Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lembranças

Aqui no sertão certeiro,
Vai dezembro, vem janeiro,
Nada de novo acontece,
Sempre a mesma calmaria
Do começo ao fim do dia,
No domingo a mesma prece.

Às vezes desejo um pouco
A praia, água de coco,
O metrô superlotado,
O trânsito andando lento,
Do shopping o movimento,
O executivo exaltado.

Desejo na multidão,
Andando sem direção,
Aquele olhar de donzela,
Perdido em qualquer rumo,
Enquanto do asfalto o fumo
A torna ainda mais bela.

Lembro da noite a balada
Onde eu, com a rapaziada,
Aprontava sem saber
Que o meu nome na praça
Viraria só fumaça
Com vento forte a varrer.

Da escola tenho lembrança
Da arruaça e da lambança
Que custaram meu recreio,
Porém do ensino não tenho,
Descobri que o grande engenho
Cada um traz em seu seio.

Lembro a filha do empresário,
Este quis me dar salário
E fazer meu casamento.
A moça era pura asneira,
Ela que fique solteira
Ou que vá pra um convento.

Lembro a filha da empregada,
Moça bela, imaculada,
Uma adolescente em flor,
Que comigo se encaixava,
Mas por ser uma ex-escrava
O meu pai não deu valor.

Lembro um menino sem trato
Que engraxava meu sapato,
Recitando um cordel,
E mesmo sem ter um nome,
Não julgava, com a fome,
Ser o mundo tão cruel.

Destes sim tenho saudade,
Porém nunca da vaidade
Grudada nos paletós,
Que marcham rumo ao dinheiro
E este no banco estrangeiro
Os deixa ainda mais sós.

Às vezes penso em retorno
Àquela vida de suborno
Naquele lugar ali,
Mas logo penso comigo
Lá é maior o castigo
Melhor é viver aqui.

Aqui eu sou mais liberto
O portão me é aberto,
Saio à hora que quiser,
A terra guarda tesouro,
O meu milho é o meu ouro,
A mata é minha mulher.

Com pouca boa lembrança,
Inda cometo a lambança
De desejar reviver,
Aquela vidinha ingrata;
Do homem, esta alma peralta
Gosta mesmo é de sofrer.
Eduardo Persa
Rogério Freitas
Enviado por Rogério Freitas em 04/05/2021
Código do texto: T7248122
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Rogério Freitas
Oeiras - Piauí - Brasil, 37 anos
64 textos (301 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/05/21 09:20)
Rogério Freitas