Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DRUMMOND E OS BEATLES

DRUMMOND E OS BEATLES

Nelson  Marzullo Tangerini

                      Comoveu-me, deveras, uma crônica de Drummond sobre o grande poeta nicaragüense Pablo Antonio Cuadra, silenciado pela censura marxista do governo sandinista, que considerava sua poesia burguesa e ultrapassada.
                      Cuadra, ainda que “emparedado”, fez sua missiva chegar às mãos do poeta de Itabira, através do Professor de Línguas Neolatinas e anarquista romeno Stefan Baciu. Humanista, Drummond comentou sobre o assunto em sua coluna semanal no Jornal do Brasil, num momento em que muitos intelectuais de esquerda viravam suas costas para Cuadra e se omitiam.
                      Baciu, que escrevia para a revista Guángara Libertária, feita por anarquistas cubanos exilados em Miami, EUA, morou no Brasil e fez amizade com o também anarquista Edgar Rodrigues, 82 anos, autor de 48 livros sobre o movimento anarquista no Brasil e no mundo.

                      Escrevi a Drummond, pedindo o endereço do poeta nicaragüense. Pensei em escrever-lhe algumas linhas, enviando, também, a minha solidariedade.
                       Junto, enviei ao ilustre itabirano uma tradução de Imagine, bela canção libertária do “sonhador” John Lennon.
                       Responde-me o poeta de Itabira:
                       
“Rio, 7.IV.1984
Nelson Tangerini.

                      Não tenho o endereço do Pablo Antonio Cuadra, e receio que a correspondência dirigida para a redação de La Prensa, em Manágua, não chegue às mãos dele. Minha comunicação com o poeta se faz atualmente via... Honolulu. Escreva aos cuidados de:
                     
                      PROF. STEFAN BACIU
                      UNIVERSITY OF HAWAII
                      DEPT. OF EUROPEAN LANGUAGES
                      1890 EAST-WEST ROAD
                      HAWAII 96822, ESTADOS UNIDOS.

                      Obrigado pela tradução de John Lennon. E o abraço do
                                                                                              Drummond.”

                       Sempre antenado com as boas coisas que aconteciam no mundo, Drummond reconhecia e admirava a música revolucionária e talentosa dos Beatles, a maior banda de rock de todos os tempos. Tanto, que traduziu algumas canções dos quatro rapazes de Liverpool. Os textos foram publicados na revista Realidade em março de 1969.
                       Ei-los:

OBLADI, OBALADÁ

De Lennon & McCartney

Desmond tem um carrinho na Praça do Mercado.
Molly vocaliza num conjunto.
Desmond diz a Molly: Por teu rosto sou vidrado.
Molly diz-lhe: O quê? E pega-lhe na mão.

Obladi, obladá, a vida continua: olá,
Olalá, como a vida continua!
Obladi, obaldá, a vida continua... Olá.
Olalá, como a vida continua!

Desmond toma o ônibus, vai à joalheria,
compra anel de ouro de ofuscar
e leva-o a Molly, que espera junto à porta.
De anel no dedo, eis Molly a cantar.

Em um par de anos terão construído
um lar bacana doce que nem cana.
Um par de garotos corre pelo pátio
desse casal unido.

Olha Demond feliz na Praça do Mercado.
Ao lado, os molequinhos ajudando.
Molly ficou em casa se enfeitando
e à noite ela ainda canta no conjunto.

E se querem se divertir, obladi, obladá!

PORCOS

De George Harrison

viste os porquinhos
rebolando na imundície?
Para todos os porquinhos
a vida está cada vez mais difícil
e brincam sempre na sujeira por aí.

Viste os mais taludos porquinhos
em suas engomadas, alvíssimas camisas?
Olha os mais taludos porquinhos
em algazarra na imundície
com camisas alvíssimas a folgar por aí.

Em seus chiqueiros, plenamente protegidos,
ao que vai por aí nem ligam.
Nos olhos deles falta uma coisinha:
precisam mesmo é de suma porcaria.

Por toda parte há muitos porquinhos
vivendo suas porquinhas vidas.
Podes vê-los para o jantar saindo
com suas porquinhas mulherinhas
de garfo e faquinha para comer presunto.

E POR QUE NÃO AQUI NA ESTRADA?
De Lennon & McCartney

E por que não aqui na estrada?
Não há ninguém para ver nada.
E por que não aqui na estrada?

                      A música dos Beatles, que um dia emocionou o maestro Rubinstein, tocou, também, o vasto coração do poeta itabirano Carlos Drummond de Andrade.


Nelson Marzullo Tangerini, 53 anos, é escritor, jornalista, poeta, compositor, fotógrafo e professor de Língua Portuguesa e Literatura. É membro do Clube dos Escritores Piracicaba [ clube.escritores@uol.com.br ], onde ocupa a Cadeira 073 – Nestor Tangerini.

nmtangerini@gmail.com, nmtangerini@yahoo.com.br
Nelson Marzullo Tangerini
Enviado por Nelson Marzullo Tangerini em 04/11/2008
Reeditado em 21/08/2016
Código do texto: T1264753
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson Marzullo Tangerini
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 64 anos
310 textos (24109 leituras)
9 e-livros (127 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/19 14:40)
Nelson Marzullo Tangerini