Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Longe dos poemas



Não importa se são noites, manhãs ou tardes.
Não posso não devo negar
Uma oração um conselho!
Muitos não sabem e outros
Sabem. Faço por amor a missão!
No nosso cotidiano as coisas vão tomando um rumo e de repente descobrimos novos
talentos.
- Claro! É Deus quem capacita e  faz isso:
Colocando amor no meu coração. Através de um olhar espiritual.
Sabedora desta unção, fui além, para poder entender tudo de novo que para mim, Deus reservou.
- Fiz um curso de capelania, para saber lidar com as almas tão carentes e não ter problemas emocionais. Haja vista a proximidade!
- Fazer  esta missão requer muito da gente. Uma vida voltada para Deus.
- Acompanhada de orações, jejuns e consagrações.
- Claro, sou muito sensível e choro bastante nessa caminhada clamando a Deus por outras vidas.
- Não sou egoísta, não peço apenas pela minha família. Pois quando faço para os outros Deus faz pelos meus.
- Levar carinho para um presídio é difícil, nosso coração fica partido.
- Ver um monte de pessoas aglomeradas num mesmo lugar, parecem animais; uns porque estavam no lugar e hora errada e caiu no laço de satanás.
Outros culpados coração de pedra e outros inocentes (esses quase vão a loucura por estar confinados tentando provar sua inocência).
- E outros enlouquecem pela vergonha e humilhação. Mas independente de serem certos ou errados Deus em Cristo Jesus ama a todos e quer que se arrependam dos seus pecados!
- Levar carinho aos enfermos então, às vezes dá um nó na garganta. E principalmente quando chega a hora da visita e ninguém vem. Dói demais!
- Ir numa UTI orar e naquele momento poder entender que não somos nada. E quantos soberbos , arrogantes, julgadores e acham que são quando não são.
- Ir num hospital do câncer, vê pessoas comidas pelo câncer? Nem precisa falar!
- Uma das visitas que mais gosto de fazer é visitar àqueles que estão em casa numa cama praticamente abandonado.
- Poder ver seus olhinhos brilharem e até mesmo arrancar uma lágrima e depois um sorriso. É tão gratificante.
- Quantas vezes nem tempo tenho,mas arrumo um jeito e vou aonde sou chamada. Não consigo negar! Longe de mim, nada passa despercebido diante de Deus.
- Certa feita. Eu estava no hospital como acompanhante, nesse momento procuro sempre confortar e levar esperança que tudo vai passar e vão sarar em nome de Jesus.
- Havia um senhor, que deixaram ele lá. Percebi que o tempo passava e ninguém aparecia. Fui e perguntei se ninguém viria, ele falou que o deixaram alí e não voltaram nem ligaram para saber dele.
- Eu, não consigo ficar sem fazer nada. Logo arrumei tudo dele, falei que o olharia . também enquanto eu estivesse ali. Procurei a médica dele e acompanhei o andamento da sua da saúde.
- Levei as roupas sujas dele  para casa. Pus na máquina, depois de secar arrumei. Fui no armário de roupas do meu marido , peguei tudo que ele precisava. Peguei também material de higiene e levei.
- Pense, numa pessoa feliz e agradecida, seus olhos cheio de lágrimas. Enquanto eu estive alí ele foi assistido. Depois eu consegui saber de onde ele tinha vindo, veio de um abrigo. Anotei o telefone para poder saber dele, e com a graça de Deus ele saiu e ficou bem.
- Não falo essas coisas para me engrandecer. Mas para que saibamos como a vida lá fora para muitos é desumana.
-Porque eu não sou nada, sou pó e cinza e às cinzas voltarei.
- O que eu aprendo com isso? Que não devemos apontar quando não sabemos o que tem por trás da muralha! E que sim, podemos ser melhores!

Mary Jun
Jun/2019
Mary Jun
Enviado por Mary Jun em 03/09/2019
Código do texto: T6736097
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Mary Jun
Recife - Pernambuco - Brasil, 55 anos
848 textos (41316 leituras)
1 e-livros (87 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/01/20 09:32)
Mary Jun