Como nos tempos de Noé - 04/10/2021

Hoje as escrituras lemos, porém, em um reinício mais nada disso teríamos, e terá que tudo isso na mente ficar guardado, para que de nossa boca possamos ouvir a palavra, que ela não fique muda, se faça o verbo entre nós e quem será contra vós.

Eras, tudo se repete, como a época de Noé retorna a ser como era; toda carne corrompida, imunda pelo pecado e dos caminhos perdidos, humanos modificados, meio animal e meio humano; tudo o Mashia destruirá, mas o justo salvará.

Façamos como Noé fez: Voltaremos as raízes, construiremos uma arca para que seja uma casa, refúgio, uma fortaleza, com autossustento, a arca; manuseio com animais, abrigo dos temporais e lar de ricas histórias, em fim, atento aos sinais.

Logo após o dilúvio, aqui não havia mais nada, não havia sequer mercado; Noé teve que fazer tudo, desde as vestes, que vestido, até o seu próprio alimento, precisava de sustento. Com muito conhecimento recomeçou todo o mundo, sendo nós seu descendente.

Tudo teve um início, tem um meio e terá um final, assim é tudo afinal, e quanto ao mundo imundo não há de haver um fim, porém, um outro reinício; que voltemos as raízes antes da arca se fechar, para então apenas ver quando não parar a chuva.

Siga a vida, Yahushua.