Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Palavra Solta - grão, poeira, um nada...

Palavra Solta - grão, poeira, um nada...

*Rangel Alves da Costa


Nós, seres humanos, os mesmos seres humanos tão egoístas, tão vaidosos, tão arrogantes, somos um quase nada. Sim, somos apenas um tiquinho, um pouquinho, um quase nada. Sim, somos apenas uma poeira, um grão, um pó, um quase nada. Para uma ideia, somos mais frágeis que asas da borboleta, que ao bater provoca um vendaval. Somos mais frágeis que um pingo d’água que ao cair pode provocar um tsunami. Somos menos que o próprio ar que respiramos e tudo o que suspiramos. Somos um quase nada. Tão frágeis somos que sequer dependemos de nós mesmos para sobreviver. Estamos expostos às violências, às brutalidades e às arrogâncias do mundo. Estamos expostos aos desejos orgânicos e aos reveses da saúde. Estamos sempre chamados a comprovar que existimos perante o que não nos quer existindo. E o mais incompreensível é que muitos humanos, além de todas as fragilidades existentes, ainda procuram caminhos que antecipam o fim. O grão que se torna em nada.


Escritor
blograngel-sertao.blogspot.com
Rangel Alves da Costa
Enviado por Rangel Alves da Costa em 16/04/2018
Código do texto: T6310472
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rangel Alves da Costa
Aracaju - Sergipe - Brasil, 55 anos
8754 textos (212452 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/04/18 20:32)
Rangel Alves da Costa