Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
A pressa mata!

Se a pressa bater não vá
contra o tempo, o destino vai
dizer quando chegar o momento,
na hora do alvoroço pare um
pouco e use o pensamento,
o tempo cura a dor e Sara
qualquer ferida não pise fundo
no acelerador porque já é
curta a viagem da vida, deixe
o tempo a seu favor faça da
paciência sua melhor amiga.

Seja gente seja paciente quando
tiver em qualquer tipo de fila,
quem espera sempre alcança
sem precisar de brigas, a maior
virtude de um homem é a
paciência que ele cultiva, o sol
cruza a terra nunca teve
pressa sempre na hora certa
lá está ele clareando o dia.


Há tempo de nascer e tempo
de morrer, tempo de plantar e
colher, tempo de chorar quando
perder, tempo de comemorar
quando vencer, acorde mais
cedo para não chegar atrasado,
o tempo não espera vivemos
na pressa em um trânsito
conturbado, seja uma pessoa
passiva nunca parta pra briga
quando descer do carro.

Somos feitos de carne e osso
sem prazo de validade, não
adianta ser orgulhoso porque
o que temos no bolso não
compra a imortalidade, a gente
sempre dá um jeito de ter
apresa na vida, vivemos mais
no emprego doque perto da
família, pois isso tem um preço
e o tempo cobra essa dívida.

Para dormir mais rápido o
remédio é a pior  saída,
deixando a saúde de lado
apressando o prazo de validade
da vida, pois na hora do
alvoroço pense um pouco porque
o tempo é um gozo que passa
sem despedida, pois viva com
gosto cada segundo que temos
na vida, que o tempo é certeiro
 mas por dinheiro a gente
só complica.

O tempo pede paz  paciência
nunca é demais viva em harmonia,
o bem que a gente faz só colhe amor
e alegria, seja gente da gente seja 
paciente no retrovisor olhe pra  
trás sem esquecer de olhar pra
frente, pois não se esqueça de 
respeitar o que mais mata a gente. 

 
Jairo de Souza
Enviado por Jairo de Souza em 20/06/2019
Reeditado em 04/07/2019
Código do texto: T6677422
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jairo de Souza
Artur Nogueira - São Paulo - Brasil, 35 anos
119 textos (4724 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/19 19:12)
Jairo de Souza