Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LEI DE AÇÃO E REAÇÃO CAUSA E EFEITO




LEI DE AÇÃO E REAÇÃO CAUSA E EFEITO



“Provação é sombra necessária”.
(Meimei)


Existem diversas ações praticadas por seres humanos que nos parecem ações deleterianas, provocadas por animais irracionais. Vários casos de violência têm transtornado a sociedade, deixando-a, pusilânime e depressiva, e com receios de sair de casa. Vivemos enclausurados, e atrás das grades em nossas próprias residências, enquanto meliantes e assassinos desfrutam a vida soltos pelas ruas da cidade, praticando assaltos, furtos, seqüestros, estupros e outras ações geênicas contra a população indefesa. “Um dos primeiros ensinamentos que o estudante de comunicação aprende nos manuais é sobre o papel que a mídia exerce sua importância na formação da sociedade, o direito da população em ter uma informação de qualidade, independente de raça, credo religioso e situação econômica e o respeito aos direitos fundamentais da pessoa. Esses direitos estão escritos nas constituições de países como os Estados Unidos, França e Inglaterra. Eles estão consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e garantidos na Constituição brasileira, promulgada em outubro de 1988”. (Jorge Vieira-Jornalista/Missionário do CIMI-NE). Nos últimos dias o país se encontra chocado e atônito diante do bárbaro assassinato do menino João Hélio, de seis anos, praticado por cinco jovens, sendo que um deles é menor, segundo a legislação brasileira vigente. Aliás, como este texto está sendo escrito intencionalmente depois dos festejos carnavalescos, percebe-se que a comoção já desapareceu da cabeça e do coração da maioria da população (sob efeito de goles de cerveja, danças e ritmos), inclusive, também, da pauta midiática.


O fato merece uma profunda análise, sem o calor e agitação emocional próprios de uma situação como essa. Até porque, basta dar uma olhada para trás, que se percebe que outros fatos recentes tiveram o mesmo enfoque da mídia e o mesmo comportamento da maioria da população. Vale a pena lembrar, por exemplo, a queda da barreira da construção do metrô da – (Marginal Pinheiros) - em São Paulo, onde sete pessoas morreram aterradas. Outros dois casos que tiveram uma grande repercussão nacional foram os acidentes que ocorreram com o Boing 737 da (Gol), no estado do Mato Grosso, onde morreram quase duas centenas de pessoas e o ocorrido há 10 anos com o Fokker 100 da TAM, em São Paulo, onde morreram 99 pessoas. São fatos realmente lamentáveis, mas que nos deixam atônitos, pois a impunidade reinante no País transforma-se em benevolência e às vezes as penas são brandas e benéficas para quem pratica atos que desabonam suas condutas. Infelizmente são brechas que os advogados de defesa encontram para amenizar ou livrar seus constituintes de penas rigorosas e justas.
 

No que tange ao caso “João Hélio” que virou manchete nacional e internacional, fizemos um comentário em forma de poesia mostrando nossa indignação de brutal violência, mesmo sabendo que alguns delitos não acontecem por acaso. JOÃO HÉLIO: Vida de criança é seiva de esperanças, para entes queridos, os pais são diretrizes. Raízes multifárias de bonanças sacrossantas, norteando lucilente rutilância dos aprendizes. Semeando, regando o coração com paz e amor, orientador de andanças sem relutâncias e destemor, é ciclo fasto de venturas, alegrias sem temor; vida linda feita com alegria e vigor no dia-a-dia, na seara sagrada da luz emanada irradia,  em derredor de si a ingenuidade que acaricia;  os corações a pulsar na introspecção sadia. Vida genitura, fruto do amor fraternal e carnal, abençoado por Deus, nosso Pai Celestial.  Na vida embrionária pulsa com ser condicional, vendo o mundo um diamante descomunal. Entre passeios e distrações, vem o prazer divinal, terra de paz decantada, mas abarrotada de marginal. Cirineico buril jamais feriu o palmilhar da cor anil, nem as esperanças da criança ser feliz e gentil. No alvorecer da vida Jamais imaginou surpresa, tranqüilo, com a mãe em harmonia aspirava beleza, da pátria do verde e amarelo tudo se declina na destreza. O livre arbítrio deixa o homem a um passo do mal, torna-o animal e dependente da própria natureza hominal. Age pelo instinto, pelo espírito mal, como fosse natural, sem contemplação, sem compaixão é maligna tristeza. Repentinamente, voraz, avança como animal sem destreza; pára transportes para satisfazer seu instinto bestial, não importa quem esteja à maldade cega é imoral, expulsa com frivolidade os passageiros e uma criança, com tantas esperanças de viver, ser feliz se desespera. Na destreza se vale de um cinto que vira insegurança. Preso ao cinto, um corpo pequerrucho se debatia tremia, dores terríveis infiltravam-se em suas entranhas.


O corpo inocente era dilacerado com tremenda artimanha; João Hélio era a vítima dos algozes brutais, cruéis, e desumanos, carcomamos sem corações, com muita sanha. Aos pedidos de socorro, mais velocidade empreendia, o pequeno João gemia, sofria, dores dilacerantes, suas carnes eram destruídas pela violência e sua vida jazia fruto da maldade dos insanos assassinos.
João Hélio não resistiu! A dor da família foi descomunal e a cena brutal  comoveu todo País. Foi necessário se esvair a vida de um pequenino para as autoridades repensarem na intranqüilidade, na violência que se apossaram dos nossos destinos. Querido João Hélio tens o caminho do Céu aberto para ti, pois Jesus em sua clemência sempre afirmava: "Deixai vir a mim as criancinhas, pois elas herdarão o Reino dos Céus”. E lá estarás com toda certeza! A barbárie dos assassinos é promovida 24 horas pela barbárie midiática, principalmente quando à maioria da população é negado o acesso aos bens necessários a uma vida digna e à cidadania. Da mesma forma, nos condomínios fechados formam-se concepções individualistas e de segregação social, ou seja, as pessoas não são formadas para pensarem num projeto de sociedade includente e solidário. São as formas, os “Modus Operandis” que os extrapoladores dos sentimentos alheios praticam no dia-a-dia, cuja sanha assassina, se transforma num aspecto frígido, extrapoladores da dor do outrem, escamoteiam sua personalidade criminosa e desdenhosa que só se saciam quando maculam, faceiam, fenecem e imobilizam ou deixam inertes suas vítimas, cujo sangue fluido da vida escoa pelas ruas, calçadas e asfaltos da vida.


Para os espiritistas e outros religiosos que acreditam na reencarnação que era a crença de nossos antepassados, mas através dos Concílios resolveram mudar para ressurreição, muita coisa que tinha preceitos e verdades inerentes ao Espírito e sua nuanças foram esquecidas por algumas doutrinas cristãs. A psicografia é um dom dado por Deus ao homem, independente de religião e credo, pois a mediunidade e seus fenômenos não são atribuições exclusivas da Doutrina espírita, pois médium significa intermediário, mas como o Espiritismo estuda com mais afinco esses fenômenos e os praticam, inclusive a ciência já se manifestou como real, algumas delas já foram usadas, inclusive como provas cabais para elucidações de crimes. Na “Revista Saúde Animal - Zoo Virtual”, página 3 – cita o seguinte: “História de João Hélio – É o garotinho que foi arrastado pelos assaltantes”. Veja como a Lei de Causa e Efeito, que aprendemos, é justa e nos possibilita reparar nossos desajustes do passado. Mensagem: ‘nasci na Gália no dia 22 e desencarnei na Líbia no ano de 20 da era cristã. Fui oficial da legião dos leões que estava na Líbia, Núbia. Como governador de Al Katrim, me comprazia atrelar na minha biga puxada por dois cavalos velozes, crianças, homens, mulheres, novos e velhos que eram puxados através da estrada seca e pedregosa daquela região da África.  Os corpos se despedaçavam e eu era exaltado pelos meus pares... Morri em combate com tropas egípcias e me deparei em uma região de treva profunda, talvez uma caverna. Muitos gritos e rostos aterradores me esperavam. Fui levado a um estado de total animalidade por mil e quinhentos anos, quando servos de Maria me resgataram. Sendo levado a outro plano, fui aos poucos tendo meu perispírito reajustado, minha mente normalizada e meus pensamentos corrigidos. E compreendi os horrores que cometi. Que tristeza Deus! Por trezentos anos permaneci em preparo para a reencarnação e pedia graça de receber para desencarne o mesmo destino dado por mim a outros.

 No ano do Senhor de 2001, após busca incessante por quem me recebesse como filho, um casal tiranizado por mim aceitou. Reencarnei. Agora em comoção generalizada, como irmão Joãozinho - desencarnei e agradeço ao Pai ter me atendido dando destino, nem igual ao que dei às minhas vítimas. Estou em paz, estou na luz. Resgatei um pouco do meu passado, outros momentos virão. Confio em Deus. Titus Aelius (*) Mensagem psicografada de João Hélio no Centro Espírita Leon Dennis, que ele freqüentava com os pais Simone e Abel. Que fique claro que nem todos os casos pela qual passamos são débitos do passado, mas aqueles que cometem crimes hediondos e outros tipos de violência se não forem aqui na Terra atingidos pela Lei de Ação e Reação e Causa e Efeito, com certeza em outras reencarnações virá para cumprir a pena e só através dela é que o Espírito conseguirá sua evolução, pois a retrogradação para ele não existe. Pensem nisso.






ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E ACADÊMICO DA ALOMERCE


 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 

 
Paivinhajornalista
Enviado por Paivinhajornalista em 05/07/2007
Código do texto: T553852
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Paivinhajornalista
Fortaleza - Ceará - Brasil
2277 textos (1006714 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/05/21 01:00)
Paivinhajornalista