Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Meu amigo sente-se um pouco 
deixe de  alvoroço vamos
conversar, sua dor é igual a 
minha perdi minha mãe um 
dia e o que nos resta é chorar, 
com você foi diferente já 
perdeste tanta gente que
só Deus para explicar, a vida 
é uma caixinha de surpresa 
e nunca temos a certeza 
quando a nossa hora vai 
chegar. 

Sempre fui sangue frio na 
minha esposa nunca 
fiz carinho preferia ficar no 
bar, será que é preciso perder 
para poder valorizar?  pois 
somos dois homens injustos 
reclamando de um mundo 
que não sabemos cuidar, eu 
nunca dei exemplos  para meus 
filhos  ensinei para eles o 
mesmo  caminho no qual não 
desejo ninguém andar. 

Meu amigo naquele acidente 
perdi tanta gente  minha esposa 
tava lá!  agora não tenho mais 
ninguém para dá valor,  para ela 
nunca entreguei flor mas o destino 
me ensinou que depois que morre
não é bom dá,  pois fique tranquilo 
tenho fé e acredito que vamos 
ter chance para recomeçar.


Deus não é vingativo! mas 
nos merece um castigo para 
aprender a caminhar, meu 
amigo já pensei em usar drogas
tentei de alguma forma de 
me suicidar, pois não adianta 
fazer isso nossos queridos que
estavam vivos queria está aqui 
no nosso lugar, pois somos 
dois homens  andando sobre 
os trilhos com medo do trem 
passar.


meu amigo tanta gente erra 
na vida e na hora da raiva parte 
pra briga  sem saber o mal que 
vai causar, meu amigo gostei 
muito da nossa conversa meu 
coração duro igual pedra 
precisava desabafar, pois 
vamos fazer diferente amar
mais quem está no presente 
que o futuro é uma caixinha 
de surpresa que faz a gente 
chorar, vamos chegue, me dê
um abraço para já começar 
a mudar.
Jairo de Souza
Enviado por Jairo de Souza em 07/06/2019
Código do texto: T6667589
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Jairo de Souza
Artur Nogueira - São Paulo - Brasil, 35 anos
119 textos (4728 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/19 03:29)
Jairo de Souza