Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A ingratidão dos filhos




               Nada há de mais triste que sofrer por ingratidão de alguém; triste e desnecessário, porque não devemos esperar reconhecimento por algum bem que tenhamos feito, seja ou não o beneficiado parente, pessoa próxima ou distante de nós. Deveríamos considerar tal fato como uma obrigação social ou humanitária para com o próximo. Algo totalmente independente de religião, apenas um ato pessoal ditado por nossa consciência, objetivando tornar menos dura a vida daqueles que precisam de ajuda.
               Alguns pais padecem terrivelmente pelo fato de não receberem a atenção que julgam merecer dos filhos. - Ingratos – dizem eles, se o filho demora a fazer uma visita, se não dá um presente de aniversário. Será que, quando jovens, agiam assim com os próprios pais? É bem provável que não. Envergonho-me ao confessar que não fui um filho atencioso, não tratei os meus pais como deveria. Hoje fazendo um exame de consciência chego a sentir remorsos por só agora compreender, tardiamente, aquele meu imperdoável comportamento.
               Se Deus fosse o ser impiedoso que muitos julgam, eu não teria hoje, como castigo, a atenção dos meus dois queridos filhos.

Jota Garcia
Enviado por Jota Garcia em 27/08/2018
Reeditado em 27/08/2018
Código do texto: T6431808
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Jota Garcia
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 83 anos
732 textos (26229 leituras)
7 áudios (393 audições)
1 e-livros (53 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/03/20 23:58)
Jota Garcia