BRASÍLIA AMADA

Falar de Brasília para quem a ama, para quem lhe deve tanto para quem se sentiu abraçada, mimada e adotada por ela, não é de maneira alguma complicado.
Falar desta cidade pouco mais que uma menina, tão jovem, tão linda e não somente dos brasileiros, claro que não é nem um pouco difícil.
Falar desta terra que DOM BOSCO profetizou que seria a capital da esperança de onde escorreria leite e mel e onde através do risco de uma cruz nasceria a mais linda flor do serrado e que ela seria a esposa do Brasil, não pode ser nem um pouco difícil. Afinal precisávamos de um estadista sonhador, perseverante, confiante e crédulo como o sempre e eterno presidente JK para em tão pouco tempo transformá-la nesta que hoje é orgulho dos que juntos sob seu comando e a confiança de um idealizador e fundador o inesquecível cidadão das Minas Gerais que infelizmente acabou sendo tão injustiçado.
Mas eu não pretendo falar de tristeza e sim de gratidão, de saudade, desta saudade que sentimos de quem mesmo indiretamente nos fez tanto bem, o seu fundador que Deus o tenha.
Falar desta mãe adotiva de tantos brasileiros que aqui vieram semear e colher os frutos dos seus ideais e de tantos filhos já nascidos do seu ventre que juntamente com ela também aniversariam ou estarão festejando aniversário e todos aqui, além de filhos de tantas outras nações que acreditando nos sonhos também vieram juntar-se a nós não poderá ser complicado.
Falar desta cidade maravilha, capital da esperança, capital da paz, patrimônio da humanidade, um patrimônio construído com suor sangue e esperança, pela capacidade de Oscar Niemayer, Lúcio Costa, Bernardo Sayão e tantos outros, que eu levaria mais cinqüenta anos para falar nomes e cometeria alguns esquecimentos imperdoáveis, não é difícil, jamais será, porque expressar o nosso amor por Brasília e sem exagerarmos é o mesmo que nos prostramos em oração, em um cântico de louvor a esperança
Ainda que alguns percalços se interponham, não diminuirá o nosso amor, a nossa admiração, o nosso reconhecimento porque isso se faz pequeno diante de um sentimento tão absolutamente verdadeiro.
Brasília, onde até as cores que a colorem vêm da natureza como o azul desse céu que aqui parece maior mais azul, do verde do gramado quase sempre muito intenso, temos a beleza do lago Paranoá, das flores que a ornamenta o ano inteiro até da baixa umidade especialmente a partir de abril até setembro, isso não nos faz indiferentes nem mesmo o calor característico de serrado nos afasta, pois o amor pela nossa capital da esperança é maior que tudo isso juntos e neste dia em que Brasília comemora suas bodas de ouro nós estamos aqui de mãos dadas numa ciranda de amor para festejá-la como ela é merecedora.


Com amor
Brasília, 16/04/2010