Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Alcíbia

Considero bacana e de extrema importância  as mulheres assumirem posições nunca dantes imaginadas, serem donas dos seus próprios narizes,  dos seus gostos,  dos seus guarda roupas,  poderosas e absolutas. Eis aí a questão.
 Acontece que ninguém é absoluto,  ninguém se basta e dentro de uma sociedade civilizada temos a necessidade  do outro.
Devo ser um ser de outro planeta, ou do século passado, mas ainda acho romântico e essencial o ser cuidada e protegida. Dou valor considerável  aquele que enfrentaria o dragão e subiria na torre do castelo para me resgatar e me levaria num cavalo branco para o altar. Sou pisciana,  desculpa aí.
 Gosto de ser menina e fazer coisas de menina. Perco tardes no cabeleireiro,  assisto e choro em comédias românticas,  gosto de saber das novidades do mundo fashion,  luto contra a balança,  compro cremes anti-idade, adoro um vestidinho, um chocolate, café com as amigas e enlouqueço com o cor-de-rosa.
Tenho meu lado Alcíbia, meu lado guerreiro e forte de mulher e mãe trabalhadora,  a cada dia um leão para enfrentar.   Entretanto,  confesso,  ser forte o tempo todo cansa, me dá dores na lombar,  não tenho tanta força assim,  definitivamente, não me atrai.
 Jamais conseguiria suportar sozinha as agruras do dia a dia. Saber que no final do dia eles estão lá,  acalma a alma. Gosto de trabalhar,  gosto da minha profissão,  mas com parcimônia,  pois,  uma vida ocupada demais,  como já filosofou Sócrates,  torna-se vazia, e isto,  meu caro,  eu dispenso.
 Toda mulher necessita de um homem mais homem que ela.
Isso é da natureza feminina. Por mais que queiramos,  não nos cabe um papel que não é nosso.
Estou falando em ser sim, forte, guerreira, lutar pelo seu espaço e adquiri-lo honradamente, mas sem deixar de ser mulher, sem esquecer a essência.
Pois viver tantos personagens em vinte e quatro horas  é sim coisa de mulher e não é pra qualquer uma.
E ter com quem dividir o café, as alegrias e os problemas, deixar-se cuidar e acarinhar,  é erário a se guardar e cultivar  e não há filosofia contrária que o valha.
Catia Schneider
Enviado por Catia Schneider em 23/02/2016
Código do texto: T5553280
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Catia Schneider
Joinville - Santa Catarina - Brasil, 42 anos
146 textos (36155 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/03/21 08:29)
Catia Schneider