava aqui na noite do assassinato e está aqui hoje denovo, essas mesmas pessoas que estão hoje aqui com o Ryan estiveram anos atrás com o Jimmy. E algo me diz que tem alguma coisa a ver...
Siron notou que estava andando tão rápido que não percebeu o sumiço de Billy. Ele ficou olhando para um lado e para o outro mas não o viu mais, só que algo o apavorou..
Ele viu uma poça de sangue próxima do seu pé, olhou rapidamente e gritou:
-Billllllyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy!
Quando ele abaixou para olhar dentro da entrada da caverna sentiu uma dor forte queimando suas costas e caiu. Viu que estava sangrando muito e quando percebeu tinha levado um tiro por trás. Ele ainda tentou se arrastar para o interior da caverna, mas viu alguém se aproximar com uma arma e quando ele tentou balbuciar:
-Mas logo você!!! Levou mais três tiros seguidos e morreu ali mesmo. Morto a sangue frio de forma cruel. A pessoa correu para dentro da caverna. O relógio central da sala da casa de Jimmy Hills anunciava o raiar de um novo dia, eram exatamente meia noite. A pessoa que havia entrado na caverna correu até uma última saliência e escorregou rapidamente antes que a passagem se fechasse. Como sabia muito bem, a caverna era uma ilusão pra esconder um grande cofre secreto que se abria sempre a meia noite de cada noite de Lua Cheia uma senha programada pelo milionário Jimmy Hills que era fanático por lobisomens e programou como LOBISOMEM a entrada para o seu cofre. E o cofre fora aberto revelando muito ouro e jóias. A pessoa tinha exatamente 13 minutos para pegar tudo que queria, sair da passagem e fugir da caverna antes que ficasse trancada lá até a próxima Lua Cheia. O número 13 não havia sido escolhido por acaso mas sim pela superstição de Jimmy que se considerava uma pessoa azarada.
O xerife Villar procurava por Ryan desesperadamente quando....Ele ouviu um estrondo na caverna, como se algo tivesse explodido e foi correndo lá pra dentro verificar. Todos que estavam na piscina também conseguiram chegar e entraram, e naquele amontoado de pessoas, todos viram que uma porta estava aberta bem no final do corredor escuro e dentro de um grande compartimento estava Ryan caído junto a um grande Cofre metalizado, com várias jóias no chão ao seu lado, e ele parecia estar desmaiado. Todos se aproximaram dele para ver e o Xerife apertou bem seu pulso, sentiu as narinas e falou:
- O Ryan está vivo! Mas parece que descobrimos quem queria roubar o cofre. E provavelmente foi ele que matou o próprio avô anos atrás tentando fazer a mesma coisa que fez hoje.
- Isso é um absurdo! Esbravejou Susan! Ela correu pra tentar atacar o xerife mas foi contida por Billy.
O pessoal perguntava pelo Padre, Alina perguntava por seu marido e Billy também perguntou pelo seu pai.
O Xerife queria acalmar a todos e controlar a situação, mas tudo estava cada vez mais complicado.Então ele tomou as rédias da situação e falou:
- Escutem todos! Eu como única autoridade hoje aqui nessa fazenda, vou manter o Ryan preso numa das jaulas vazia dos cavalos no celeiro, pra quando ele acordar interrogá-lo. E quero todos lá também, pois até que provemos o contrário qualquer um aqui pode ser cúmplice dele.
-Mas isso é um absurdo, você não sabe o que está fazendo. Ficou maluco! Todos falavam e gritavam ao menos tempo sem parar.
-CHEGAAAAAAAAAA! E disparou um tiro pro alto. Agora Roger me ajude a carregar Ryan e você Billy quero que vá até meu carro que está estacionado na entrada principal da fazenda e pegue as algemas. David vai acompanhá-lo. As chaves estão aqui, disse ele entregando a Billy. Agora vamos.
Todos foram com o xerife até o estábulo e no caminho se depararam com os corpos de Siron, o Padre Matias e Terry. Todos mortos.
Uns choravam, outros gritavam e o desespero tomava conta daquela noite que tinha começado de forma tão agradável e prometia ser fechada com alegria, com festa com um jogo prazeroso no salão, mas tudo fugira do controle. Chegaram até o haras e entraram no estábulo. O xerife disse que depois cuidariam dos corpos. Ele pediu a todos que se sentassem e tantassem se acalmar um pouco pra juntos poderem descobrir o que tinha acontecido ali, pois agora com aqueles corpos no chão, Ryan não era só um ladrão mas também um assassino.
Ryan estava deitado dentro da jaula de um cavalo que não ficava mais na fazenda, e a mesma estava vazia, era em frente a jaula de Dominic seu cavalo de estimação. Ryan estava quase acordando, mas ele parecia muito mal, olhava fixo para o Xerife Villar, tentando falar, mas sua voz falhava e Susan gritou:
- Meu Deus olhe ele está ferido!
De fato ela estava certa, o Xerife logo viu um ferimento na barriga próximo ao peito e ele sangrava. Ele entrou na jaula correndo e tampou a ferida com a mão tentando ajudar Ryan, depois pegou uma camisa velha q tinha jogado em cima de uma mesa e amarrou em volta da cintura dele tentando abafar e conter aquela perda de sangue. Ele então segurou as mãos de Ryan e falou:
- O que você fez meu filho? Porque matou aqueles três homens? Seu próprio avô? Tudo por dinheiro? Você já ia herdar essa fazenda, qualera sua preocupação?
Ryan se esforçava e então conseguiu falar:
- Corra até a entrada, não deixe Billy tirar o carro. Ele roubou os planos de segurança do meu avô, e foi naquela noite da morte dele. Meu avô sabia que tinha sido roubado e foi até o haras tirar satisfação com ele porque desconfiava de seu comportamento. Então, Siron discutiu com ele e quando meu avô ameaçou entregá-lo a polícia ele foi pra cima dele pra matá-lo, mas minha avó chegou e ele fez meu avô de refém até ela dizer a senha. No desespero ela disse, mas nesse meio tempo meu avô conseguiu esconder um bilhete a Siron o mandandoele sair da fazenda com Juliet, e esconder. Ele teve que ser breve, não pode nem ao menos dizer que Billy queria roubá-lo, naquela altura meu avô achou que fosse ser seqüestrado e não morto.
Mas Billy tentou entrar no cofre e não conseguiu porque o dispositivo só é acionado exatamente a meia noite, e quando ele voltou da caverna perguntou o porquê, mas meu avô não quis dizer e Billy matou os dois. Sem piedade, um assassino frio e cruel. Pegue ele Villar, o pegue, eu te imploro. Depois disso Ryan caiu quase morto no colo do Xerife e sua mulher desabou aos prantos correndo para abraçá-lo. Depois de ouvir aquilo tudo Marie e Melissa ficaram desesperadas e pediram pra ir com o xerife, pois David tinha ido ao carro do xerife justamente com Billy.
Todos combinaram com o Xerife de tentar cercá-lo na saída da fazenda. E assim foram.
Billy estava nervoso, precisava sair da fazenda com aquela fortuna, mas tinha um homem ali ao seu lado. David olhava atentamente a fazenda quando fora golpeado próximo a nuca por Billy e caíra. Billy o pegou e deixou-o algemado no carro do policial. Foi muito rápido e correu para o carro de seu pai que estava na garagem secundária. Acreditava estar livre agora podia sair da fazenda sem ser notado, pois todos estavam com o xerife no estábulo e tinha matado Ryan o único que sabia sobre ele. Mas começou a se arrepender de tudo que tinha contado a ele antes de golpeá-lo no cofre. E se ele tivesse sobrevivido a explosão e o entregasse?
Não, não haveria como ele sobreviver e mesmo que conseguisse não se lembraria de nada. Imerso a tantos pensamentos ele conseguiu chegar ao carro ligou o motor e abriu o portão da garagem secundária, tudo estava dando certo. Ele conseguiu o dinheiro, algumas jóias, não pode roubar todas para tentar incriminar Ryan junto ao cofre, mas tinha pego o suficiente para fugir do país com o amor de sua vida. A linda Amanda que havia sido adotada por Jimmy Hills e sua esposa. Mas quando Amanda fora acusada injustamente de um furto que Billy viu seu pai cometer ela foi mandado embora. Billy tinha se apaixonado por ela quando estavam na fazenda. Tinham encontros às escondidas no estábulo. Quando Billy soube o que aconteceu com sua amada, jurou se vingar de seu pai e também de seu patrão Jimmy Hills. Ele levaria todo o dinheiro e fugiria do país. Esperou um bom tempo passar pra retomar a fazenda e tentar novamente. Seu carro já estava na estrada, mas Villar conseguiu passar um rádio para a patrulha D-WEST falou com seu amigo policial Tony Dwight que assim que viu o Jeep sair foi atrás dele e mandou-oele encostar pelo megafone. Quando viu aquela sirene atrás Billy tentou acelerar e correr, mas o trágico destino o esperava e ele acabou se chocando contra uma árvore. O policial chegou então ao carro dele e viu que ele estava morto. Recuperou a maleta com o dinheiro, as jóias e chamou Villar ao rádio para informar.
Depois que chegou a fazenda, ele e Villar chamaram reforços para levar os corpos. Muito choro, muita tristeza dos familiares e amigos pelas pessoas queridas mortas e Ryan estava aos poucos se recuperando mas fora levado por uma ambulância ao hospital com sua esposa Susan ao seu lado. Todos também foram embora acompanhando os mortos que haviam sido levados. E lá estava a Fazenda Hills, vazia, fria e que ficara marcada pelo banho de sangue derramado dela. Mas que a alma de Jimmy Hills ficara para sempre lá ninguém tinha dúvidas.

                                         FIM

Comente aqui embaixo o que achou desse conto.
Sua opinião é muito importante para mim.
Agradeço aos que puderem fazer isso por mim.
Abraços e obrigado por lerem e prestigiar o conto.
Diego Greene
Enviado por Diego Greene em 16/05/2018
Reeditado em 16/05/2018
Código do texto: T6337896
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Diego Greene
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 35 anos
189 textos (14137 leituras)
1 e-livros (200 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/18 15:57)
Diego Greene