Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bilhete à Martha Suplyci

      Sai desse carro, Martha! A violência com que ele vai colidir não deixará pedra sobre pedra. O Rei está nu, e não há motivos para saudá-lo. Não chega a ser uma pena, mas uma galinha inteira! Tantas noites em claro  perdidas, minha amiga, lamentavelmente perdidas, colando cartazes contra a Lei de Segurança Nacional que pretendia condenar o Lula; vendendo bônus para os grevistas do ABC só para que eles deixassem a ditadura de quatro! Foi-se, amiga. A foice agora é outra. Essa é de sangrar a alma, mas viveremos!
       O Fernandinho não ganha nem um par ou impar. Ele é tão ruim que, se fosse dois, dos dois ele ainda seria o pior! O acordo com o Maluf é só a bisonha constatação de que os fins justificam os meios. Não lhe cabe esse palanque, prezada amiga.
       Quanto a mim, guardei a minha estrela, pois, aqui no Rio, o acordo não saiu diferente como nunca saiu na verdade.

   
Aldo Guerra
Enviado por Aldo Guerra em 10/07/2012
Código do texto: T3770410

Comentários

Sobre o autor
Aldo Guerra
Rio das Ostras - Rio de Janeiro - Brasil, 64 anos
296 textos (27975 leituras)
3 áudios (571 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/05/21 17:05)
Aldo Guerra