Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Minha alma está voltando para o meu corpo
 
 
Quando começamos a perceber,
nossa alma já está meio distante.
A gente começa a aceitar dormir no sofá.
a aceitar o café frio.
Aceita dormir no chão sem reclamar.
De repente começa a sentir uma vontade louca de não sei o que.
Uma fome danada de comer sabe lá o que.
É a nossa alma que está se distanciando.
Ela assiste você perder, se auto-destruir.
Você come mais do que precisa.
Pensa mais do que precisa e não decide nada.
Ama mais do que precisa e não ama ninguém.
Se perde num mar de vontades de sim e de não.
Vai ao shopping comprar qualquer coisa 
pra se acalmar.
Numa festa, quer ser a pessoa mais isso, 
mais aquilo
e, sem perceber, acaba sendo
a mais inconveniente.
Seu sono já não é  tão repousante.
Os sonhos, quando lembrados, já não são os melhores.
Já não telefona para os amigos.
Não se interessa em saber dos parentes...
A alma se distancia.
O umbigo se torna o centro do mundo.
Às vezes a gente acha que é a outra pessoa que é egoísta,
mas nos esquecemos de que somos nós
que aceitamos tudo.
Queria o quê? Piedade?
Abra seus braços, se abrace!
Olhe-se no espelho, ame-se.
Você é o altar de seu Deus,
Zele por você!
Chame seu nome,
Deixe sua alma voltar para o seu corpo
E seja feliz.


Augusto Servano Rodrigues
Enviado por Augusto Servano Rodrigues em 27/10/2007
Reeditado em 30/10/2007
Código do texto: T712617

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Augusto Servano Rodrigues
São Paulo - São Paulo - Brasil, 69 anos
156 textos (50737 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 13:29)
Augusto Servano Rodrigues