Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO HÁ SEGUNDA CHANCE

NÃO HÁ SEGUNDA CHANCE
Jajá de Guaraciaba

É proibido retornar
Nessa estrada sem saída
A morte vem nos buscar
Esse é o lema da vida
Segunda chance? Nem pensar!
A passagem é só de ida!

Não adianta aventurar
Nessa imensa avenida
Farol verde vai fechar
Esse é o fim da partida
Cessa o nosso caminhar
A esperança está perdida.

De primeira ou de segunda
Nós temos que viajar
E quando o navio afunda
Ninguém vivo vai ficar
Se a nossa alma for imunda
Alguém vai nos castigar.

Assim que chegar ao céu
Pra encontrar o Pai eterno
Você verá um povaréu
Com o nome no caderno
Fazendo um grande escarcéu
Lá embaixo no inferno.

E naquela multidão
Além deste seu amigo
Você vai ver o Lampião
Lastimando o seu castigo
E alguém lá do mensalão
Que pôs grana no jazigo.

Também o Cancão de Fogo
Se encontra lá no inferno
Pois ele roubou no jogo
Dum cara que usava terno
Um sujeito demagogo
Que abusou do povo lerdo.

Esse gatuno era o Lula
Que enganou o eleitorado
Juntamente com a matula
Que estava sempre ao seu lado
Esse pilantra só adula
Algum ministro safado.

A condução do ministro
Também está chegando lá
Fica aqui esse registro
Pois no inferno queimará
No tridente do “sinistro”
Vai feder que nem gambá.

Para quem ainda é vivo
É bom ir mais devagar
É melhor ficar ativo
Pra no inferno não chegar
Procurar ser decisivo
Na hora de edificar.

Nesse caminhar da vida
Meu caríssimo viajante
Não saia dessa avenida
Respeite o seu semelhante
Pense sempre na acolhida
Que você terá lá adiante.

No inferno há muita gente
Mas o céu está vazio
Não lhe custa ser decente
Nem tampouco ser gentil
Como ser sobrevivente
Se a vida está por um fio?

Cuidado com o seu viver
Torno lhe advertir
O que vai acontecer
Só verá quando subir
Se esforce pra não descer
Pra sua alma não carpir.

O fim do nosso planeta
Não existe, é só quimera
Cuidado com a mutreta
Caiu lá você já era
Evite os braços do capeta
Que à sua alma dilacera.

Essa tal Lei de Talião
Feita pra fazer justiça
Só fez muita confusão
Serviu para encher linguiça
Pois toda a população
Sabe que ela foi omissa.

Você deve estar com medo
Por ter feito coisa errada
Todo mundo tem segredo
Ao longo da caminhada
Quem não for para o degredo
Vai virar alma penada.

Aquele que não acredita
Em tudo que eu falei
Pelo menos admita
Que bons conselhos eu dei
Que a nossa vida é restrita
Por algum decreto-lei.


Jajá de Guaraciaba
Enviado por Jajá de Guaraciaba em 15/05/2018
Código do texto: T6337485
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jajá de Guaraciaba
Pilar do Sul - São Paulo - Brasil, 75 anos
643 textos (60583 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/18 23:54)
Jajá de Guaraciaba