Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta para o Além, dirigida à minha mãe.

                                                           Marcos Barbosa

Aos cuidados de Deus,,, não, Deus é muito grande para fazer este humilde papel de carteiro. Então,,, aos cuidados dos Deuses Menores que os orientais chamam de Devas e a tradição judaico-cristã chama de Anjos,,, também não, pois são ainda grandes demais para esta tarefa. Quem sabe um dos Santos!? Ora,,, eles têm missões específicas e não podem se dar ao trabalho de entregar uma carta às pessoas que estão vivendo do outro lado da vida. Meu Deus! O que faço agora?
--Mãe,,, eu vou mandar esta carta através dos elementais da natureza. O Reino Elemental foi criado para servir ao homem, muito embora alguns seres humanos façam a inversão dos valores, subvertendo a ordem sobre-natural das coisas. A Senhora sabe,,,tem gente adorando elemental, como se não bastasse a idolatria virtual de Jesus que esses crentes fazem, adorando uma imagem mental que criam do Mestre,,, mas não aprendem seus ensinamentos e não seguem seus exemplos. Virtualmente falando, esse tipo de culto à imagem mental que fazem de Jesus não serve pra nada e a Senhora, que já está do outro lado da vida, sabe muito bem disso.
Enquanto escrevo esta carta, minha mamãe Amélia Barbosa entra em cena e na minha imaginação sinto a sua presença igualzinho quando era viva do lado de cá, me dizendo:
-- Marcos Barbosa, você tem uma explicação compriiiiida, por que não termina logo esta carta?
-- Desculpe mamãe,,, é que eu tenho mania de escritor e esta carta já está virando um conto. Eu quero mesmo é desejar um feliz dia das mães para a senhora e a todas as mães da família que passaram para o outro lado da vida. Não se esqueça de felicitar a índia velha, a matriarca de Camapuã, Vovó Virgínia, a Vovó Zulmira e a todas as minhas tias que já se foram.
Dei um abraço imaginário na minha mãe, pedi a bênção para me despedir e continuei pensando:
“Mãe, aqui agora está tudo diferente, temos internet, surgiram as redes sociais que substituem os correios e telégrafos em muitas funções,,, e para mandar esta carta estou usando a corrente dos elementais. Estes mamãe, são os verdadeiros inocentes úteis da natureza invisível. Muitos dos nossos pedidos dirigidos a Deus são atendidos por eles.” Os evantéricos “acreditam nisso e eu,,, como a senhora vê das alturas do Paraíso Cristão, Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay”.

Marcus Aurelius
Enviado por Marcus Aurelius em 11/05/2014
Código do texto: T4802518
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Marcus Aurelius
Águas Lindas de Goiás - Goiás - Brasil, 64 anos
220 textos (48380 leituras)
11 e-livros (734 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/04/21 22:28)
Marcus Aurelius