Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O TEMPO DE FAZER È AGORA

                                                                                  JANJÃO
O tempo é o senhor da razão,
Mas não fique esperando que o tempo defina o que fazer.
Procure não confundir-se com o poste, ele não fala,
Não grita e não sente nenhuma dor. Sentimentos, iguais a de um cubo de gelo
No inverno ou uma churrasqueira acesa nas festas de família.
Faça de seu final de semana ou seus dias de folga, movimentos que te deixaram,
Extasiado e cansado, porem feliz e realizado.
Ao abrir a porta de casa, esqueça a cama e a vontade de dormir. Arraste seu amor para o sofá, beija-a (o), diga te amo, te adoro: vamos transar?.
Faça de teu lar, um jardim do édem. Afinal o exemplo tem que vir de casa. Pergunte aos teu filhos, sobre o dia, não os amole com conselhos moralistas e improdutivos. Fale da vida, não como fato consumado e sentencioso, mas como referencia  para formação de cidadão.

Alias, filhos, são um tesouro que deve ser preservado, cultuado. Não pense para seu filho, uma vida de marajá ou não queira para ele sonhos seus não realizados. Escute-o, acompanhe seus gostos musicais, literários. Não queira regular ou censurar suas amizades. Aceite o brinco, o pircing. Saiba que a liberdade é amiga intima da Paz. Claro, você vai dizer, mas com limites. Não queira impor o que você acredita ser o mais correto. Construa com ele, estes limites. Incentive-o á superar limites. Um deles é do conhecimento. Apóie quando ele quiser conhecer, os efeitos dos alucinógenos. Conhecer não é experimentar e sim, sacar a droga que é, para o ser humano. Sugira que seu filho ou filha, leia Drumonnd e Neruda, passeia pelos poemas de Vinicius e ouça Chico, Gal, Betlhes. Recomende o ultimo Almodóvar.
Se ele se interessar fale de futebol, mas insista que a política é fundamental,
Só através dela que a sociedade se transforma.

Respeite sua companheira ou companheiro. Divida as tarefas do lar, não só a cama. Lavar louça pode ser uma terapia, faz esquecer o chato do chefe. Leve-a em um restaurante, mesmo que seja uma vez por mês. Ninguém vai morrer, e você não entrara em concordata, se um dinheirinho for reservado para isto. Nunca pense em levantar um dedo que seja, para ela. O simples apontar, é um ato autoritário e violento. Ao chegar do trabalho, não queira atenção apenas para si. Ela teve um dia cheio, na fabrica ou na loja e ainda tem os deveres de casa. Ela/Ele tem muito pra dizer, desabafar. Preste atenção no corpo dela, não apenas com interesses libidinosos. Repare que o tempo pode manter as curvas que te fascinaram quando a conheceu. Ou este mesmo tempo, pode ter machucado não só o coração, mas a estética.
Não grite nunca. Se desejar, conta até dez ou até mil, se a raiva for muita. No banheiro ou no quintal, nunca com ela ou para ela. Sua morada não é uma senzala e você não é um feitor ou Senhor e muito menos sua companheira ou companheiro é escrava(o).

Digo, que você não pode levar a vida em banho Maria ou em água morna. Não desligue o televisor na hora do horário político, nem diga que o Sindicato só enche o saco. Não saia das rodas de bate papo quando o assunto é miséria, a fome, do povo. Não se faça de bobo, que as guerras nos morros, o desemprego, não é com você. E aí quando lhe acontece algo parecido, aí você se diz injustiçado.
Abandone as frases, não me interessa, não é comigo, azar o dele, quero que exploda. A História é escrita por cada um de nós. Suas conseqüências, é fruto de nossos atos sejam coletivos ou individuais. Ninguém pode comportar-se, como se estivesse em uma ilhota. Até Robison Crusoé necessitou de um Sexta-Feira, para comunicar-se e sobreviver. E mais Crusoé, preocupava-se com o universo do índio Sexta.
Assim, deixe de ser desinteressado, sinta e assuma, que o problema do outro é seu também. Que o aumento da gasolina, do feijão, do arroz, interessa e atinge a todos. Não é só você que ganha pouco, que não consegue pagar as contas. No mínimo 50milhões de pessoas no Brasil e milhões de seres humanos no mundo, não tem sequer um prato de comida por dia.

Faça amigos, mais que isto, tenha camaradas. É bom saber que a amizade, solidifica a vida, remove obstáculos, fortalece ideais. Camaradagem não é só na hora de pagar a cerveja. Estende as mãos ou melhor os braços, quando o camarada assim precisar. Retribuir a amizade é sinônimo de vida longa. Amigos Sinceros é como diz Renato Teixeira: È um santo remédio. Cura males, cicatriza feridas, destroe magoas. A amizade faz Revolução de todos os tipos.

Tenha fé, credo é bom, mas crer em uma entidade divina é fundamental. Fé que o DEUS ou DEUSES, transita na Humanidade, zela por ela e lhe dá o livre arbítrio, para buscar a felicidade. Acreditar em um DEUS vivo, presente na História e na face de cada excluído de direitos, é construir uma sociedade mais fraterna e humana.

Por isto levanta dessa cadeira, não queira fazer um mundo de faz de contas. Tem muita coisa acontecendo. A humanidade espera por você. Faça por ti, fazendo pelo outro e vice e versa. O futuro é aqui e agora, não depende da subida da Bolsa e nem de um milagre. O futuro é a gente quem faz.

Venha construir o futuro, hoje, amanhã e sempre.

dialetico
Enviado por dialetico em 23/10/2007
Código do texto: T705923
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
dialetico
Limeira - São Paulo - Brasil, 55 anos
179 textos (9987 leituras)
8 áudios (326 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 01:18)
dialetico