NOTHING PERSONAL, BUT...

NOTHING PERSONAL, BUT...

Pessoalmente, não tenho nada contra os americanos e nem contra o idioma. Tanto que passei boa parte da minha vida estudando a língua deles. Aliás, tem várias expressões deles que acho perfeitas e intraduzíveis, porque não teriam a mesma força nem o mesmo gostinho quando passadas para o português.

Por exemplo, quando alguém torra tanto as nossas pobres medidas e a gente quer dar uma de educadinho, nada mais próprio e eficiente do que começar com a expressão "Nothing personal, but..." e depois do but você dá um boot no sujeito. Imagine você dizendo em português: "Olha, não é que eu tenha algo pessoal contra você...". Concorda que o cinismo e o sarcasmo perdem enormemente a força? Assim, mantenho o "nothing personal".

E, "by the way" - que aliás fica mais engraçadinho do que "a propósito" - tem outra que eu adoro. O tal do "disgusting". Você pode até xingar o sujeito de nojento, mas "you must admit" que "disgusting" é algo que "sounds much better"...E se o sujeito for alguém que não sabia nadica de nada do ingrêis, vai ainda pensar que está sendo elogiado, principalmente se você fizer uma certa pose de lorde ou lady. Much better.

One more: se além do "disgusting", você ainda acrescentar um "boring", que é muito melhor que o pesado cansativo, vai dar um "special touch" ao seu "polite speech"...Try, you're gonna love it. Nothing personal

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 23/06/2005
Código do texto: T27047
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.