Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BEM NO FUNDO DO RIO

BEM NO FUNDO DO RIO
MARÍLIA L.PAIXÃO

Agoniada a existência pesa. Parece que a alma está mal embrulhada num papel grosso, de carne, sem barbante. Fácil para qualquer um ver o quanto ainda está crua. Breve parecerá queimada... Assim como se queimam asas de anjo que não consegue voar direito. Devo ser um anjo desfeito. Uma asa branca e outra cinza e nenhuma serve para voar. Precisava voar. Andar é lento e meus passos estão pesados. Se há caminho, um pede que eu leve chumbo e outro que eu derrube muros. Merecia poder voar e não ficar a procura de um buraquinho. Não existe um canudinho que me atravesse de um lado para o outro, sequer do céu. Não quero voar para longe. Preciso estar perto do meu ouro que vive lado a lado. Será que é num céu dourado? Será que o meu céu preferiria minha alegria viva a uma paz quase morta, sem glória? Ás vezes me sinto no deserto de mim mesma e minha alma ainda brilha a espera do sol poente. Ela deve ser uma alma delinqüente enquanto um pouco da minha sabedoria divaga. O mundo parece ter apenas respostas vagas e minhas perguntas não são complexas. São perguntas de peixe sentindo frio bem no fundo do rio.
Marília L Paixão
Enviado por Marília L Paixão em 09/10/2007
Código do texto: T686419

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Marília L Paixão
Pouso Alegre - Minas Gerais - Brasil
1075 textos (137857 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 15:15)
Marília L Paixão