Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O MENINO NA JANELA

Contemplando o horizonte por minha janela, vejo chegar, sorrateiramente, meus 59 anos. Como assim? Eu, ainda, um menino, há pouco! Foi tão rápido! Enquanto o observo através de as frestas de minha janela, pergunto-me: o que o fez chegar tão rápido? Não precisava de tanta pressa assim! É, Cazuza, tenho que concordar contigo: “O Tempo Não Para!”
O que eu vivi, talvez, coube ao destino, mas como vivi foi uma opção minha. Nessas horas retrato momentos, mergulho em lembranças e recordo tantas experiências.
A idade tem dessas coisas: faz-nos mais contemplativos, reflexivos e sábios (espero! rsrsr). Em minhas memórias, sinto a falta de um convívio maior com meus Irmãos e com meu filho! Tantas coisas aconteceram, e agradeço por cada uma delas, pois me forjaram no homem que sou, que ora contempla o tempo pela janela, ainda, pensando ser aquele menino sonhador, o qual, jamais, quero que morra dentro de mim.
Embora eu já escute o galopar constante dos meus 59 anos a se aproximar, não sinto seu peso, não temo sua presença ou sequer o rejeito. Como em anos anteriores, de braços abertos o recebo com carinho. Visto a melhor roupa ao me despir de velhos hábitos! Contabilizo as experiências e, sempre, acuso um “superátive” do “valeu a pena!” Se chorei ou se sofri, dizia Robertos Carlos: o importante é que emoções eu vivi. E sigo confiante em Fernando Pessoa, afinal, “tudo vale a pena, se a alma não é pequena”.
É importante ter sonhos! É maravilhoso realizar nossos sonhos! É sábio aceitar que nem todos poderão ser realizados e mais sábio, ainda, ter o mesmo contentamento quando tais sonhos, por nós não-realizados, possam sê-los por outro sonhador, que não nós! Talvez, esteja aqui o segredo da felicidade! Realizei muitos dos meus sonhos, através das conquistas de meus filhos, e até, de anônimos caçadores de sonhos, que conseguiram transmuta-los em realidade. Hoje, aqui, debruçado em minha janela, percebo que o que chamamos de “realidade” é muito relativo!
O tempo, o espaço, tudo é relativo! Ao vivenciar mais uma experiência neste planeta Terra, de onde nada do que lutamos tanto para conseguir se leva; nada de material, que priorizamos tanto, terá a menor importância para onde iremos, vejo que o tempo, de fato, é ilusório, passageiro. Ele, o tempo, é, apenas, uma espécie de pano de fundo no palco da vida terrena.
O menino que contempla o cavalgar de seus 59 anos se aproximando pela janela, é tão real dentro de mim, quando me permito sonhar. Talvez, a vida seja isso, um sonho em que podemos interagir e traçar destinos.
Ainda, falta-me um pouco mais de 2 meses para esse Cavaleiro das Idades bater a minha porta, ao som do “Parabéns a Você”, tirando de seu alforje novas metas e realizações para serem conquistadas, por mais um ciclo de vida. Decerto, ao se deparar, no parapeito desta janela da vida, reconhecerá o menino, através do brilho de vida em meus olhos, deixando sua encomenda, e com um sorriso e um leve meneio de cabeça, a ajeitar seu velho chapéu, despedir-se-á sem palavras, como em anos anteriores.
Jamais, recusarei a visita desse Cavaleiro das Idades, nem tão pouco deixarei morrer, em mim, esse menino sonhador, que recebe ansioso, a cada ano, novas metas para serem atingidas no ciclo vindouro. Tal menino, carinhosamente, o batizei pelo nome de Entusiasmo! Oriundo do grego, “in + theos”, “Entusiasmo”, significa “em Deus”. Seu nome é o meu combustível para seguir, sempre, em frente, agradecendo por cada obstáculo em meu caminho, pois esses, são para mim, a oportunidade de um novo aprendizado.
A idade é assim! Chega-nos aos poucos, na mesma proporção, ou bem por aí, em que vai se despedindo a vitalidade. A idade, conforme o grau de consciência de cada um, traz como anexo, a Sabedoria. Sendo o tempo uma grande ilusão deste plano terreno, resta-nos manter, sempre, acesa a chama do Entusiasmo, para que o brilho dos olhos deste menino, que ora contempla a chegada do eterno Cavaleiro, através da janela da vida, possa iluminar novos sonhos, mesmos aqueles que, sabemos que, jamais, serão, por nós realizados, pouco importa!
Francisco Feitosa
Enviado por Francisco Feitosa em 31/08/2019
Código do texto: T6733705
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deverá citar a autoria de Francisco Feitosa). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Feitosa
São Lourenço - Minas Gerais - Brasil, 59 anos
3 textos (71 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/11/19 21:03)
Francisco Feitosa