Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NOVO EMPREGO.




Finalmente é domingo...
Apenas domingo, um dia comum para muitos, entretanto, para este que vos escreve, é um dia muitíssimos especial. Talvez você esteja se perguntando o quê há de tão especial neste meu domingo. 'Na verdade nada'. Não é meu aniversário, nem meu time está jogando a final de algum campeonato importante - aliás… Eu não sou torcedor de nenhum time - tão pouco aprecio o futebol, nada contra quem gosta.
Acontece que, é domingo… Simples assim, domingo... Nada melhor que este dia, 'merecido' de descanso. Em geral, eu trabalho aos domingos, a cada dois trabalhados tenho direito a um de descanso. Já a minha folga fixa semanal é na segunda-feira, por isso, caríssimos leitores, a cada duas semanas tenho dois dias seguidos de descanso. Merecidos eu diria, uma vez que, a minha jornada de trabalho é extensa, e durante os meus turnos, a minha ocupação por assim dizer, é frenética, corrida, sem chance para intervalo de descanso e bate papo. O único momento em que paro é na hora da rejeição - que não tem um tempo estipulada de acontecer - O horário de 'almoço', como é chamado, embora esse, 'intervalo', às vezes no final do entardecer, portanto, seria mais apropriado denominá-lo 'jantar', tem a duração de uma hora e dez minutos. No retorno ao trabalho é a mesma loucura e correria até finalizar o turno.
Finalmente é domingo...
Faz quatro meses que estou trabalhando meus amigos - sou grato a Deus pelo meu emprego - Eu já mencionei em outras crônicas dessa nova ocupação, contudo, nunca lhes dei detalhes a respeito, pois bem, permitam que eu lhes conte alguns pormenores do meu novo trabalho.
Após ficar mais de um ano parado, finalmente sai da fila de desemprego. Certo dia, um anúncio em um jornal da cidade, não me lembro bem onde, dizia que precisava-se de açougueiro em um determinado hipermercado. A princípio relutei em enviar meu currículo, afinal, eu não exercia essa função já fazia dezoito anos. Encorajado pela esposa, deixei o medo de lado e fui em frente, cadastrei o meu currículo na página do hipermercado na internet, dois dias depois fui chamado para uma entrevista. O medo era grande, porém, a vontade em trabalhar superou o medo. Alguns dias depois de exames, e uma nova entrevista com o gerente do setor... Lá estava eu, frente a um balcão enorme de açougue, uma multidão de fregueses enlouquecidos, outra multidão de companheiros de trabalho do lado de dentro. Medo, euforia, incerteza, vontade de correr, vontade de ficar. Os primeiros dias foram horríveis, demorei para me acostumar. Os dias foram passando, e aos poucos fui me habituando novamente à antiga profissão. Dia após dia, conhecendo melhor da minha própria profissão, conhecendo melhor os meus colegas de trabalho, dos inúmeros fregueses, e, principalmente, de mim mesmo, descobri algo importante. Às vezes a única coisa em que precisamos é de coragem para enfrentar o que mais nos assusta, criamos monstros enormes, quando na verdade nem são tão grandes assim.
Hoje é domingo... Finalmente, dia de descanso, merecido...


Macedo Pena
Enviado por Macedo Pena em 20/01/2019
Código do texto: T6555488
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Macedo Pena
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 37 anos
440 textos (8681 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/06/19 03:11)
Macedo Pena