Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Feliciano, Deus e o Povo


O assunto do momento
 É preconceito e racismo
 Muita gente se fartando
 Na base do oportunismo
 Um acusando o outro
 Por conta de ateísmo
 
Uns defendem a família
 Base da sociedade
 Ou também a defendem
 Com base na liberdade
 Mas o que vemos irmão
 É falta de solidariedade
 
Estou ficando com medo
 De uma guerra religiosa
 Estão conduzindo o tema
 De forma bem temerosa
 Então faço um apelo
 Hajamos de forma amorosa
 
Tudo que estamos vendo
 São problemas da sociedade
 Precisamos ter cuidado
 Discutir com seriedade
 Temos agir com amor
 Com base na verdade
 
A homossexualidade
 Existente no nosso mundo
 É um tema bem complexo
 E completamente profundo
 Precisamos só respeitar
 Abolir o preconceito imundo
 
Não concordo com tudo,
 Não sou preconceituoso
 Claro que não entendo
 O povo que é malicioso
 Deixemos que eles vivam
 O seu caso amoroso.
 
Quanto ao Feliciano
 Tem que ser socialista
 Seja até um evangélico
 Ou talvez um artista
 Mas respeite ao povo
 Pois terá uma conquista
 
O povo vai entender
 O seu posicionamento
 Claro ficará triste
 Mas diminuirá o tormento
 O que posso ter a dizer
 É está cheio de lamento
 
Defendo a família
 Desde sua Criação
 Pai, mãe e filho
 Majestosa união
 Um amor verdadeiro
 Sejam eles, gays ou não
 
Outro fator importante
 É sua religiosidade
 Às vezes numa só casa
 É grande a diversidade
 Um é crente, outro católico
 É muita a variedade.
 
Dentro duma mesma família
 Tem o Padre e o Pastor
 E se olharmos bem
 Eles têm o mesmo senhor
 Que pregam pra valer
 Com a imensidão do amor.
 
Por tanto Feliciano
 Reveja sua ação
 Não quero que Renuncie
 Você já tem meu Perdão
 Só peço respeito ao povo
 Haja com seu coração.
 
Quanto ao seu preconceito
 Jogue-o na ilusão
 Quanto ao seu racismo
 Troque-o pela razão
 O Negro que escreve
 Também é seu irmão
 
Tá faltando consciência
 De ambas as partes
 É um joguinho de textos
 No face até vira arte
 Os irmãos agem de um lado
 Defendem seu estandarte
 
Ai os manifestantes
 Não querem ficar de lado
 Pergunto pelas propostas
 Vejo tudo errado
 Uns defendem Feliciano
 Outros já o tem condenado
 
Agora eu te pergunto
 Por a culpa é de Deus
 Por ter morrido os mamonas
 Que também eram irmãos teus
 Você não usou de má fé
 O culto que você não deu?
 
Recebeu seu dinheirinho
 Usou como bem quis
 Você tem é muita sorte
Por morar neste país
 Pois se fosse na China
 Arrancariam seu nariz.
 
Por isso irmão Feliz
 Permita-me assim chamá-lo
 Pedir que você reflita
 Não Haja como um cavalo
 Use sua inteligência
 E ao povo vá reconquistá-lo.
 
Quanto a Deus pobrezinho
 Está inocente neste caso
 Você o pôs na discussão
 Eu sei não foi por acaso
 Quis conter o povo
 O medo é parte do atraso.
 
Nós tememos a Deus
 No tocante ao espírito
 Nós sabemos que na Bíblia
 Muito está escrito
 Mas sua interpretação
 Está errada eu acredito.
 
São muitas as previsões
 Imposta ao nosso povo
 Quando as coisas apertam
 Lá surgem elas de novo
 O povo com seu vil medo
 Carrega-o como um estorvo.
 
Veja o Papa Francisco
 Simples vais conquistando
 Mesmo sendo ele contra
 A galera vai o amando
 Mesmo que o mesmo
Vão aos poucos se casando.
 
Por isso amigo Feliz
 Junto o povo e também Deus
 Pregue o amor e a paz
 Quem sabe até os Ateus
 Você então terá paz
 E os cumprimentos meus
 
Faça o coraçãozinho
 Que você fez na sessão
 Pode ser que seja Deus
 Tocando no seu coração
 Aceita as manifestações
 E haja com a razão
 
As coisas se clarearão
 Os ânimos vão se entender
 Juntos vão discutir
 É assim que tem de ser
 Mesmo com a discordância
 Ninguém vai perder
 
Já ficou mais que provado
 Que o diálogo é tudo
 E quanto à arrogância
 Faz parte do absurdo
 Como a prepotência
 Que abolimos com tudo
 
Não façamos uma batalha
 Nem um fato político
 Se quiseres ser candidato
 Não torne nada fatídico
 Quem quiser te acompanha
 Não sejas tão subelíptico
 
Chame uma coletiva
 Convide os manifestantes
 Globo, Record e SBT
 Outras também importantes
 Baixe a sua guarda
 Isto será importante.
 
Que quem protesta esteja
 Também na hora desarmado
 Quando tudo se entender
 Terá o direito restaurado
 Reiniciem a discussão
 Seu passado será perdoado
 
A quem você fez o racismo
 Peça o seu perdão
 A quem você fez preconceito
 Abrace, chame de irmão
 Mas só faça isto
 Se for do seu coração.
 
Se assim tu não agires
 Atente ao capitão Nascimento
 Junta as coisas pede pra sair
 Eu simplesmente lamento
 O que eu não vou aceitar
 É ver meu povo no sofrimento
 
Então agora espero
 O seu posicionamento
 E que tudo logo acabe
 Sem precisar juramento
 E que eu não precise dizer
 Não me representa um jumento.


Miguel Nascimento
Miguel Nascimento
Enviado por Miguel Nascimento em 12/04/2013
Reeditado em 21/07/2013
Código do texto: T4237631
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Miguel Nascimento
Rio Largo - Alagoas - Brasil, 51 anos
126 textos (13758 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/05/21 16:39)
Miguel Nascimento