Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LIBERDADE SEMPRE!

LIBERDADE SEMPRE!

Nelson Marzullo Tangerini

          Há muito sou um militante da liberdade, um escritor em luta contra o fascismo.
          Não pretendia votar em ninguém. Sou contra o voto obrigatório, penso que eleição é farsa, e sonho com um socialismo libertário, o que me leva, muitas vezes, a criticar o socialismo autoritário – e tais críticas têm até causado mal estar e brigas entre amigos comprovadamente de esquerda. Difícil agradar gregos e troianos.
          Escrevo-lhes esta crônica porque muitos vieram me criticar in box e no zap, por ter resolvido apoiar Haddad na reta final.
          O que as pessoas queriam, que eu apoiasse um candidato que se diz cristão e apoia a ditadura e a tortura? O ídolo dele é um torturador, Carlos Alberto Brilhante Ustra, o mais cruel e mais temido torturador da ditadura militar, que deixou um largo histórico de torturados, assassinados e desaparecidos.
           Talvez meu erro seja estar sempre atracado com livros de História para saber o que falo e o que digo. Justamente, num momento em que as páginas de nossa história estão sendo rasgadas em universidades e censuradas em colégios, prática muito comum em países autoritários e fascistas.
           E as pessoas continuam me perguntando o que eu penso sobre a Venezuela. Tenho declarado publicamente que não sou fã de Castros, Maduro ou Ortega – os dois últimos, ditadores autoritários da Venezuela e Nicarágua, respectivamente.
           Estou, neste momento, com Haddad, porque o outro candidato mantém seu discurso de ódio e se apresenta com armas, fazendo, inclusive,  propaganda da Taurus.
           É meu dever, como escritor, lutar contra o fascismo e contra qualquer forma de ditadura, seja ela religiosa, de direita ou de esquerda.
           Não temo tais comentários a meus respeito. O que não posso é apoiar um homem desequilibrado, uma família de desequilibrados, que vomita ódio na televisão e nas redes sociais.
           O meu discurso não é armamentista, embora me considere um revolucionário.
           Sim, o PT merece críticas severas. Avram Noam Chomisky escreveu sobre o assunto, recentemente. Mas isto não é motivo para cultuarmos a ditadura, a tortura e o fascismo, apoiados por cristãos evangélicos, que desprezam a História e passam a vida lendo um único livro, a Bíblia. É preciso respeitar os livros de História. Eles não merecem ser rasgados e jogados no lixo ou na fogueira. Ou enfrentaremos mais uma Inquisição.
           Há muito abandonei o cristianismo belicista. Mas Cristo, aquele que, um dia, nos disse “Não matarás” ou “Amai os vossos inimigos”, ainda é uma referência em minha vida, assim como Gandhi,  Martin Luther King, John Lennon, Dorothy Stang, Chico Mendes e Nelson Mandela.
           Contra o fascismo, sempre darei a minha contribuição, até que eu venha a criticar duramente quem o derrotou  e impôs, também, as suas ideias autoritárias.
           A liberdade é sempre mais alegre e mais arejada. Liberdade sempre!
Nelson Marzullo Tangerini
Enviado por Nelson Marzullo Tangerini em 18/07/2019
Reeditado em 19/07/2019
Código do texto: T6698685
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson Marzullo Tangerini
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 64 anos
310 textos (24136 leituras)
9 e-livros (127 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/19 02:12)
Nelson Marzullo Tangerini