Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O BURACO É MAIS EMBAIXO

Este nosso país é, realmente, uma piada !

Todos devem ter acompanhado o trágico episódio conhecido nacionalmente como o Buraco do Metrô.  Depois do desabamento de parte da obra de construção do Metrô de São Paulo, onde morreram sete pessoas, a direção da estatal solicitou às empresas do consórcio de construtoras que elaborassem os laudos necessários para a comprovação de que todas as normas de segurança estivessem sendo cumpridas.

Estas empresas, por sua vez, contrataram um obscuro Técnico de Soldagem que tem um pequeno escritório com uma mesa e duas cadeiras (dados do jornal “Estadão”), em Santo André – cidade da Grande São Paulo – para a elaboração do  laudo que inspeciona a soldagem das estruturas de aço. Poderia, o consórcio ter contratado uma empresa especializada de renome nacional ou mesmo internacional para que se desse maior confiabilidade aos ensaios e testes nos trabalhos de soldagem das vigas de aço executados na obra.

Mas, não! Por motivos óbvios, pagaram a um profissional sem maior expressão no mercado, esperando que o singelo e iniciante técnico não enfrentasse o poder destas grandes empreiteiras e fizesse um laudo “camarada”. Isto resolveria uma parte dos problemas dos gananciosos empreiteiros, certo?

Errado! O referido profissional  - Nelson Damásio, de 35 anos -  elaborou um rigoroso laudo técnico onde reprova a forma com que foram soldadas as vigas  da Estação Fradique Coutinho da Linha 4 do Metrô.  Mostrou detalhadamente com o auxílio de fotos que as soldas eram verdadeiras “gambiarras” e que punham em risco a obra e vida dos operários que lá trabalhavam.  Literalmente ele afirma no seu laudo: “...existe risco iminente de algum incidente ou acidente...”

Podem me perguntar que eu deixo. Este rapaz, obviamente foi elogiado em público pelas empresas consorciadas e pela direção do Metrô e, seguramente será contratado de forma permanente para avaliar a continuidade das obras do Metrô e de mais outras obras de alta complexidade e responsabilidade,  certo?

Errado ! Leio hoje no jornal “Estado de São Paulo”  uma matéria com a seguinte chamada em letras garrafais:  “ – Vou ser boicotado” , diz responsável por laudo. Pensei ter lido errado ou mesmo tratar-se de um engano do articulista do jornal.

Fui adentrando no texto e realmente está descrito que o técnico do bom laudo afirma sem qualquer dúvida: “ Com certeza eu vou ser boicotado. Por uns bons anos não vou trabalhar para estas empresas”

Que país é esse? – já disse o saudoso Renato Russo.

Creio eu que, em países sérios e que valorizam a dignidade e a honradez, este sujeito seria promovido para o “team” dos cobras e, muito mais ainda pela sua honestidade em fazer um relatório imparcial, mesmo em detrimento do interesse dos seus poderosos empregadores, seria considerado um profissional correto e que merece respeito.
 
Fatos como este poderiam vir a público mais densamente, para se tornar um belo exemplo para os jovens que adentram nas suas carreiras profissionais. Seria um estímulo valoroso para o crescimento da auto-estima  e da boa ética profissional.

Nada disso! É capaz deste indivíduo ser até punido por ter prejudicado o desenvolvimento dos trabalhos daquela obra.

Cada vez mais acho que o Brasil não tem jeito, e temo pelo seu futuro.
Dionisio Teles
Enviado por Dionisio Teles em 16/02/2007
Reeditado em 16/02/2007
Código do texto: T383733


Comentários

Sobre o autor
Dionisio Teles
Barueri - São Paulo - Brasil, 68 anos
177 textos (54952 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/20 11:27)
Dionisio Teles