Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ELEIÇÃO NA FLORESTA - O Jabuti é o Novo Rei!!!

ELEIÇÃO NA FLORESTA - O Jabuti é o Novo Rei!!!

Numa floresta distante
Pelo homem não tocada
Regime de monarquia
Que  vivia  a  bicharada
O Leão sempre foi rei
Nenhuma mudança aceitava

Dizem que o rei leão
Com gemido assustava
Sempre ditando as regras
E Todo bicho aceitava
Pelo regime da força
A selva sempre governava

Muitos anos se passaram
Sem nenhuma solução
Muitos bichos descontentes
Com o governo do leão
Resolveram se juntar
Pra falar de uma eleição

O Leão ficou zangado
Querendo logo matar
O autor daquela ideia
Que pode lhe derrubar
Mas os bichos resistiram
Se reuniram pra conversar

Eu sempre fui um bom rei
Foi dizendo logo o Leão
Matei todos os inimigos
Usando as próprias mãos
Botei ordem na floresta
Não aceito esta eleição

Um Papagaio que fala
Logo pediu atenção
Para fazer o seu discurso
Que não agradou o leão
Pois disse que na floresta
Só ouviu reclamação

O Macaco completou
A fala do papagaio
Disse que não tem segurança
Pulando de galho em galho
E pra todos deu esperanças
De mudar este cenário

A macacada toda animada
Gritava de todo jeito
Este é nosso candidato!
Já ganhou, já tá eleito!
Porém outros animais
Também buscavam o pleito

O rei Leão não concordava
Mas não tinha outra opção
Tantos bichos reunidos
Querendo tal eleição
Foi fundando seu partido
Com animais de expressão

Convidou dona Raposa
Pra pasta de economia
Ressaltando a experiência
E para a amiga ele dizia:
Vamos juntar sua esperteza
Com a minha valentia

O João de Barro chegou
Elogiando o rei leão
Foi colocando seu nome
Pra aquela composição
Querendo ser secretário
Na área de construção

Para  a saúde da floresta
Pôs o Leão nesta  lista
Para ser sua  secretária
Indicou logo a   Preguiça
Não precisamos de pressa
Partiu o Leão da premissa

Da mesma forma outros bichos
Também criaram partidos
O Jabuti foi falando:
Meus eleitores queridos
Eu coloco o meu nome limpo
Portanto venham comigo

Vamos fazer da floresta
Recanto de liberdade
Aonde cada animal
Possa viver de verdade
Com segurança e comida
Paz e sem qualquer maldade

Você não tem capacidade
Foi retrucando Leão
Vivendo aqui na floresta
Sem ter qualquer expressão
Você já está derrotado
Seus votos eu conto na mão

Já foi dizendo o Macaco:
Eu posso voar num cipó
Percorrer toda esta selva
Eu não dou pulo sem nó
Portanto amigos da mata
Do Jabuti eu tenho dó

O Jabuti ouviu calado
E respondeu pro Macaco
Seu julgamento eu respeito
Que eu sou lento é um fato
Mas estou muito satisfeito
E qualquer nó seu eu desato

Eu tenho uma boa equipe
Pra governar a floresta
Numa tal democracia
O caminho que nos resta
Sou honesto e ficha limpa
Não há bicho que contesta

A bicharada se calou
Foi um silêncio danado
Na verdade o Jabuti
Nunca tinha andado errado
Também vai ser candidato
E o seu nome foi lançado

Bem na hora do registro
Dessa tal de candidatura
O Jabuti apresentou
Uma lista sem rasura
Com sete nomes de bicho:
Tamanduá e o Mucura

A Cascavel rastejante
E o Urubu das alturas
Um Lobo astuto e ligeiro
Desses que ninguém segura
Um Papagaio velho falante
Pra secretária é a Tanajura

Três candidatos de peso
Nesta grande eleição
O Jabuti e o macaco
E o famoso rei leão
Em 3 meses de campanha
De discursos muito em vão

O Macaco muito experto
Para os bichos prometia
Uma floresta de festas
Com comida a revelia
Trabalho nas horas vagas
Muita sombra e água fria

Em quase toda floresta
O rei Leão comandava
Chegava para qualquer bicho
E sua força mostrava
Sempre fazendo ameaças
Seus votos assim conquistava

Em uma reunião secreta
O Jabuti comandava
Um grupo de pensadores
Que com a Coruja contava
De melhorar a floresta
Pra quem nela habitava

Pois sofreu muito na vida
Sempre chegando atrasado
Comendo o resto das frutas
Que os bichos tinham deixado
Por isso que o Jabuti
Tão nobre tinha se tornado

Pro Macaco tudo é fácil
E sempre chegou primeiro
Grita do alto das árvores
Zomba de quem é rasteiro
Comida nunca lhe falta
De festa vive o ano inteiro

Da mesma forma o Leão
Que teve vida de um rei
Sempre com tudo na mão
Se passou fome não sei
Matando bicho inocente
Fazendo sua própria lei

Chegou o dia marcado
Para a esperada eleição
Com todos bichos presentes
Chegou a ter confusão
Pois tava bem dividido
Vai ser um pleito dos bons

O Leão veio carregado
Chegou a ser aplaudido
De juba bem penteada
No lombo de um amigo
Era uma Anta bem grande
Um voto já garantido

De galho em galho gritando
Chegou aquela macacada
Botando clima de festa
Vitória bem comentada
Já tinha bicho esperando
Viver uma vida folgada

O Jabuti foi humilde
Chegando sem ser notado
Portanto bem recebido
Na multidão de aliados
Deram início aos votos
Num desafio acirrado

No finalzinho da tarde
Quando o sol se ocultava
Nas brenhas daquela mata
A votação se encerrava
E cada um dos candidatos
A sua vitória esperava

E quando a noite chegou
A lua cheia brilhava
Milhares de vaga-lumes
Um bom serviço prestava
Para contagem dos votos
Na noite afora adentrava

Aquela bela floresta
Na madrugada brindou
Um tempo de liberdade
Que a democracia mostrou
E junto com os raios do sol
Um novo dia chegou

O Leão deu um gemido
Que o mato até estremeceu
Macacos pulavam aos gritos
Discordando do que aconteceu
Com a maioria dos votos
Foi que o Jabuti se elegeu


Evangelista Lima
Enviado por Evangelista Lima em 11/11/2011
Código do texto: T3330361

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Evangelista Lima
Boa Vista - Roraima - Brasil, 47 anos
18 textos (3686 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/11/19 21:19)