Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESCRITOS E DIZERES

 



O contrabando desenfreado, a péssima qualidade de alguns produtos ditos “importados”, a sonegação de impostos e a chegada ao Brasil de artigos advindos de alguns países em que as leis sociais (quase) inexistem, fizeram surgir as lojas conhecidas como de “1,99”. Após a ressaca modista, a maioria das lojas passou a exibir anúncios, onde se lia (ainda se lê): “a partir de R$ 1,99”. E não há quem não tenha comprado ao menos uma vez nessas loja (e nos camelôs). Certa ocasião comprei um pequeno pé-de-cabra. Ao tentar mover um prego, o pé-de-cabra entortou. Foi o meu batismo, ingresso e despedida das quinquilharias.
A esse respeito, em analogia, eu criei um neologismo para comparar os textos que os livros (bons) nos apresentam com a linguagem popular, que igualmente sobrenadam nas ondas dos modismos. Eu chamo de cultura “umnoventenovisada”. Como, ainda, o nosso povo lê muito pouco (menos de dois livros/ano por pessoa), vagam impunes os besteiróis, prontamente assumidos. Não raras vezes, se ouve que a língua portuguesa é difícil. E o é, eis que as regras gramaticais não são respeitadas em muitas ocasiões formais. O quê sobra para o povão? Criar uma espécie de língua paralela, recheada de estrangeirismos. Evidente que não devemos desconhecer o dinamismo das línguas. Os termos novos da era da Internet não poderão ser encontrados em textos pretéritos escritos há um quartel de século. No entanto, agregar não significa desconhecer o existente, mesmo que as redações ou transcrições sejam antigas. Para este labor, ou deleite, depende do caso, existem os dicionário e enciclopédias.
Para tentar dar moldura a este artigo, apresento dois momentos: um fictício e outro encontrado no livro Memórias do Coronel Falcão, Aureliano de Figueiredo Pinto, página 55. Nota: não se trata de crítica, apenas de constatação e, sem pretensão, também para que reflitamos do que somos capaz de encontrar.
Situação  I – “Ô, meu, vasa que o bagulho já era.”
Situação II – “... O Ventania rugiu em franco delírio de raiva erótica. As carótidas, as subclávias, as jugulares e o mais, turgesceram, encorparam, retesaram-se como tamoeiros a uma chinchada forte. O pescoço curto tomou volumes de cogote de touro jaguané em outubro”...
É... escritos e dizeres. Sem dichote ou chalaça, mas, talvez os dois careçam de tradução. Será que nos “1,99” têm dicionário?
Cláudio Pinto de Sá
Enviado por Cláudio Pinto de Sá em 10/09/2007
Código do texto: T646975
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cláudio Pinto de Sá
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
163 textos (23686 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 19:07)
Cláudio Pinto de Sá