Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RIO LARGO, DO PROGRESSO A DESTRUIÇÃO

Meus amigos e amigas
 Vamos aqui dialogar
 Sobrenossa cidade
 Que está a se acabar
 Porém não sabemos
 O que fazer para mudar
 
Um dia imaginei
 Ver a coisa mudar
 Portanto percebi
 Estava a me enganar
 Pois os representantes
 Só viviam a deteriorar
 
O nosso patrimônio
Cheio de história e luta
 Mas fora abandonados
 Por alguns cara de fruta
 Que a força do povo
 Simplesmente amputa
 
A nossa Rio Largo
 Foi gigante em progresso
 Duas fabricas Têxteis
 Grandioso era o sucesso
 Duas usinas de açúcar
 Não se via retrocesso
 
A estrada de ferro
 O produto escoava
 O nosso povo porém
 O trem o transportava
 E esta longa estrada
 Lá no porto terminava
 
Minha terra majestosa
 Rodeada de canaviais
 Foi ficando no tempo
 O progresso não tem mais
 E o sonho da gente
 Vive momentos infernais
 
A imponência do rio
 Hoje só na lembrança
 A agua que nele corre
 Um dia levou foi esperança
 E os frutos que nele tinha
 Sumiram com a mudança
 
Já a nossa cultura
 Arrancaram na marra
 Puseram barro por cima
 Trocaram por festa e farra
 Imaginem como era linda
 A nossa banda fanfarra
 
Nos representou muito
 Fora do nosso estado
 E hoje nos causa dor
 Pois esta tudo acabado
 Ficamos assim tristes
 Totalmente revoltado
 
Para nosso bom espirito
 A igreja existe ainda
 Para o bem de nossa alma
 Ela nunca porém se finda
 Graças a ela também
 Formamos uma família linda
 
Abençoada por Deus
 Que me deu inspiração
 Para que com os problemas
 Eu criasse este refrão
 E com uma fé enorme
 Não arrumar confusão
 
Já o transporte público
 Não tem organização
 Sem opção o usamos
 Pois esta é a condição
 Briga entre passageiros
 E também muita ambição
 
A única empresa de ônibus
 Só vem mudando de nome
 Ao longo de muitos anos
 A coisa aqui se some
 E o nome que é próprio
 Pode ser só um pronome
 
Os filhos ilustres daqui
 Devem estar agoniados
 E se existirem seus túmulos
 Seus corpos foram revirados
 Com os grandes descasos
 Por serem maus representados
 
Durante quase trinta anos
 Tudo aqui se transformou
 Disseram “o homem é bom”
 Ai o comportamento mudou
 O povo passa a vender o voto
 E a sociedadese ferrou
 
Depois apareceu outro
 Começou a destruição
 Não pagou o professor
 Prejudicou a educação
 Mas tudo foi descoberto
Ele foi para a prisão
 
E a nível nacional
 Aparecemos na televisão
 E a partir deste dia
 Entramos na programação
 Foi tanta gente presa
 Pense na desmoralização
 
Pois o tempo passou
 Logo veio ma prefeita
 A esperança se renovou
 Assim ela foi reeleita
 A história logo mudou
 Com o povo fez a desfeita
 
Veio as irregularidades
 Viramos de novo noticia
 E nossa pobre cidade
 Virou caso de policia
 Pois o desvio foi grande
 Nem precisou de perícia
 
Virou um entra e sai
 De prefeita na cidade
 A justiça não decidia
 Nossa vil realidade
 Mas a vossa excelência
 Foi pega por improbidade.
 
Veio outra administração
 Com o intuito de se mudar
 Para muitos foi bom
 Poderão então trabalhar
 Mas quando mal acompanhado
 A tendência é errar
 
O líder pode se
 Sem o mau assessor
 Faria um bom governo
 Seria o grande redentor (a)
 O inferno de cão tá cheio
 E nosso povo cheio de dor
 
De novo teve zuada
 Até incêndio se provocou
 Nero veio pra Rio Largo
 Ninguém o interceptou
 Noticias ninguém mais sabe
 Nem se o caso se encerrou.
 
Policia pra lá e pra cá
 Civil e até federal
 E assim mais uma vez
 Fomos matéria nacional
 Porém eu não entendo
 Como elegemos irracional
 
Graças a Deus terminou
 Veio outra eleição
 E a promessa do novo
 De dar basta na corrupção
 Até eu como político
 Entrei no meio do arrastão
 
O povo virou smurf
 Todo melado de azul
 Não sabíamos todos
 Que iriamos para o sul (baixaria)
 E através da televisão
 A audiência deu um pool
 
Logo começamos ver
 A nossa desvalorização
 O povo de Rio Largo
 Na base do empurrão
 Pois gente de Maceió
 Começou até ocupação
 
Enquanto que nossa gente
 Ia sendo logo esquecida
 E os tais forasteiros
Acabava a cidade querida
 Destruindo as suas pétalas
 Como uma flor margarida
 
E como se não bastasse
 Chamaram a nós de burros
 Venderam as nossas terras
 Na baixa, só no sussurro.
 Envolveram-se vereadores,
 Que vontade de dar um murro.
 
Os nossos representantes
 Para mim não se enganaram
 E juntamente com o líder
 Anos eles ludibriaram
 Mas foram para a cadeia
 Não sei se os algemaram.
 
Relembre isso meu povo
 Vem ai outra eleição
 Vocês estão mais conscientes
 Não vão se enganar não
 Vão avaliar as propostas
 E votar com a razão.
 
Obrigado se conscientize,
 Nestes versos você viu.
 “ Rio largo imponente se eleva
 Com seu povo varonil,
 Teu progresso eleva tua terra,
 De alagoas e do Brasil...”
 
MIGUEL NASCIMENTO
Miguel Nascimento
Enviado por Miguel Nascimento em 12/04/2013
Código do texto: T4237683
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Miguel Nascimento
Rio Largo - Alagoas - Brasil, 51 anos
126 textos (13758 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/05/21 17:14)
Miguel Nascimento