COMPARAÇÃO...



Se eu ainda fosse criança
Naquela cidadezinha,
Onde reinava a esperança
De uma linda menininha...
Como a vida é diferente
Depois que a gente cresce!
Quase nada é como a gente
Imaginou, nem parece...

Nem mesmo as flores de agora
Florescem naturalmente.
Hoje a natureza implora
Um pouco do amor da gente...
Muitas vezes se revolta
Por sentir-se tão carente.
Esbraveja treme e chora...
Pra mostrar como se sente.

Ó meu Deus! Tende piedade
Dos adultos inconscientes
Desconhecem a lealdade,
Prometem, não cumpre e mentem,
Primam por suas liberdades
Mas ignoram a da gente...
Abusam da autoridade
E o povão que se aguente.

Tudo aqui neste País
Depende dos mais votados
Não é bem o que se quis,
Porém, somos obrigados,
A cadastrar-se todo ano
Pra receber os minguados.
Não se pode fazer planos
É o grito dos aposentados.

Eles dão graças a Deus
Quando chegam aos setenta,
Ninguém mais tem votos seus
De esperança se alimentam...
Pensamentos também meus,
Aplaudindo os que assim pensam.
Obrigada ó meu bom Deus!
Por não perdermos a crença.