LIBERDADE DE EXPRESSÃO



É dito que a liberdade de expressão precisa existir e eu concordo. Só,  que eu e tantos mais, que também podemos exercer tal direito, somos por alguns criticados, ou "comentados" de forma covardemente anônima, em outras vezes nem tão anônima assim, apenas por desejarem aparecer, pois sabem que não serão aplaudidos a não ser por pessoas da mesma ESPÉCIE, desculpem-me a palavra usada. Creio que esse tipo de (gente) se é que podemos denominá-los assim, não tem muito que fazer, ou diverte-se tentando ofender quem não  conhece nem mesmo pelo que muitos de nós escrevemos. E olhem que muitos dos que usam o RECANTO DAS LETRAS, assim como eu, para deixar seus textos, muitas das vezes, em forma unicamente de desabafo, nem é escritor, nem poeta, sequer amador. Simplesmente encontram aqui, uma forma de não deixar mofando numa gaveta o que a alma lhe ditou, por não suportar mais guardar o que lhe causava dor nem nelas, haviam mais lugar para guardar tantos rabiscos.

Eu sou uma dessas pessoas, que não pretende coisa alguma, a não ser, que alguns dos meus escritos falem a algum coração que se identifique com o meu e felizmente tenho encontrado alguns, através das visitas que me fazem e que me dão a honra de os receber por mais vezes. Que mal há nisso? Alguém poderia me responder? Pois é, eu, ainda que não pagasse aqui para ter mais espaço, teria a oportunidade que o RECANTO DAS LETRAS nos oferece e assim existem muitos. Que mal há em que usemos este espaço para encontrarmos pessoas como nós, que não pretende nada, além de receber amigos para comentar e que nos faz felizes, quando retornam, demonstrando assim, que não foi tempo perdido? Quem, aliás, perde tempo, são esses que insatisfeitos com sua mediocridade tentam nos magoar. Vamos simplesmente, mostrar que somos e seremos superiores as coisas pequenas que para (pessoas) desse naipe, vêm trazer aqui com o intuito simplesmente de desestabilizar uma comunidade que nada faz para ofender, quer simplesmente ter um cantinho onde depositar suas lágrimas, seus desencantos, sua solidão compartilhar, e porque não, suas alegrias, por encontrar tanta gente que de certa forma, pensa igual, só lhes faltando oportunidade, para irem além dos rabiscos que nas noites de insônia lhes faz menos solitários...