MINHA MANA MUITO, MUITO AMADA


     Certa vez, arrumando alguns pertences da mana, que foi para a Terra de Deus, não era muita coisa, mas quase tudo que se refere a objetos pessoais, cama, mesa e banho, suas roupas,coisas ainda encaixotadas, porque ela era sempre precavida e como a família é muito grande e unida, ainda que espalhada pelo Brasil, ia fazendo a lista de presentes de natal e ano novo, a partir de agosto. Todo ano era a mesma coisa e naquele ano não foi diferente. Ficou doente em maio de 2011, quando descbriu qual o broblema, tratou de adiantar as compras em companhia de um outro irmão que morava com ela.
          Quem resolvia tudo junto com ela era eu, mas na época eu estava em Fortaleza cuidando da mana caçula que precisou de uma bariática e não havia ninguém para cuidar dela, todo mundo trabalhava., e eu estava de férias.
        Fiqueiuei dois meses com aquela irmã, só retornando em julho daquele ano. Pois bem, a partir dali, retornei trazendo a de Frtaleza para que eu pudesse cuidar das duas ao mesmo tempo. Depois que a caçula, já recuperada voltou para Folrtaleza, levei a mana para minha casa para que fosse mais facil cuidar dela e de minha casa.
     Foi muita luta, mas sempre com esperança de que a mana ficaria curada o que infelizmente não aconteceu. Passou até dezembro daquele ano conosco lá em casa, onde, na medida do possível, fiz de tudo para que ainda estivesse aqui e saudável. Mas Deus não quis.
     No inicio de janeiro de 2012, submeteu-se a um procedimento para desobstruir veias, para que não tivesse uma trombose. Depois dessa cirurgia, teve que ficar em casa de uma família amiga, já que onde moravamos, não não havia elevaor. Prédios antigos da Asa Sul. E ela foi melhorando , a ponto de em julho daquele ano voltar para a casa dela. Todos achavam que tudo ia dar certo. Ela, voltou a dar aula, pois era professora universitaria e diretora do Departamento de Pedagia daquela Universidade, onde trabvalhava a mais de 30 anos Estava curada e parecia não ter mais nada!Foi o que se achou e como se sentia.
Só que aquela pseuda melhora foi enganosa em setembro do mesmo ano, passou todo o mês hospitalizada. E no mês de julho, eu também tive que me hospitalizar por conta de uma queda onde fraturei a coluna e foi terrível, ela num hospital e eu noutro, sem puder dar assistência uma a outra como o se queixou quando nos falávamos por telefone.
     Tive que fazer uma cirugia da coluna lombar, ou perdiria os movimentos das pernas o que disse o médico e foi exatamente quando ela veio a peorar. Foi doído demais! Triste, sem puder andar e ir ve-la quando recebi alta, tendo também que ir para a casa de uma família amiga porque não havia quem cuidasse de mim, e eu não podia andar. Ia de cadeira rodas. Foi tanto sofrimento naquela época que eu até achei que seria a primeira a ir embora. Mas Deus preferiu a ela, deixando-me o coração estraçalhado, até hoje, depois de quase oito anos.
     Tudo isso, para completar o que comecei a narrar, arrumando os pertences dela, que ficaram comigo. Tentando identificar as caixas, para quem era, qual não foi a minha surpresa, quando havia uma escrito:” ESPECIAL PARA A MANA ISA.” Só Deus sabe como consegui abrir aquela caixa. Só Deus sabe! Abri e lá, havia uma estatueta que simboliza a Justiça e uma livro intitulado MARIA!
Uma capa linda branca e a dedicatória... Ficaram aquelas palavras gravadas no meu coração. Ela chamava nosso inesquecível e amado pai de seu “Moaça”, que era Moacir e nossa não menos amada e inesquecivel mãe de “dona Mãe”. Ela, era um ser incrivel! Cheia de luz, inteligente, prendada, vivia para dividir o que aprendeu, com seus alunos. Uma lider nata, simples e amorosa, como só ela sabia ser.
     Vivo pedindo a Deus que permita que ela venha ainda que em sonhos conversar comigo, Ah! Como sinto falta do seu abraço!Parecia que queria dividir sua energia ao nos abraçar...
     Éramos muito unidas, conversamos de tudo, até nos prometemos que a que fosse primeiro, viria para contar como é a chegada lá do outro lado.
     Sonho tanto com ela, mas mesmo num sonho por mais nítido que seja, não falamos desse assunto, embora sejam sonhos tranquilizadores.
Interessante, é que sempre que eu estou mais atarefada, ou a procuar algo sem achar, cai qualquer coisa que ela tenha escrito, uma foto dela... Como se dizendo que está sempre por perto. Então, eu lhe agradeço e reconheço que esta é a maneira de me dizer que está ali.      Obrigada minha mana, muito, muito, amada. Que Deus a tenha e que receba a paz merecida.
     Aqui estarei sempre a espera de que lhe seja consedida permissão para, ainda que em sonhos, possamos conversar e eu receber aquele abraço que me faz tanta falta. Te amarei para sempre minha eterna e amada mana, LUCELI.