Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CHEGADA DE DOM PEDRO II À PILAR

Dom Pedro II
Na Vila chegou,
Ninguém esperando
Ali encontrou,
Pilar o aguardava
Chegar à noitinha,
Mas de 11 horas
Dom Pedro já vinha!

Dom Pedro II
Montava ligeiro,
Andava de pressa,
Era bom cavaleiro,
Veloz e seguro
Como Pedro I,
Exibindo saúde
Qual fosse um guerreiro!

A sua comitiva
Chamava atenção,
Comandante da Guarda
Com seu Batalhão,
Presidente da Província,
Com seu alazão,
Ministros do Império,
Seguiam a missão,
Chefe de polícia
E nobres deputados
De toda região.

A grande comitiva
Esperava-se à noite,
Só para as seis horas,
Para sua pernoite,
Mas Dom Pedro, apressado,
Às onze chegou
E o povo da Vila,
Pacata, tranquila,
Logo se agitou!

De frente a Casa
De Câmara e Cadeia,
Dom Pedro desceu
Co' a cara mais feia,
Pois não entendia
O que acontecia,
Por que a comissão
De recepção
Não lhe recebia!...

Por que o imprevisto?
O que se sucedia?
A Casa de Câmara
Por que tão vazia?
Somente dois guardas
Na frente se via,
E ainda um pedreiro
Que, reparos, fazia!

Não tinha cadeira
Para se sentar,
Não tinha uma cama
Para descansar,
Não tinha uma rede
Pra se balançar,
Somente dois guardas
Fazendo vigília,
Pois toda mobília
Foi pro marceneiro
Envernizar!

Dom Pedro II
Ficou sem ação,
E queria saber
Qual foi a razão,
O porquê da ausência
Da recepção,
O porquê do atraso
Daquele salão
Que estava aos cuidados
De Murilo Falcão.

Mandou que chamassem
Murilo falcão
Pra que lhe explicasse
A situação,
A falta de tudo
Na recepção,
Pois tinha enviado
Com antecipação
Um conto de réis
Pros gastos fiéis
Daquela missão!

Murilo Falcão,
Explicou o atraso,
Não foi por descaso,
Assim lhe dizia,
Todo programado
Aconteceria,
Dizendo que tudo
Perfeito estaria
Lá para as seis horas
Como se previa
Sua nobre chegada,
Com muita alegria!

Dom Pedro entendeu,
Ou fingiu que entendia,
Pra por ponto final
Naquela porfia!
E assim perdoou-o
Mostrando que tinha
Um bom coração,
Não delegando
A pronta prisão
Do despreparado
Murilo Falcão!

Com aquele alvoroço
Um preso fugiu,
Veloz como um gato
Atrás de um tiziu,
Pra ver a Dom Pedro,
O Rei do Brasil!
Um guarda correu,
Mas não o impediu
Que visse a Dom Pedro
E sua bênção pediu,
Com a cena engraçada
Dom Pedro sorriu!

© Antonio Costta
(Trecho do cordel "VISITA DE D. PEDRO II À PILAR-PB")
ANTONIO COSTTA
Enviado por ANTONIO COSTTA em 23/07/2020
Reeditado em 24/07/2020
Código do texto: T7014205
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
ANTONIO COSTTA
Itabaiana - Paraíba - Brasil, 48 anos
888 textos (122507 leituras)
51 áudios (1087 audições)
9 e-livros (278 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/20 22:14)
ANTONIO COSTTA