Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CAPRICHOS DO AMOR

Tema infindável é o Amor... Sempre existe algo a se falar... sempre existe algo a se aprender...
Osculos e amplexos,
Marcial

CAPRICHOS DO AMOR
Marcial Salaverry

Coisa interessante é esse tal de amor. Ninguém sabe explicar direito o que ele é, como é, e se tem efeitos colaterais. Mas  ele existe, embora muita gente não acredite, por não ser capaz de amar.
Acontece que ele chega insidiosamente, dando um ligeiro sinal de presença, como que dizendo, "cheguei, companheiro, sou eu mesmo".
Por vezes, percebemos sua presença logo no começo de nossa vida. Muitas vezes, sabemos localizá-lo e identificar sua origem, em um lindo par de olhos, ou de pernas, e nos entregamos ao sentimento. Se tudo dá certo, beleza pura, vive-se uma vida plena, total e completa ao lado de quem amamos... Claro que para isso acontecer, temos também que ser amados, e pela mesma pessoa a quem amamos. Senão não tem graça.
Algumas vezes, para nossa tristeza, percebemos que aquela pessoa a quem estamos amando, não se mostra receptiva a nosso amor. E vem aquela agonia, que é o suplício de amar sem ser amado.
Há o outro lado da moeda, ou seja, quando existe alguém que nos ama, e não retribuímos o sentimento. Também é uma situação desconfortável. Se a pessoa em questão é alguém a quem queremos bem, mas com amizade apenas, a coisa se complica mais ainda. Questionamo-nos, pois é difícil entender porque, apesar de gostarmos da pessoa, não pensamos nela com amor, com desejo de fazer uma vida juntos.
Chegamos à conclusão de que alguma coisa está errada conosco. Por que será que não conseguimos retribuir ao amor que nos é dedicado? Se esta pessoa nos ama, está pronta a nos dedicar sua vida, e além disso, é uma excelente pessoa e gostamos dela, por que resistimos à idéia de uma vida em comum? Porque não sentimos amor. Ora, e o que é esse tal de amor, que pode definir se temos ou não condições de viver com alguém?
São situações enfrentadas com frequência durante nossa vida, e temos que saber administrá-las, para não pirar de vez.
Sempre precisamos estar preparados, para o encontro com o tão falado e desejado Amor.
Porque ele pode surgir repentinamente numa dessas voltas que a vida dá. E, se acontecer, é preciso que saibamos identificá-lo. Muitas vezes não é fácil, principalmente se for o caso de nunca haver travado conhecimento com ele antes.
Então, ficamos surpresos, pois sentimos algo indefinido, algo desconhecido. Mas identificamos os sintomas, e chegamos à conclusão de que o vírus W-Love nos pegou.
Meu querido guru L’Inconnu, deixou-nos uma frase que equaciona bem o assunto.
Vejam se ele não está certo:
O amor quando surge, deve ser vivido intensamente. Não vivê-lo, será como morrer sem ter vivido.
Penso que ele está absolutamente correto. Se a coisa que o ser humano mais almeja é conhecer o amor, como deixá-lo passar por nossa vida sem sentir seu gosto? Sem poder dizer, que finalmente soube sentir essa coisa tão desejada, tão ambicionada por todos, que é o Amor? Há que se curti-lo. Há que se vivê-lo.
Claro, esse amor para ser realmente bom, tem de ser recíproco. Não adianta apenas um amar. Será um Am... faltará sempre o Or, para completá-lo. Aí, infelizmente, tem que se enfiar a violinha no saco e continuar a busca. O amor para ser completo, tem que ser a dois, e preferencialmente com a mesma intensidade.
Nesse caso, não existe muita coisa a fazer, a não ser tratar de curtir a doença, que exige longos períodos de cama.
Não adianta muito tentar resistir quando ele nos pega de jeito. Aliás, nem se deve resistir, principalmente se acontecer reciprocidade do outro lado.
Então, com muito amor no coração, desejo a todos UM LINDO DIA.

Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 08/10/2007
Código do texto: T685288
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 79 anos
21180 textos (2102975 leituras)
3 áudios (894 audições)
6 e-livros (2160 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 19:07)
Marcial Salaverry