A SUMA VERGONHA...

“Uma das desgraças do Brasil é precisamente o isolacionismo

em que vivem do povo os seus partidos políticos”

(Assis Chateaubriand - Cadeira 37 da ABL, Posição 4)

- A suma vergonha...

Oh, sim! Assuma...

(como s’eu escutasse a voz de minha consciência)

E assim...

Assumo a vergonha do que sinto deste país tantas vezes

... a se mostrar... “sem-vergonha”

Às vezes chego a acreditar ser aqui –este país - um grande “Show de Truman”

Isso mesmo, uma “pegadinha de televisão” com suas câmeras escondidas

Em que somos “testados” em nossas reações

Tal como se faz em “testes experimentais” em Psicologia

Ah! É mais um “tapa na cara” de muitos brasileiros

(como tantos que já tivemos!)

Querem, então, saber do qu'estou falando?

Acompanham-me, por favor

Teria dito Barão do Rio Branco (Cadeira 34, Posição 2 da ABL) “da boca p’ra fora”

“Um diplomata não serve a um regime e sim ao seu país”?

Ou será que em seu tempo "as coisas" aqui eram diferentes?

Ah! A suma vergonha, então, de ser... brasileiro

E, portanto, assumo sim, mais uma vez,a vergonha de ser... brasileiro

Aconteceu recentemente, na sexta-feira do dia 1 de julho de 2022

na Biblioteca Nacional

E para o espanto, sobretudo, de quem é ligado no tema,

o deputado federal pelo Rio de Janeiro, Daniel Silveira

recebeu a medalha da Ordem do Mérito do Livro

Uma homenagem concedida (teoricamente) a nomes ligados à Literatura

Tais como acadêmicos e intelectuais, contribuintes no universo literário

Onde temos como “reais exemplos” Carlos Drummond de Andrade

e Gilberto Freyre

Pergunto agora:

Qual a justificativa de tal honra (para o devido deputado federal)?

Nem ele mesmo sabe por que foi condecorado

A se concluir em suas próprias palavras: “Não sei!”

Alguns “imortais da Academia Brasileira de Letras”

(estes que realmente nos dão “orgulho” de ser brasileiros)

classificaram como sendo uma zombaria a tal homenagem,

onde a própria família de Drummond disse ser um “verdadeiro deboche”

Aliás, "deboche" é o que não faltou por parte de muitos políticos nos tempos atuais

A começar pelo chefe do Executivo

Mas, prefiro deixar quieto!

É claro que houve reações quanto ao fato

Os escritores Marco Lucchesi e Antônio Carlos Secchin, ambos imortais da

Academia Brasileira de Letras (ABL) se recusaram a receber a medalha

E nas palavras de Lucchesi em seu Twitter:

“Se eu aceitasse a medalha seria referendar Bolsonaro, que disse preferir

um clube ou estande de tiro a uma biblioteca”

Já nas palavras e Antônio Secchin:

“Quando aceitei a medalha, supunha que ela seria entregue a pessoas que, como no meu

caso, tivessem vivência com a Biblioteca Nacional e com o universo do livro.

Porém, pelo que soube há pouco, a cerimônia vespertina se constituirá na

celebração de uma única diretriz política, agraciando pessoas sem relação

com livros, biblioteca e cultura”.

E aí fica de novo a pergunta:

Qual a justificativa do deputado Daniel Silveira ser merecedor daquela medalha?

Acredito que deve ter sido pelo que então disse:

“Eu li 832 livros”

É sem dúvid'alguma... uma pouca vergonha!

Ah! Gostaria muito de saber se teria a mesma opinião Augusto de Lima

(o qual ocupou a Cadeira 12 da ABL [Posição 2] quando disse:

“Fundada a Academia, não houve quem duvidasse ser ela destinada a guardar

o precioso tesouro da nossa língua e do bom gosto da sua forma literária”.

Bem, acho melhor ir parando por aqui

Eu confesso que estava relutando em dar a minha opinião no que houve,

mas não aguentei...

E então...

Não dá p’ra sentir vergonha?

*********************************

03 de julho de 2022

"Sereis odiados de todos por causa do meu nome"

(Mateus 10:22)