Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Intimidade

Intimidade

"Amor é prosa, sexo é poesia."
Arnaldo Jabor





No dia de hoje vemos uma batalha na nossa "timelife" entre solteiros e enamorados. Todos apostando em qual estilo de vida é melhor. É claro que estou brincando, não há batalha alguma... Mas é engraçado. E muito fofo.

Na minha opinião há vantagens e desvantagens nos dois estilos de vida. Há relacionamentos que vão durar e outros que não. E isso não mede o sentimento, mas talvez seja apenas causalidade do destino. Tem gente que vai encontrar alguem para ficar junto para sempre. Tem quem vai ficar sozinho para sempre. Tem quem mude de relacionamento várias vezes e no fim, encontre alguém.

E ficar junto é escolha. Tem que aceitar o outro. E os dois buscarem um equilíbrio, um lugar comum, onde convivam juntos com individualidade. Onde o "defeito" de um, não seja a infelicidade do outro. Defeito com aspas, porque pra mim, defeito e beleza são relativos e variam de época em época.

Eu adorava ser solteira. E hoje, adoro o que eu tenho. E naquela época não trocava o que eu tinha pelo o que tenho hoje, assim como não troco o que tenho hoje pelo o que tinha naquela época. É muita caretice e obviedade, mas acredite, a cada dia comprovo isso mais e mais, com o tempo ficamos mais sábios, e mais pacientes. Mas é necessário esforço para que isso aconteça, sem pratica não saímos do lugar. E sem tentar, não mudamos. ( Eu sei: dã!)

Todo esse bla-bla-bla era para chegar nisso: prática.

O que queria falar hoje no dia dos namorados, é sobre intimidade, e sobre paciência, e amor,  cumplicidade, amor próprio, auto-estima, e como esses ingredientes são essenciais para o sexo. E sexo é saúde, é termômetro. Mas gente, sexo não é ditador, ou obrigação, ou bixo-papão, ou pecado, ou maçã, ou o demônio. Assim como o médico não deveria ignorar as disfunções da vida sexual do seu paciente, como acontece e vi acontecer recentemente. Muitos casos, tem orientação e tratamento. Sexo é saúde.

Para algumas pessoas, assim como para mim, alguns conceito básicos parecem rídiculos, mas um dia, você percebe que trasnformou sua vida em um inferno porque se achava feia demais, gorda demais, baixa demais. Ou porque estava distraida demais construindo uma barreira de proteção, um muro, para impedir o sofrimento, "porque todo homem é igual e insensível"... Cometemos tantos erros mirins... E nos descabelamos do lado do telefone, e somos pegajosas, porque??!!! Também não sei... Mas depois que tudo passou, hoje penso assim.... Ainda bem que passou...

Os erros deveriam ser anotados, não repetidos e fincados no passado! Eu sei, eu sei, tão fácil falar... Se um curso de yôga resolvesse e a gente ficasse mais calma e desencanasse de tudo seria tão fácil... Eu sempre me perguntava: "Eu sou tão inteligente em outras coisas, porque eu surto desse jeito por causo de uma paixão???!!" Mas passou... E ainda bem que passou...

E quando eu aprendi, e deixei acontecer, e desencanei... Daí sim, as coisas ficaram simples e estamos juntos. Apesar, de ainda surtar de vez em quando. Mas menos, e com menos intensidade.

E hoje eu sou assim porque vivi tudo aquilo, porque estive com todas as aquelas pessoas. (Não foram tantas assim.) Eu poderia ter sido diferente, poderia ter sido melhor, poderia ter sido pior. E tem muitas coisas em mim, que eu ainda quero mudar. Mas essa sou eu, por causa das minhas experiencias.
Não estou dizendo que acho absolutamente necessário estar com vários homens para ter experiencia sexual para ser bom. Não é isso!!! Cada um faz sua escolha. E acho válido respeitar. Assim como você pode ter um para sempre e ser muito bom. Assim como pode casar virgem. Tudo é válido, desde que respeite o outro.

A minha questão é a seguinte, no momento que a pessoa encontra sua auto-estima e a deixa em mode on,, e para isso as vezes é preciso alguém que a mostre como é, que fale, grite em alto falante: "Putz você é linda." para isso acontecer.
E beleza gente, é relativo, e isso é lindo e necessário. A partir daí, a coisa fica mais fácil. É quando a pessoa se permite ter prazer. E isso não é fácil. E não é comum.
Mas tem algumas pessoas que já nascem com o botão ligado. E isso é bom.

E depois, com o tempo, vem o melhor, vem a intimidade. Sexo com desconhecido pode ser, hummm, diferente, pode ser bom. Sexo no primeiro encontro, também. Tem cara que vai ser careta e te achar galinha e não vai te ligar depois, apesar dele mesmo se adequar nessa definição de galinha e na minha opinião, vc também não deveria namorar com ele. E tem cara que vai te ligar depois. E talvez, seja melhor ninguém ligar mesmo. O negocio é sempre deixar acontecer. E ter paciência.

Mas o melhor, o melhor mesmo, na minha opinião é a intimidade. E não estou falando de rotina.
Mas de conhecer preferencias, de reconhecer pontos fracos. De perder a vergonha na cara.
De pular pelados no quarto e rirem juntos. E dançar letinhos aquela música gostosa.
A intimidade, é a parte mais gostosa do relacionamento. É o que faz mais gostoso o sexo. É quando os dois se permitem. Se conectam. E se amam.
Melhor do que todo o resto.

A verdade de tudo isso, é que sofri por muito tempo de baixa auto-estima. Me achava gorda, feia, indesejável... E ainda por cima, tinha medo de relacionamentos duradouros. Tinha medo de me apegar, de acordar junto todo dia. Tinha medo de intimidade.
E me desculpem se eu fui muito óbvia. Mas é que pra mim, é novidade.

Feliz dia dos namorados à todos.
Jule Santos
Enviado por Jule Santos em 12/06/2012
Reeditado em 12/06/2012
Código do texto: T3720375


Comentários

Sobre a autora
Jule Santos
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil, 33 anos
234 textos (14603 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/09/20 13:18)
Jule Santos