É TEMPO DE NATAL



                Será que é tempo de afastar os medos, as inseguranças, as tristezas, a insegurança... Ou seria mais um tempo de reflexão, de organizar o coração para que ele não perca a esperança em melhores dias, ou ainda, tentar fazer de tudo para voltar a acreditar no ser humano apesar dos pesares? Afinal, todo final de ano se deseja que as alegrias se renovem, as esperanças voltem a ter as cores de quando acreditávamos no Papai Noel... Será que este mundo em que vivemos hoje, merece de nós os mesmos créditos, a mesma confiança... Antes, até rezávamos para que o ano terminasse logo para que viesse outro natal, repleto de luzes, de sons, de movimentos nas ruas, de tantos desejos de boas festas com votos de muita paz, saúde, fraternidade, solidariedade, mesmo que nem todos tivessem presentes de natal. Os tempos mudam a cada ano, especialmente esses, em que vivemos atualmente, onde o mundo virtual muitas vezes supera o verdadeiro, as pessoas preferem um relacionamento, onde, quase nunca se vêm , não há necessidade de um olhar, de um toque de mãos e algumas até se encontram pessoalmente e dão certo, porém, são bem poucos os casos que acabam bem.
              
                É mais uma vez tempo de natal, onde as pessoas planejam tantas coisas, especialmente que comemorarem juntos, numa mesa farta, enquanto outros, nem sabem o que é isso e se contentam com a solidariedade daqueles mais humanos que tendo muito desejam dividir, outros, que nem tem tanto assim, mas o que têm no coração é tanto que necessitam repartir que é amor e solidariedade.

               É tempo de natal e quantos de nós, neste momento, estão chorando a perda de entes queridos que no início deste ano que se finda, fizeram juntos tantos planos e no entanto, nos deixaram apenas as lembranças de dias feliz juntos, recordações que muitas das vezes ao virem à tona, não há como não vir junto o pranto que transformado em saudade transforma-se também em lágrimas... Ah! Deus, se nos fosse possível só relembrar dos bons momentos e dar algumas gargalhadas! Sei que isso ás vezes até acontece, mas entre risos e abraços surgem as lágrimas em nome da saudade que nos sufoca o peito e se não chorarmos a dor prossegue ali mesmo diante de quem quer que esteja, afinal, não é vergonhoso chorar. Aí de o pranto se não fossem as lágrimas!    Eu falo por experiência própria.
               
                E empo de natal mais uma vez, como será sempre, caso o mundo não se acabe como estão a falar desde que o mundo é mundo, mas enquanto na realidade isso não acontece, a gente vai tentando engolir o pranto, transformar a saudade em lágrimas para que o coração não se arrebente e assim, como se teve algumas queridas perdas no decorrer do ano que passou, outros acontecimentos vieram para nos dizer que nem tudo é dor, renascem as esperanças em forma de novos seres que Deus nos manda, como se para renovar as nossas vidas através do sorriso inocente de uma criança. É por isso, que costumamos dizer que o mundo não está de todo perdido, pois se através de um pequenino, ser que chega, em meio a tanta dor é porque Ele, sabe do que merecemos e por isso vamos tentar juntar sorrisos mesmo entre lágrimas para que os nossos pequeninos, por serem ainda tão inocentes não têm porque compartilhar dessas dores que mesmo tentando esconder nos machuca o peito.
              
               Feliz natal para toda a humanidade, especialmente, para os que, como eu, estão tristes e cheios de saudades. Que o ano que se aproxima possa nos dar o que merecermos e que possamos lutar pelas realizações dos sonhos que ainda podem reconstruir um mundo mais humano.