Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Assistindo o amor

Assistindo o amor

Coração casual sem igual. Assistindo o amor de Michel em um semblante necessário de um caráter de ser bem dito. Ele era professor de matemática de orações grandes e simples e de corajosos momentos de ser um ser de paz. O coração que tudo adentra dentro de ventos e diapasões e amar Michel eram um virginiano de coração puro, doce e nobre. Mesmo silenciando quem não tem coisas más Michel era fiel a Deus. Que de responsabilidade dele era estudar e trabalhar para ser feliz. E Michel virou contador também e se mostrava ser o melhor empregado daquela empresa, e morava na zona sul de São Paulo.  Michel pegou uma gripe forte e ficou de cama e com coragem venceu a doença com duas semanas de dor e foi-se. Com o direcionamento religioso que tinha passou a dar trinta por cento de seu salário para a igreja, e casou com Angelina mulher de trinta e nove anos bela e forte em tudo o que fazia. O amor que tudo se repagina mostrar os servos de Deus em Deus o perdão era algo lindo e certo, pois Joaquim era poeta professor e contador, e que o amor que sentes por ela é a mulher mais perfeita que existe. E que o dorso do amor é chamar-se de ser doravante de pazes singulares. Joaquim amava Angelina e tiveram três filhas mulheres. E eram saudáveis em tudo, e chamava-se Patrícia, Lucena e Carla, e deram vários netinhos para os avós, e com muito carisma que enfrentavam elas três e os pais moravam perto uns dos outros e de que a felicidade bate a porta do cristão quando menos se procura e mais se reza. E o amor que tudo discerne em ser paz para a caridade o perdão entre os cinco era corrente e potente, com o sentimento de amor maior a alegria em perdoar sempre presente. E com alegria discernir o corpo tudo supera e se dar a elevar a vida em prontidão e solicitude é convidado à mesa da salvação, para o coração de amar e se perdoar cada momento sentido e vivido no amor perdoador. Assistindo o amor que o sentimento de se tornar um semblante de paz sincera se afeiçoa o amor que devemos ter é de coesão e de simples almas e almas simples. O coração é perdoador quando se imerge em cada movimento natural de suas ondas paramétricas de que vencemos na ciranda da vida levando o sonhar ao seu sossego. E que o amo que não falta ser amor pelo que nutre cada vertente o perdão é uma razão para se viver e viver cada vida interna e singela e de não errar mais tanto contra o bom amor. Versos que lutam pelo horizonte feliz alcançarão misericórdia e de vontade eternas o céu celeste e de que ao amor tudo se mostra ser feliz perdoar e se ser perdoado para sempre. Assistindo o amor em seu leito Michel sempre amou a Deus e quase sempre foi feliz, pois o corpo pode padecer, mas a alma está em Deus todos os dias e de nossas vozes no amor convertedor de raízes de um âmbar ativo em cada momento que o vem e bem quiser. Assistindo que o mundo está em cada semente gerar o amor não cessa não acaba em nenhum poente que possa se erguer quem precisa demais e mais.
Gumer Navarro
Enviado por Gumer Navarro em 08/11/2019
Código do texto: T6790209
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gumer Navarro
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
1776 textos (6577 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/11/19 00:56)
Gumer Navarro