Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Natal dos velhos tempos

Dois grandes motivos me lembram os Natais  do tempo em que eu era criança, - e vai tempo nisso! Um deles é que o  Natal demorava à chegar, o ano se arrastava lentamente, o mês de Dezembro se perdia no horizonte da imaginação, e nós garotos,  suplicávamos para que ele chegasse. O segundo motivo era a fartura de comidas, os refrigerantes que só se comprava nessa época, e principalmente os doces. Dos presentes eu não tenho muitas recordações, lembro de que uma vez ganhei  um pião que era impulsionado por uma haste em espiral e dos sapatos Vulcabrás, que se mudava apenas a numeração de ano para ano, sempre na cor preta, - o danado do sapato nunca acabava!

Com o passar do tempo nossas súplicas foram sendo atendidas, o mês de dezembro já dava para ser enxergado em Julho, depois em Abril e agora parece que  Dezembro vem logo depois de Janeiro, o ano passa voando. A fartura de comidas é maior ainda, mas não há nada de diferente nas festas de Natal e quase tudo faz mal;   muita gordura, caloria  ou açúcar. As taxas de colesterol, triglicéride, e glicemia não nos dão trégua   nem nessas épocas de festas.

Quanto aos presentes?   Fico rindo por dentro ao ver a alegria dos meus sobrinhos abrindo os pacotes, mal sabem eles quantos “embrulhos”  terão pela frente ao longo da vida. Quase mais nada me  encanta, mas me contento com.......Feliz Natal.

Laerte Russini
Enviado por Laerte Russini em 04/12/2007
Código do texto: T764637
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Laerte Russini
São Paulo - São Paulo - Brasil, 66 anos
170 textos (18474 leituras)
1 e-livros (243 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 15:17)
Laerte Russini