Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O choro do Bandolim

Tenho um monte de mim que
você não conhece, um choro
um chorinho não desse que
a lágrima desse, desse de
bandolim que ouvindo até
as flores se mexem, do jeito
que me toca eu falo em cordas
tudo que você merece  nota por
nota não importa o intérprete.

Eu fico quietinho até você me
provocar  me abrace com
carinho se não posso até quebrar,
faça um dedilhado onde fica meu
braço para que eu possa chorar,
Um choro sem lágrimas sem
sofrimento no momento da
pausa respeite o meu tempo.

Faça eu chorar um tico tico no
fubá no trem das onze deixa
eu viajar e naquela mesa tenha
a certeza que minhas cordas
vão aguentar, faça no bandolim
um choro brasileirinho ou de
qualquer lugar, no cavaquinho
toque um pedacinho do céu
se não decorou tá tudo notado
em papel basta acompanhar.

Me toque sem medo assim
igual Waldyr Azevedo com
a ponta dos dedos faz qualquer
um se admirar, nem todo choro
é de tristeza sou feito de madeira
Tenho ondas mas não sou o
mar, da minha caixa acústica
choro qualquer música basta
seus dedos me tocar, sou o
bandolim tenho um monte de
mim para te apresentar.

 
Jairo de Souza
Enviado por Jairo de Souza em 25/06/2019
Reeditado em 26/06/2019
Código do texto: T6681618
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jairo de Souza
Artur Nogueira - São Paulo - Brasil, 34 anos
119 textos (4722 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/19 16:22)
Jairo de Souza