Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Anjo Negro


Em um dia desses, quando a natureza estava em um dos seus melhores momentos, na plenitude magistral de sua beleza, algo caiu sobre as "Terras da Mama África". Não, não era o "Homem de Aço" que veio ao "Planeta dos Homens" socorrer os indefesos mortais humanos e lutar contra o mal. Não, era muito mais que isto! Não, não era um "meteoro desavisado" que rasgou a alma da estratosfera, partiu-se em inúmeros fragmentos e feriu de morte a Terra cansada dos desmandos humanos. Não, era muito mais que isto! Nem tampouco era uma nave extraterrestre que perdeu o "rumo de casa" e, por um motivo de "ordem alienígena", espatifou-se nas terras do continente selvagem. Não, era muito mais que isto! Era um anjo! Não um "anjo qualquer", cantado em prosa e verso, nas páginas das velhas escrituras. Não, era muito mais que isto! Era um "Anjo Negro"!

Como todo "bom anjo" que cai na terra, logo perdeu todos os seus atributos divinos. Deixou a boa vida de anjo de lado e passou a sofrer na carne toda a magnitude do sofrimento humano. Anjo não vem ao mundo para comer bacalhau português, tomar champanhe francesa e fumar charuto cubano. Vem para revolucionar todos os "estigmas da ignorância humana"!

Este anjo era diferente, não só na cor de sua pele, tinha uma "paciência de Jó". Sabia que o sofrimento humano é que nem uma "irritante TPM": judia, mas não mata. Sabia que por mais atrevido que fosse um eclipse, ele não sequestraria a luz para sempre. Sabia que a verdade ecumênica da justiça pode tardar, mas sempre alcança os menos favorecidos, "doa a quem doer".

E Assim, em "doses homeopáticas de sabedoria", devagar, devagarinho, transformou o "duro sofrimento" em "gotas de esperança"; lapidou a alma bruta do intolerante tornando-a capaz de aceitar e conviver com as diferenças; quebrou corações endurecidos e calcificados de ódio; trouxe a bendita paz onde havia a nefasta guerra, e o "Amor", mais uma vez, como nos contos de fada, triunfou sobre a "Morte". Depois dele, a Terra dos nossos ancestrais e  o mundo nunca mais foram os mesmos...

Obrigado "Anjo Negro"! O seu legado abençoado está guardado a sete chaves, dentro do coração sagrado da humanidade. Só mesmo Deus, poderia dar à Terra e para toda a raça humana, presente tão divino. Anjos não vivem no tempo, mas sim na eternidade!
Big Ben
Enviado por Big Ben em 10/01/2018
Código do texto: T6222278
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Big Ben
São Paulo - São Paulo - Brasil, 61 anos
119 textos (23842 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/20 23:49)
Big Ben